web analytics

SETI vs ufologia/ovnilogia: um apelo ao fim de uma falsa rivalidade

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 6 min.
Ouça este artigo...

Por Greg
A busca por inteligência extraterrestre tornou-se uma espécie de frase registrada desde o nascimento do SETI científico no final dos anos 1950, que evoluiu de buscas rudimentares por frequências de rádio únicas até ideias mais complexas sobre como civilizações alienígenas podem ser detectadas por meio de “assinaturas tecnológicas”.

SETI vs ufologia/ovnilogia: um apelo ao fim de uma falsa rivalidade
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/Copilot

O SETI também se tornou, ao longo desse tempo, uma oposição veemente às pesquisas de inteligência alienígena aqui na Terra – mais notavelmente como “ufologia/ovniologia – o que em muitos aspectos parece bastante estranho, dado o objetivo partilhado de encontrar provas de inteligência/tecnologia alienígena.

A suposta razão principal para esta estranha desconexão é explicada em um artigo publicado pela Aeon intitulado “Alien life is no joke“ (“A vida alienígena não é uma piada”, em tradução livre), escrito pelo professor de astrofísica Adam Frank, o investigador principal da primeira bolsa da NASA para estudar tecnosassinaturas:

“O que devemos fazer com estes movimentos gêmeos, a busca científica pela vida, por um lado, e as águas infinitamente turvas das reivindicações de OVNIs, por outro? Olhar para a história mostra que estas duas abordagens muito diferentes da questão da vida extraterrestre estão, de fato, ligadas, mas não no bom sentido. Durante décadas, os cientistas que queriam pensar seriamente sobre a vida no Universo enfrentaram o que tem sido chamado de “fator riso”, que estava diretamente relacionado com os OVNIs e a sua cultura. Mais de uma vez, o fator riso esteve perto de matar o campo conhecido como SETI (a busca por inteligência extraterrestre). Agora, com novas descobertas e novas tecnologias tornando a astrobiologia uma fronteira dominante da astrofísica, compreender esta história tornou-se importante para qualquer pessoa que tente compreender o que vem a seguir. Mas para mim, como pesquisador no campo das tecnoassinaturas (sinais de tecnologia alienígena avançada) – a nova face do SETI – superar o fator riso representa um desafio existencial.”

Para Frank, a investigação sobre OVNIs é muito pior do que uma busca tola – é uma ameaça “existencial” direta à procura científica de civilizações alienígenas.

Frank cita o artigo “A Political History of NASA’s SETI Program” (Uma História Política do Programa SETI da NASA”, em tradução livre) de Stephen J. Garber como apoio para sua visão; mais precisamente uma frase em particular: “o programa SETI sempre sofreu de um ‘fator de riso’ que derivou da sua associação na imprensa popular com buscas por ‘homenzinhos verdes’ e objetos voadores não identificados (OVNIs)”. Mas Frank estranhamente não nota que o mesmo artigo dedica muito mais espaço à discussão do papel dos céticos científicos no ataque à credibilidade do SETI, como o eminente biólogo Ernst Mayr, que – com base nos seus próprios cálculos das probabilidades de civilizações ET tecnológicas em desenvolvimento – rotularam a busca como “sem esperança” e “uma perda de tempo”, observando que “temos que lidar com realidades – e não com sonhos impossíveis”.

Frank sugere em seu artigo que o SETI estava indo bem até que “a política e os OVNIs apareceram”, na forma de William Proxmire, um senador democrata de Wisconsin conhecido como um falcão fiscal e com uma aversão especial ao orçamento da NASA. Proxmire concedeu o seu infame prêmio “Golden Fleece” – atribuído a funcionários públicos que ele acreditava estarem desperdiçando o dinheiro dos contribuintes – ao programa SETI da NASA em 1978, e interrompeu o seu financiamento. Embora Carl Sagan tenha conseguido mais tarde convencer Proxmire de que o SETI era um projeto científico valioso, Frank observa que com o prêmio Golden Fleece de Proxmire, “a flagelação política pública do SETI como uma excentricidade esbanjadora, com uma ligação implícita com a excentricidade dos OVNIs, começou”.

Esta parece uma afirmação estranha, já que as preocupações de Proxmire pareciam muito mais alinhadas com as críticas dos céticos científicos ao SETI e à sua própria cruzada contra os gastos do governo do que com qualquer preocupação sobre uma associação com a ufologia/ovnilogia.

Ele anunciou na época:

“Em primeiro lugar, embora teoricamente seja possível, não há agora a mínima evidência de que exista vida fora do nosso próprio sistema solar. As probabilidades esmagadoras são de que tais civilizações, mesmo que já tenham existido, estão agora mortas e desaparecidas.”

O problema de Frank com a pesquisa de OVNIs parece mais provavelmente baseado em sentimentos de traição de seus anos de formação na década de 1970, quando ele bebeu profundamente do poço de “romances de ficção científica [e] documentários sobre OVNIs”.

“Por um tempo, fiquei apaixonado pelo livro de von Däniken “Chariots of the Gods”, 1968, (que em português foi publicado com o título “Eram Deuses Astronautas?”) e suas afirmações de que muitos mistérios arqueológicos poderiam ser melhor explicados por antigos alienígenas que uma vez vieram visitar a Terra. Esse tempo terminou quando, uma noite, me deparei com um documentário da PBS chamado “The Case of the Ancient Astronauts“,1977, (“O Caso dos Astronautas Antigos”, em tradução livre). O documentário apresentou entrevistas com cientistas que passaram a vida estudando os assuntos das antigas especulações alienígenas de von Däniken. A simplicidade com que as evidências arqueológicas arduamente obtidas superaram as afirmações de von Däniken deixou-me ao mesmo tempo irritado (me senti enganado pelo seu livro) e entusiasmado.”

Parece ser um refrão frequente entre os cientistas, desde os investigadores do SETI até aos arqueólogos, que sentem que as áreas temáticas que os inspiraram originalmente eram ficções que traíram a sua confiança e, como tal, guardam rancor dessas áreas. É um tanto irônico, então, que Frank também discuta o avistamento de OVNIs de Kenneth Arnold com alguma extensão em seu artigo, porque a história de Kenneth Arnold é um teste decisivo para a crença das pessoas (ou sistema de descrença) devido às ficções que surgiram desse caso: Os crentes em OVNIs simplesmente tomam a história como evidência de visitação alienígena, enquanto os céticos comprometidos atacam um aspecto particular que eles sentem que mina quase toda a ufologia. Como Frank conta:

“Apresentando a linha do tempo do que viu, Arnold descreveu a nave e seus movimentos. Exatamente o que aconteceu a seguir permanece controverso, mas quando Arnold descreveu os objetos como se movendo como ‘um disco se você saltá-lo sobre a água’, ele desencadeou uma cadeia de eventos que levou a uma das citações erradas mais ultrajantes da história do jornalismo.”

A história no East Oregonian, um pequeno jornal, publicou as palavras “aeronave semelhante a um disco”. Mas, quando a Associated Press publicou a história, a descrição ficou ainda mais distorcida. O que Arnold disse ter visto foram naves voadoras em forma de lua crescente com “asas” que giravam em arco. De alguma forma, a reportagem da AP interpretou mal a descrição de Arnold, levando o Chicago Sun a publicar uma matéria com uma manchete espetacular de primeira página: “Discos voadores supersônicos avistados pelo piloto de Idaho”.

O artigo do Chicago Sun desencadeou uma avalanche. Em seis meses, a história do disco voador foi publicada em mais de 140 jornais nos EUA. Ainda mais notável, uma epidemia de avistamentos de discos voadores começou a varrer o país. No final do verão de 1947, os “discos voadores” eram oficialmente algo.

Esta história frequentemente contada – pelo menos pelos céticos – sobre como o próprio termo “discos voadores” se originou em “uma das citações erradas mais ultrajantes da história do jornalismo” é em si uma ficção, um mito cético. Uma leitura do excelente resumo da história de Martin Shough, “O Retorno dos Discos Voadores“, não deixará o público com dúvidas de que o relato transmitido por Frank acima não é como aconteceu. (meu grifo -n3m3)

Frank afirma que uma das lições mais importantes que aprendeu com o caso Arnold “é o poder de uma história”. Ele enquadra isso em termos de como o avistamento de Arnold foi um “fio crítico na disposição do público de continuar pensando sem evidências sobre alienígenas e OVNIs” e, em última análise, “uma cultura de OVNIs que se inclina para os incrédulos e paranoicos, marcada por uma disposição de tomar qualquer coisa como evidência”. Mas em seu relato do mito de Arnold, vemos que os céticos comprometidos também têm uma “disposição para tomar qualquer coisa como evidência” sem se aprofundarem na evidência original (ele não é o primeiro – Seth Shostak, também celebridade do SETI, também relatou anteriormente o mesmo conto).

Não trago estas críticas num espírito de “nós contra eles”, ou para tentar descartar o trabalho de Frank ou do SETI – sou um fã de todas estas áreas de investigação. Na verdade, é exatamente por isso que menciono o assunto: quando Frank diz em seus comentários iniciais que o SETI e a ufologia estão “ligados, mas não no bom sentido”, eu discordo. Ambos estão ligados por terem pessoas envolvidas com fascínios semelhantes – sonhando grande, com civilizações alienígenas e com pesquisas que possam levar a descobertas que abalarão o mundo. A verdadeira oposição ao SETI é a mesma dos interessados ​​em OVNIs – os “realistas” como Ernst Mayr e William Proxmire, que procuram reduzir tudo a dólares, à mundanidade, ao aqui e agora.

É por isso que já denunciei anteriormente as ligações estreitas do SETI com organizações céticas “fundamentalistas” como o CSICOP. Em alguma tentativa equivocada de parecerem respeitáveis, eles regularmente pularam na cama com aqueles que impediram a exploração de ideias extravagantes e antagonizaram aqueles que poderiam ser não apenas amigos, mas provavelmente apoiadores (tanto financeiramente quanto ‘politicamente’)…e isso inclui o público em geral – os contribuintes que financiam os programas governamentais – que demonstram consistentemente um profundo interesse na questão do SETI e dos OVNIs.

O artigo de Frank começa assim: “De repente, todo mundo está falando sobre alienígenas. Depois de décadas à margem cultural, a questão da vida no Universo além da Terra está tendo o seu dia ao sol.” Por que todo mundo está falando sobre alienígenas? Ele anota algumas frases depois: “artigos de jornal de tirar o fôlego sobre avistamentos inexplicáveis ​​de pilotos da Marinha para depoimentos no Congresso dos Estados Unidos com alegações selvagens de programas governamentais escondendo discos voadores, OVNIs acidentados”. É praticamente uma refutação de tudo o que vem depois no artigo: Os OVNIs são uma forma de entrar nos projetos SETI, para capturar a atenção do público e inspirar sua imaginação, a partir da qual os cientistas podem levá-los em uma jornada além da Terra e suas histórias de discos voadores acidentados, até exoplanetas, e formas de encontrar civilizações tecnológicas além do nosso próprio sistema solar.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code