web analytics

Astrônomos detectam sinais de rádio se comportando de maneiras complexas

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

Astrônomos que operam o radiotelescópio Parkes do CSIRO na Austrália dizem ter detectado sinais de rádio incomuns do magnetar mais próximo da Terra que estão “se comportando de maneiras complexas”.

Astrônomos detectam sinais de rádio se comportando de maneiras complexas
Imagem ilustrativa do magnetar.

Uma estrela anterior adormecida com um poderoso campo magnético, XTE J1810-197, está a apenas 8.000 anos-luz de distância, o que a torna o magnetar mais próximo da Terra. No entanto, ao contrário de um magnetar típico que emite luz polarizada, este magnetar parece estar enviando ondas de rádio polarizadas circularmente. Isso significa que a luz parece espiralar à medida que se move pelo universo. Tal descoberta não foi apenas inesperada; um comunicado de imprensa anunciando a descoberta dizia:

“É totalmente sem precedentes”.

O Dr. Marcus Lower, pós-doutorado na agência científica nacional da Austrália – CSIRO, e líder da pesquisa, disse:

“Ao contrário dos sinais de rádio que vimos de outros magnetares, este está emitindo enormes quantidades de polarização circular que muda rapidamente. Nunca tínhamos visto nada assim antes.”

A coautora do estudo, Dra. Manisha Caleb, da Universidade de Sydney, concorda, observando que as leituras não correspondem a nenhum sinal de rádio anterior vindo de magnetares. Na verdade, eles nem sequer correspondem aos modelos teóricos que tentam prever o comportamento de vários fenômenos cosmológicos.

Caleb explicou:

“Os sinais emitidos por este magnetar implicam que as interações na superfície da estrela são mais complexas do que as explicações teóricas anteriores.”

Aprofundando o mistério por trás dos sinais de rádio incomuns está o fato de que a simples detecção de qualquer tipo de emissão de rádio de um magnetar é extremamente rara. De acordo com os pesquisadores que detectaram os sinais vindos do XTE J1810-197, é apenas um dos poucos magnetares que os astrônomos descobriram que emitem ondas de rádio.

Para aumentar ainda mais o mistério está o fato de que os sinais foram detectados pela primeira vez em 2003, antes de repentinamente silenciarem. Então, em 2018, os astrônomos utilizaram o telescópio Lovell de 76 metros da Universidade de Manchester, no Observatório Jodrell Bank, e constataram que os sinais tinham regressado. Esses dados foram rapidamente acompanhados por Murriyang, o instrumento CSIRO que detectou estes sinais mais recentes.

Embora não haja uma explicação imediata para a causa dos sinais de rádio incomuns, os pesquisadores dizem que o seu comportamento complexo levou a uma teoria igualmente incomum.

Provavelmente serão necessários estudos de acompanhamento para responder ao mistério por trás das complexas e incomuns ondas de rádio provenientes do magnetar mais próximo da Terra. Felizmente, os pesquisadores observam que o telescópio de 64 metros de diâmetro está equipado com “um receptor de largura de banda ultralarga de última geração” que é perfeito para o trabalho.

Os pesquisadores explicam:

“O receptor permite medições mais precisas de objetos celestes, especialmente magnetares, pois é altamente sensível a mudanças no brilho e na polarização em uma ampla gama de frequências de rádio.”

Embora possa demorar muito até que saibamos conclusivamente o que está por trás dos sinais de rádio incomuns, os pesquisadores por trás desta última descoberta, publicada na revista Nature Astronomy, dizem que estudar magnetares é crucial para a compreensão de muitos mistérios do universo.

O comunicado explica:

“Estudos de magnetares como estes fornecem informações sobre uma série de fenômenos extremos e incomuns, como dinâmica de plasma, explosões de raios X e raios gama, e explosões de rádio potencialmente rápidas.”

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code