web analytics

NASA pode ter redirecionado inadvertidamente um asteroide para Marte

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

Em 2022, a NASA enviou uma nave espacial para colidir com um asteroide do tamanho da Grande Pirâmide de Gizé, na tentativa de alterar seu curso.

NASA pode ter redirecionado inadvertidamente um asteroide para Marte
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/Copilot

A missão foi um sucesso e demonstrou que é possível redirecionar objetos no espaço, uma ótima notícia para um planeta que não gosta muito de ser destruído por asteroides. Além de redirecionar com sucesso o asteroide Dimorphos, enviou enormes pedras voando do asteroide fracamente ligado, variando em tamanho de 1 a 7 metros de diâmetro. Estas rochas não se movem a grandes velocidades em relação à rocha-mãe – a sua velocidade média é de 0,3 metros por segundo – mas isso é suficiente para atingir a velocidade de escape de Dimorphos.

Agora, uma equipe analisou a trajetória orbital que estes 37 objetos percorrerão ao longo dos próximos 20 mil anos, descobrindo que a Terra está protegida do impacto. Em um artigo ainda não revisado e publicado no servidor de pré-impressão arXiv, os pesquisadores descobriram que a passagem mais próxima da Terra acontecerá em cerca de 2.500 anos, mas as rochas nunca estarão mais próximas do que 0,02 unidades astronômicas (UA), com sendo uma UA a distância entre a Terra e o Sol. Mas Marte pode não ter tanta sorte.

A equipe escreveu no artigo:

“Simulações numéricas mostram que todas as rochas do enxame cruzarão a órbita de Marte várias vezes nos próximos 20 [mil anos]. O enxame simulado é estatisticamente representativo do conjunto de 37 rochas reais recentemente descobertas usando observações do Telescópio Espacial Hubble que foram ejetadas durante o impacto da espaçonave DART em Dimorphos. Portanto, devido aos cruzamentos de órbita que acontecem no longo prazo evolução, é possível que algumas das rochas impactem Marte no futuro.”

Estes impactos potenciais acontecerão duas vezes cerca de 6.000 anos no futuro, e duas vezes novamente 15.000 anos no futuro. Se os caminhos se cruzarem – e há muitas variáveis ​​que podem alterar o caminho da rocha, como a energia da luz solar – a equipe analisou que tipo de impacto as rochas criariam.

A equipe explicou:

“A condição de fragmentação, assumindo uma força média de cerca de 1 MPa, é alcançada quando o meteoroide atinge o solo marciano sem gerar explosões aéreas e com uma velocidade ligeiramente inferior à inicial, porque a atmosfera marciana é demasiado fina para o desacelerar significativamente. Por esta razão, no nosso caso, será gerada uma cratera de impacto pequena e simples, com cerca de 200-300 m de diâmetro.

No entanto, não se pode excluir que os pedregulhos de Dimorphos tenham uma resistência inferior a cerca de 1 MPa. Neste caso, os meteoroides irão fragmentar-se na atmosfera marciana sem atingir o solo intactos, dando origem a um clássico campo espalhado.”

Além de nos garantir que a NASA não enviou acidentalmente meteoritos para a Terra durante um teste para redirecionar asteroides para longe da Terra, o estudo encontrou mais evidências de que alguns meteoritos que atingiram nosso planeta poderiam resultar de colisões entre asteroides grandes e pequenos, liberando rochas menores. de sua aglomeração.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code