web analytics

A caça pela vida em Alpha Centauri

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.

Alpha Centauri: Este estranho sistema de três estrelas pode ser a nossa melhor oportunidade de encontrar vida próxima no Universo.

A caça pela vida em Alpha Centauri
Alpha Centauri. Crédito: Óptico: Zdenek Bardon; Raio X: NASA/CXC/Univ. do Colorado / T. Ayres et al.

Nosso sistema solar vizinho é estranho em qualquer medida. É um sistema triplo que consiste em Alpha Centauri A, que é cerca de 10% mais massivo que o nosso Sol e 50% mais luminoso, e Alpha Centauri B, que é exatamente o oposto, 10% menos massivo e 50% mais escuro. Essas duas estrelas orbitam um centro de gravidade comum, enquanto a terceira estrela do sistema, Proxima Centauri, é uma fraca anã vermelha (estrela M) a cerca de 0,2 anos-luz de distância das outras.

Podem ser excêntricas, mas estas estrelas têm um interesse especial para nós, sendo as mais próximas dos estimados 100 mil milhões de sóis na nossa galáxia. Proxima Centauri é a mais próxima das três da Terra, a uma distância de 4,2 anos-luz. Ela tem dois planetas confirmados, incluindo um na zona habitável, definida como a distância de uma estrela à qual se poderiam esperar temperaturas numa superfície planetária consistentes com a presença de água líquida.

Acredita-se que as outras duas estrelas do sistema tenham planetas, embora não tenham sido confirmados. (Um possível planeta do tamanho de Netuno foi relatado em 2021 orbitando Alpha Centauri A aproximadamente à mesma distância que a Terra orbita o Sol, mas isso pode acabar sendo uma nuvem de poeira.) A aparente falta de quaisquer anãs marrons ou gigantes gasosos próximos a Alpha Centauri A e B tornam a probabilidade de planetas terrestres maior do que seria de outra forma, pelo menos em teoria. As chances de um planeta rochoso e potencialmente habitável no nosso sistema solar vizinho podem, portanto, chegar a 75 por cento.

Tudo isso coloca o sistema Alpha Centauri no topo da lista de lugares para procurar vida extraterrestre. (Para esse fim, a Breakthrough Foundation forneceu financiamento antecipado para o programa do telescópio espacial TOLIMAN, que tem o objetivo de descobrir planetas adicionais possivelmente habitáveis ​​no sistema Alpha Centauri. A atual Fase 2 do projeto – que não tem data de lançamento oficialmente anunciada —inclui o projeto, construção e integração de uma espaçonave com o telescópio.)

Existe vida em Alpha Centauri?

Quanto ao planeta que já encontrámos, Proxima b criou muita agitação após a sua detecção em 2016 porque é um pouco maior que a Terra (pelo menos 17% mais massa) e, o que é crucial, está na zona habitável. No entanto, isso por si só não nos dá informações suficientes para dizer se o planeta é realmente habitável. Proxima b orbita muito perto de seu sol anão M e, portanto, pode estar travada por maré, o que significa que sempre mostra o mesmo lado para sua estrela. Isso não é bom para a vida, porque um lado permaneceria extremamente quente e o outro gelado.

Foi levantada a hipótese de que a vida ainda poderia sobreviver num mundo assim, porque as fronteiras entre os dois hemisférios poderiam oferecer temperaturas benignas. Isto é considerado improvável, porque a zona temperada seria pequena e propensa a padrões climáticos extremos. E há outras razões para não sermos nada otimistas em relação à vida em Proxima b. Tal como outras anãs vermelhas, Proxima Centauri emite fortes explosões solares e emissões de raios X que seriam um desafio para qualquer forma de vida num mundo 20 vezes mais próximo da sua estrela do que a Terra está do Sol. Um campo magnético pode oferecer proteção, mas não sabemos se Proxima b tem algum.

Nem sabemos se há água lá. Ambos os requisitos têm de ser cumpridos para uma biosfera próspera, juntamente com a disponibilidade de compostos orgânicos e a presença de um mecanismo eficaz para a reciclagem de nutrientes (por exemplo, placas tectônicas). Por outras palavras, apenas residir na zona habitável não é suficiente para que um mundo promova a vida. Nossa Lua também está em uma zona habitável, mas não poderia ser mais árida. E pode existir vida nos oceanos subterrâneos das luas geladas Europa e Encélado, que estão bem fora da zona habitável do Sol.

E quanto ao planeta do tamanho de Netuno em torno de Alpha Centauri A? Supondo que seja eventualmente confirmado, o seu tamanho sugere que pode ser mais parecido com os gigantes gasosos inabitáveis ​​do nosso Sistema Solar. A maioria dos cientistas define a fronteira entre planetas rochosos e gasosos em algum lugar entre 1,5 a 3 massas terrestres. O mundo ao redor de Alpha Centauri A parece ter entre cinco e sete vezes a massa da Terra, então é provavelmente um gigante gasoso.

Mas não sabemos ao certo quão massivos os planetas rochosos podem atingir. Se o planeta tiver composição rochosa, isso seria outra história. A chamada Super-Terra na zona habitável de Alpha Centauri poderia ter implicações fascinantes. Um planeta desse tipo em uma órbita semelhante à de Marte (cerca de 1,5 distância entre o Sol e a Terra) pode estar repleto de vida. Hoje, Marte é apenas quase habitável – demasiado pequeno e com muito pouca energia interna para ter mantido a sua magnetosfera e atmosfera originais. Se Marte fosse do tamanho da Terra, ou de preferência maior, muito provavelmente teria mantido os seus primeiros oceanos e a sua espessa atmosfera, tornando-o muito mais adequado para a vida. Não temos um planeta rochoso mais massivo que a Terra no nosso Sistema Solar, mas talvez encontremos um no sistema Alpha Centauri.

Rastejando até Alpha Centauri

Infelizmente, talvez tenhamos que ir lá para descobrir. Mas isso pode não ser tão absurdo quanto parecia. Acaba de ser proposto um novo tipo de sistema de propulsão que, teoricamente, poderia alcançar o espaço interestelar em menos de cinco anos, transportando uma carga científica substancial. O conceito, conhecido como propulsão por feixe de pellets, recebeu uma bolsa de estudo da NASA para desenvolvimento posterior.

Temos que ser realistas, no entanto. Mesmo com um avanço na propulsão, 4,2 anos-luz é um caminho muito, muito longo a percorrer. É preciso paciência. Mas quão legal seria lançar uma sonda para explorar o sistema Centauri?

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Franklin Viana ❤️Leopoldo Della Rocca ❤️ Jessica Luana de Souza ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code