web analytics

Islã, Ficção Científica e Vida Extraterrestre

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Tempo de leitura: 3 min.

O Islã e a ficção científica podem não parecer imediatamente um par natural, mas o mundo muçulmano de fato promoveu uma história fascinante dentro desse gênero.

Islã, Ficção Científica e Vida Extraterrestre
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/DALL-E

Em seu livro intitulado “Islã, Ficção Científica e Vida Extraterrestre: a Cultura da Astrobiologia no Mundo Muçulmano” (título em traução livre), Jorg Matthias Determann, autor e acadêmico morador no Catar, investiga a exploração da “imaginação científica” expressa por meio de várias formas de mídia , incluindo literatura e cinema. O livro abrange uma ampla gama de temas associados, como espaço, tempo, construção do mundo, vida extraterrestre e ovnilogia.

É bastante apropriado que o capítulo de abertura ‘Senhor dos Mundos‘ seja uma referência à primeira surata do Alcorão, Al-Fatihah, que o autor explica, com base em uma interpretação literalista, apoia o conceito popular de ficção científica da pluralidade de mundos com a expressão Rabb Al-Alaminou Senhor dos Mundos, enquanto outros versos “eram vagos o suficiente para permitir diversas visões do universo”. Com relação às formas de vida alternativas, lemos como “o encontro de humanos e gênios (jinns) fazia parte da literatura islâmica começando com o próprio Alcorão”.

Ao longo do livro, Determann desafia e questiona a suposição de que a religião e o autoritarismo sufocaram a ficção científica e a criatividade em terras muçulmanas e se o secularismo era mais propício para a imaginação científica do que o “islamismo”.

A repressão provavelmente ajudou a ficção científica mais do que a prejudicou”, argumenta Determann, já que a censura muitas vezes encoraja os escritores a disfarçar as críticas às autoridades com metáforas definidas “em tempos futuros e em planetas distantes”. As decepções tanto da era pós-colonial quanto da Primavera Árabe também deram origem a romances distópicos, “como forma de resistência literária”.

No entanto, o leitor pode se surpreender ao saber que o governo sírio apoiou ativamente a ficção científica, mesmo durante aguerra civil de uma década, que incluiu a publicação de uma revista literária, Science Fiction. Embora o autor questione se isso foi uma forma de “crítica comissionada ou licenciada” do governo. Enquanto isso, estados prósperos, porém autoritários, no Golfo abraçaram o “futurismo paternalista” de cima para baixo, com o projeto de cidade inteligente NEOM da Arábia Saudita ou as ambições dos Emirados Árabes Unidos de estabelecer uma colônia no planeta Marte até 2117.

Um dos notáveis ​​pontos fortes do livro é sua abordagem equilibrada do assunto. Determann reconhece a diversidade de opiniões dentro do mundo muçulmano, abrangendo o Oriente Médio e Norte da África até o Sul e Sudeste Asiático, destacando perspectivas conservadoras e progressistas. Isso permite que os leitores obtenham uma compreensão abrangente da complexa relação entre o Islã, a ficção científica e a astrobiologia – “o estudo da vida no universo”.

Além de examinar autores e cineastas de ficção científica proeminentes e menos conhecidos, o autor ilustra como as narrativas de ficção científica, tanto de dentro quanto de fora do mundo muçulmano, moldaram a imaginação científica. Periódicos e literatura ocidentais deixaram um impacto considerável, e “empréstimos de Hollywood eram difíceis de perder”, com clichês e filmes imitadores proliferando em vários países de maioria muçulmana.

No entanto, ao mesmo tempo, “as produções ocidentais se basearam nas culturas e paisagens do Oriente Médio”, como Duna ou Guerra nas Estrelas sendo filmado na Tunísia – até mesmo o planeta natal de Luke Skywalker, Tatooine, está situado em uma cidade do sul da Tunísia. A fertilização cruzada de ideias assume uma dimensão mais matizada com a crescente contribuição dos futuristas muçulmanos na diáspora.

A seção sobre ovnilogia muçulmana foi particularmente fascinante, onde avistamentos de objetos voadores não identificados eram tão comuns quanto em qualquer outro lugar do mundo como eram no mundo muçulmano, que “também participou da produção global de conhecimento sobre discos voadores”, pois “os muçulmanos ofereceram novos perspectivas” sobre os fenômenos, incluindo a teoria de que eles poderiam muito bem ser gênios. Isso iria alimentar a imaginação ocidental e a percepção na cultura popular. Além da comunidade muçulmana dominante, Determann também lança luz sobre as “religiões islâmicas dos OVNIs”, sendo a mais proeminente de todas o grupo Nação do Islã (de sigla em inglês, NOI) nos EUA, que se baseou no Afrofuturismo.

Como outras resenhas mencionaram, o livro ocasionalmente se torna excessivamente detalhado, potencialmente sobrecarregando os leitores que estão menos familiarizados com o assunto. Apesar disso, Islã, “Ficção Científica e Vida Extraterrestre” incentiva os leitores a ampliar seus horizontes e desafiar noções preconcebidas sobre a relação entre o Islã e a ficção científica. Ao mergulhar neste aspecto menos conhecido da cultura muçulmana, pode-se apreciar a diversidade cultural e as expressões criativas que existem dentro do mundo islâmico… e além.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Paulo Sanchez ||| Edward Vaz Jr. ||| Silas Raposo ||| Franklin Viana ||| Karin Gottert ||| Leopoldo Della Rocca

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta, portanto aja com responsabilidade.
  • O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code