web analytics

Há centenas de milhões de planetas habitáveis na nossa galáxia – Novo estudo

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Tempo de leitura: 3 min.

Uma nova análise feita por pesquisadoras da Universidade da Flórida revelou que pode haver centenas de milhões de planetas habitáveis ​​na Via Láctea orbitando estrelas anãs M.

Há centenas de milhões de planetas habitáveis na nossa galáxia - Novo estudo
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/leonardo.ai

Comprometendo cerca de 73% dos estimados 100 a 400 bilhões de estrelas na Via Láctea, as anãs M tornaram-se o local preferido dos astrônomos para procurar planetas rochosos semelhantes à Terra devido ao fato de serem mais abundantes do que estrelas do tipo G como a nossa – o Sol – e porque é mais fácil detectar exoplanetas em suas órbitas com telescópios atuais devido ao fato de que as anãs M não são tão brilhantes quanto outras estrelas.

A pesquisadora e candidata a Ph.D., Sheila Sagear, disse em um e-mail para o The Debrief, que, junto com a professora da U of F, Sarah Ballard, conduziu a pesquisa:

“Estrelas anãs M estão emergindo como o alvo predominante para procurar exoplanetas por alguns motivos.

Elas são de longe as estrelas mais comuns, com cerca de 75% das estrelas na Via Láctea sendo anãs M, elas são mais propensas a hospedar planetas pequenos, rochosos e aproximadamente do tamanho da Terra (em oposição a gigantes gasosos como Júpiter e Saturno) do que estrelas maiores como o nosso Sol, e normalmente é mais fácil detectar e caracterizar planetas em torno de estrelas menores, como anãs M, do que estrelas maiores como o nosso Sol”, acrescentou Sagear.

Embora várias condições determinem a habitabilidade, Sagear e Ballard focaram sua atenção na excentricidade das órbitas dos planetas em torno das estrelas anãs M.

Sagear disse ao The Debrief:

“Para estrelas anãs M, a excentricidade orbital é particularmente importante porque essas estrelas são muito mais frias do que estrelas como o nosso Sol, então a “zona habitável” (a distância estrela-planeta que tornaria possível sustentar água líquida) é bastante estreita. Mesmo uma excentricidade orbital modesta pode fazer com que um planeta entre e saia da zona habitável durante sua órbita, tornando-o muito quente ou frio para sustentar a vida na maior parte do tempo.”

Curiosamente, Sagear explicou que o oposto também é verdadeiro. Um planeta que inicialmente parece muito distante para obter calor suficiente de sua estrela hospedeira para alcançar a habitabilidade pode realmente se beneficiar de uma órbita excêntrica que poderia aproximar esse planeta de sua estrela hospedeira durante parte do ano para manter uma temperatura habitável.

Publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences, o trabalho de Sagear e Ballard se concentrou em mais de 150 estrelas anãs M entre 130 a 2.000 anos-luz de distância da Terra. Este trabalho usou o que é conhecido como método de trânsito, onde a luz da estrela hospedeira escurece à medida que o planeta passa entre ela e nossos telescópios, permitindo que os pesquisadores aprendam todos os tipos de informações sobre o planeta.

Após uma análise cuidadosa, a dupla descobriu que cerca de um em cada três exoplanetas orbitando estrelas anãs M tem uma órbita favorável à habitabilidade. Este número surpreendente significa que existem potencialmente bilhões de planetas que podem suportar a vida apenas em nossa galáxia, a Via Láctea.

Sagear disse ao The Debrief:

“Descobrimos que é provável que vários sistemas multiplanetários tenham órbitas quase circulares, e alguns planetas nesses sistemas podem potencialmente estar na zona habitável.

Isso não significa que os planetas não estejam bloqueados pelas marés (onde o mesmo lado do planeta sempre está voltado para a estrela, assim como a Lua faz com a Terra, e o bloqueio das marés não é bom para as perspectivas de habitabilidade.

Isso também não significa que outras condições sejam propícias à habitabilidade (como a composição e a atmosfera do planeta), mas é um bom sinal de habitabilidade.”

…Claro, a equipe de pesquisa admite plenamente que muitas coisas além da órbita acabarão por determinar se um planeta é realmente habitável. Isso inclui a composição do próprio planeta.

…As pesquisadoras apontam que as observações de acompanhamento podem ajudar a caracterizar a composição e as órbitas de seus planetas-alvo para refinar ainda mais seus resultados tentadores, incluindo coisas como composição.

Sagear disse:

“Podemos não ser capazes de dizer com certeza se um planeta específico é ou não habitável – precisaremos de mais estudos de acompanhamento para confirmar isso. No entanto, com os resultados deste trabalho, podemos avaliar a probabilidade de que uma população de planetas anões M próximos tenha órbitas circulares ou excêntricas. Esta informação irá ajudar-nos a decidir quais (e quantos) planetas visar para observações de seguimento mais precisas no futuro.”

Embora não haja um cronograma específico para essas observações de acompanhamento, Sagear observa que uma série de atores determinará se um exoplaneta orbitando uma estrela anã M é realmente capaz de sustentar a vida como a conhecemos.

Ela concluiu:

“Essas observações de acompanhamento nos ajudarão a caracterizar suas composições e atmosferas, imaginar como pode ser a superfície do planeta durante as diferentes estações do ano e decidir com mais certeza se um determinado planeta é habitável ou não.”

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ||| Silas Raposo ||| Franklin Viana ||| Karin Gottert ||| Leopoldo Della Rocca

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta, portanto aja com responsabilidade.
  • O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code