Asteroide “Assassino de Planetas” vem em direção à Terra

Tempo de leitura: 4 min.

Quando a grande mídia chama um asteroide de “Assassino de Planetas”, geralmente tendemos a não acreditar muito, pois sabemos que manchetes atraentes como essa chamam a atenção. Mas quando um astrônomo notável usando um observatório terrestre de última geração usa essa frase, devemos sentar e ouvir.

Asteroide "Assassino de Planetas" vem em direção à Terra
Observações do crepúsculo com a câmera de energia escura fabricada pelo Departamento de Energia dos EUA no Observatório Interamericano Cerro Tololo, no Chile, um programa do NOIRLab da NSF, permitiram aos astrônomos detectar três asteróides próximos da Terra, ou NEAs, escondidos no brilho do sol . Esses NEAs fazem parte de uma população indescritível que se esconde dentro das órbitas da Terra e de Vênus. Um dos asteroides é o maior objeto potencialmente perigoso para a Terra descoberto nos últimos oito anos. Imagem: DOE/FNAL/DECam/CTIO/NOIRLab/NSF/AURA/J. da Silva/Spaceengine

Bem, deixe a coluna ereta e as orelhas em pé porque um importante astrônomo e astrofísico acaba de lançar um artigo descrevendo dois “Assassinos de Planetas” que estão escondidos no brilho do Sol e cruzam regularmente o caminho da Terra. Um desses “assassinos” tem um quilômetro e meio de largura e, no entanto, permanece fora de vista sob o brilho intenso do Sol. Existe a possibilidade de que mais possam estar escondidos lá, mas esta é a grande preocupação agora porque sua órbita está se movendo lentamente para estar em sincronia com a Terra.

Devemos nos preocupar?

“Até o momento descobrimos dois raros asteroides Atira/Apohele, 2021 LJ4 e 2021 PH27, que têm órbitas completamente internas à órbita da Terra. Também descobrimos um novo Objeto Próximo à Terra (NEO) do tipo Apollo que cruza a órbita da Terra, 2022 AP7. Duas das descobertas têm diâmetros ≳1 km. 2022 AP7 é provavelmente o maior asteroide potencialmente perigoso (PHA) descoberto em cerca de oito anos.”

No resumo do artigo, “A Deep and Wide Twilight Survey for Asteroids Interior to Earth and Venus”, o astrônomo e principal autor Scott Shepherd, astrônomo do Earth & Planets Laboratory da Carnegie Institution for Science em Washington, DC, explicou que três novos asteroides foram descobertos orbitando o Sol dentro ou quase dentro da órbita da Terra. Dois são asteroides Atira ou Apohele – objetos do interior da Terra (IEOs) cujas órbitas têm um afélio (ponto mais distante do Sol) menor que o periélio da Terra (ponto mais próximo do Sol), que é 0,983 unidades astronômicas (UA). Esses IEOs são muito mais raros do que os asteroides próximos da Terra Aten, Apollo e Amor, que estão fora da órbita da Terra.

“Provavelmente existem apenas alguns NEAs com tamanhos semelhantes para encontrar, e esses grandes asteroides não descobertos provavelmente têm órbitas que os mantêm dentro das órbitas da Terra e Vênus na maior parte do tempo. Apenas cerca de 25 asteroides com órbitas completamente dentro da órbita da Terra foram descobertos até hoje devido à dificuldade de observar perto do brilho do Sol.”

Além de raros, esses IEOs são extremamente difíceis de ver porque quase toda a sua órbita está na frente do Sol, e os telescópios têm o mesmo problema de ‘não olhar diretamente para um eclipse solar’ que os humanos – suas lentes ficam fritas quando apontadas muito tempo no velho Sol. Para evitar isso, Shepherd descreve no comunicado de imprensa como os astrônomos que procuram asteroides Atira devem se limitar a duas janelas de 10 minutos todas as noites quando os asteroides fazem a volta ao redor da borda do Sol – um período dificultado pelo Sol estar perto do horizonte da Terra então os asteroides ficam ainda mais escondidos ou borrados pela atmosfera da Terra. No entanto, esses astrônomos intrépidos persistiram e encontraram recentemente 2021 LJ4, 2021 PH27 e 2022 AP7. Assim que a empolgação passou, eles perceberam que 2022 AP7 tinha algumas características incomuns e potencialmente perigosas.

“Um deles, 2022 AP7, tem cerca de um quilômetro e meio de comprimento, e sua órbita cruza o caminho da Terra ao redor do Sol, chegando a 7 milhões de quilômetros da própria Terra – desconfortavelmente perto pelos padrões cósmicos (embora muito mais distante do que a Lua da Terra).”

O New York Times é um dos principais sites de mídia que usa a manchete “Assassino de Planestas” para descrever o potencial mortal do 2022 AP7. Comecemos pelo seu tamanho. Para colocá-lo em perspectiva, com quase 1,5 km de diâmetro, ele supera a lua-asteroide Dimorphos, de 160 metros de largura, que foi atingida recentemente pelo Teste de Redirecionamento de Asteroides Duplos da NASA (DART) e teve sua trajetória alterada como um teste do nosso ainda infantil sistema de deflexão de asteroides. Acrescente a isso a memória recente do minúsculo meteoro de 20 metros de largura que explodiu em 2013 acima da cidade de Chelyabinsk, no sudeste da Rússia, quebrando janelas em milhares de edifícios – essa rocha espacial também estava escondida pelo brilho do Sol.

É hora de entrar em pânico? Precisamos de um DART maior?

“Hoje, o AP7 está em algum lugar entre Marte e Júpiter e, dada sua órbita de cinco anos, passa a maior parte do tempo fora do nosso caminho. Quando ele cruzar o caminho da Terra, estaremos cuidando de nossos próprios negócios no lado oposto do Sol.”

A Cosmos Magazine nos dá uma mídia não convencional e uma perspectiva mais equilibrada sobre o 2022 AP7. Sua órbita de cruzamento de caminho atualmente tem duas unidades astronômicas (UA) de distância da Terra – o dobro da distância entre a Terra e o Sol ou pouco menos de 300 milhões de quilômetros. Isso ainda o coloca na categoria próxima à Terra, mas os cálculos mostram que seus tempos de passagem pela órbita da Terra nos próximos 100 anos ocorrerão longe do planeta. No entanto, há muito tempo depois disso, e eles farão mais cálculos e modelos para determinar se e quando 2022 AP7 fará jus ao seu apelido “Assassino de Planetas”.

“Nossa pesquisa DECam é uma das maiores e mais sensíveis pesquisas já realizadas para objetos dentro da órbita da Terra e próximos à órbita de Vênus. Esta é uma chance única de entender que tipos de objetos estão à espreita no interior do sistema solar.

Após 10 anos de serviço notável, o DECam continua a produzir importantes descobertas científicas e, ao mesmo tempo, contribuir para a defesa planetária, um serviço crucial que beneficia toda a humanidade.”

Para responder a essa outra pergunta que certamente o incomoda … sim, pode haver mais asteroides “Assasinos de Planetas” escondidos no brilho do Sol em uma órbita interna da Terra. Scott Shepherd diz estar confiante de que a Dark Energy Camera (DECam) montada no Telescópio Víctor M. Blanco de 4 metros no Observatório Interamericano Cerro Tololo, no Chile, os encontrará nos períodos de 10 minutos em que abre suas lentes para observar o Sol. Vamos torcer para que ele esteja certo.

Enquanto isso, parece uma coincidência irônica que os asteroides mais perigosos possam vir de dentro do nosso sistema solar, e não das áreas externas. Essa é a mesma coisa que estamos descobrindo sobre nosso próprio planeta – precisamos passar mais tempo estudando os oceanos e as profundezas do manto, onde podem espreitar maiores perigos para o nosso planeta…

Paul Seaburn

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!