Partes de naves alienígenas estão caindo na Terra, diz físico

Tempo de leitura: 3 min.

Acontece que o físico de Harvard, Abraham ‘Avi’ Loeb, não é o único cientista respeitado que acredita que meteoritos e asteroides interestelares são possivelmente naves extraterrestres ou pedaços de naves espaciais que foram destruídos ou descartados.

Partes de naves alienígenas estão caindo na Terra, diz físico

O cientista B. P. Embaid, físico da Universidade Central da Venezuela, divulgou um novo estudo no qual argumenta que a razão pela qual muitos meteoritos contêm os mesmos metais que os cientistas da Terra fizeram em laboratórios é porque os cientistas alienígenas estão fazendo a mesma coisa – e aqueles metais devem ser as tecnoassinaturas que os astrônomos do SETI usam para procurar sinais de tecnologia extraterrestre em exoplanetas e em torno de outras estrelas.

Estaria B. P. Embaid no caminho certo para provar a existência de extraterrestres? Esta é a prova de que eles podem ter visitado a Terra… talvez até mesmo caído no nosso planeta?

“A gênese desses minerais meteoríticos pode exigir processos controlados e sofisticados que não são facilmente encontrados na natureza. Portanto, é importante ter a mente aberta e até mesmo provocativa para considerar a seguinte pergunta: esses minerais meteoríticos são amostras de tecnoassinaturas extraterrestres?”

Em seu artigo, “O Enigma dos Minerais Meteoríticos Heideíta e Brezinaíta ; Eles São Supercondutores à Base de Ferro? Eles são Tecnoassinaturas?” que é publicado na revista arxiv.com e ainda não revisado por pares, B.P. Embaid — Professor Pesquisador em Física da Matéria Condensada com experiência em técnicas analíticas de alta precisão para o estudo de minerais, amostras geológicas e ligas – aplica suas técnicas analíticas a dois meteoritos encontrados na Índia em 1852 e no Iêmen em 1980. Por que esses dois?

“Os sulfetos sintetizados mencionados acima não têm ocorrência natural na Terra e foram detectados como minerais em meteoritos anos depois da primeira síntese; FeTi2S4, foi sintetizado pela primeira vez em 1968 e depois detectado em 1974 como o mineral heideíta no meteorito Bustee e em 1995 no meteorito Kaidun. A estrutura base Cr3S4 foi sintetizada pela primeira vez em 1957 e depois detectada em 1969 como o mineral brezinaíta, com ocorrência no meteorito de Tucson.”

Em 1957, cientistas que procuravam novos metais eletricamente condutores combinaram cromo e enxofre em camadas para sintetizar brezinaita – um metal que não existe na natureza… pelo menos na natureza na Terra. Em um processo semelhante, outros cientistas criaram a heideite. Ambos podem atuar como supercondutores, permitindo que a eletricidade passe por eles sem resistência – uma característica que estava se tornando importante à medida que os primeiros chips de computador estavam sendo projetados.

Para surpresa dos cientistas, os astrônomos que estudavam meteoritos encontraram um que havia caído em Tucson, Arizona, em 1850, que continha brezinaita. Dentro de alguns anos, eles encontraram o mineral sintético em outros meteoritos e, em seguida, tiveram a mesma experiência ao encontrar meteoritos contendo o supercondutor heideita. A existência desses metais em meteoritos intrigou Embaid porque sua criação em laboratório exigia processos que não são facilmente duplicados na natureza.

“Embora seja possível que existam processos ainda não compreendidos que possam levar à formação desses minerais, podemos avançar na possível nova interpretação no campo recentemente emergente: tecnoassinaturas.”

Se um mineral é encontrado naturalmente na Terra, isso o torna parte da bioassinatura do planeta. Se um mineral ou produto é manufaturado, isso o torna parte de nossa assinatura tecnológica. Uma vez que heideíta e brezinaíta só existem em laboratórios da Terra, isso os coloca em nossa tecnoassinatura – e quaisquer civilizações alienígenas procurando vida em torno de outras estrelas procurando por tecnoassinaturas poderiam pegar seus sinais. Embaid então especula – e se a heideíta e a brezinaíta não puderem ocorrer na natureza? Isso significa que outras civilizações também estão fazendo isso. Se for esse o caso, como eles entraram nos muitos meteoritos que os contêm?

“(Eles) provavelmente pertencem à subcategoria de “tecnologia abandonada.”

A “tecnologia abandonada” é o equipamento desatualizado ou descartado após a construção de um protótipo. De acordo com The Daily Beast, Embaid usa ‘tecnologia abandonada’ para descrever os restos de naves espaciais ou sondas há muito extintas. Um exemplo pode ser uma sonda enviada para outro sistema planetário que perdeu energia devido a um mau funcionamento, uma colisão com uma rocha espacial ou desgaste normal, anormal ou imprevisto. Também pode se referir a uma espaçonave, com uma tripulação viva ou robótica, que sofreu o mesmo destino e acabou se separando.

Se qualquer uma dessas “tecnologias abandonadas” passasse perto o suficiente da Terra ou estivesse em rota de colisão com o planeta, elas poderiam facilmente cair na superfície como meteoritos. Se essas tecnologias contivessem heideíta ou brezinaíta, esses metais seriam incorporados a qualquer que fosse a aparência dessa tecnologia depois de viajar milhões de quilômetros pelo espaço, talvez por milhões de anos.

Se tudo isso soa vagamente – ou mesmo muito – familiar, é semelhante aos argumentos apresentados por Avi Loeb recentemente sobre dois objetos interestelares confirmados que caíram na Terra recentemente e separadamente nos oceanos Pacífico e Atlântico … dois objetos cujos fragmentos Loeb está despendendo esforços de busca para encontrar na tentativa de determinar se eles também poderiam ser “tecnologias abandonadas” de outra civilização avançada. Este também é o mesmo argumento que Loeb fez inúmeras vezes sobre ‘Oumuamua, o objeto interestelar em forma de charuto que passou pela Terra em 2017 antes de dar uma volta apertada ao redor do Sol e voltar para regiões desconhecidas.

“Se muitas tentativas forem feitas e essa hipótese ainda não for descartada, podemos começar a nos perguntar sobre a possibilidade de que esses minerais tenham sido produzidos por processos industriais – em outras palavras, que sejam tecnoassinaturas.”

Jacob Haqq-Misra, astrobiólogo do Blue Marble Space Institute of Science em Seattle, concorda com Embaid. Ravi Kopparapu, especialista em pesquisa de assinaturas tecnológicas no Goddard Space Flight Center da NASA em Maryland, é provavelmente mais representativo da comunidade científica em geral quando disse ao The Daily Beast:

“A credibilidade é robusta apenas quando experimentos adicionais são conduzidos e verificados independentemente, de que não são naturais.”

Qual projeto será mais difícil – encontrar fragmentos de meteoritos no fundo do oceano para ver se eles contêm heideíta ou brezinaíta… ou provar que esses metais só podem ser feitos sinteticamente, potencialmente provando que são de uma civilização extraterrestre avançada?

Enquanto esperamos que uma coisa ou outra aconteça, não custa nada adicionar heideíta e brezinaíta à lista de tecnoassinaturas que estão sendo procuradas na busca por inteligência extraterrestre.

Paul Seaburn

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!