web analytics
Tempo de leitura: 5 min.

A questão dos OVNIs pode unir o mundo? (Opinião)

Tempo de leitura: 5 min.

Em grandes partes do mundo, há conflito e polarização. No Ocidente, mais pessoas parecem experimentar uma crise existencial. Poderia o objetivo comum de entender o fenômeno OVNI e suas implicações existenciais aumentar a confiança entre os países e um senso de significado entre as pessoas?

[Este artigo é publicado aqui para meramente cumprir a missão do OVNI Hoje, e este site não concorda nem discorda das afirmações contidas no mesmo.]

A questão dos OVNIs pode unir o mundo? (Opinião)

Por JT
Nossa atual ordem mundial está percorrendo um caminho precário. Existem muitas variáveis ​​associadas às atuais tensões e divisões no mundo. Neste artigo, no entanto, minha afirmação é que a variável mais relevante a ser abordada é a falta de confiança dentro e entre as sociedades. Essa falta de confiança geral tem várias explicações, mas acredito que a principal razão subjacente é que mais pessoas experimentam um baixo senso de coerência (cunhado pelo sociólogo médico Aaron Antonovsky).

A primeira metade deste artigo descreve o conceito de senso de coerência (de sigla em inglês, SOC) de Antonovsky e a segunda metade descreve como o SOC se relaciona com a questão dos OVNIs.

O SOC compreende três elementos: compreensibilidade, capacidade de gerenciamento e significância. Antonovsky definiu os três elementos como:

“… uma orientação global que expressa até que ponto se tem um sentimento de confiança penetrante, duradouro, embora dinâmico, de que (1) os estímulos de seus ambientes internos e externos no curso da vida são estruturados, previsíveis e explicáveis; (2) os recursos estão disponíveis para atender às demandas colocadas por esses estímulos; e (3) essas demandas são desafios, dignos de investimento e engajamento.”

(Antonovsky A. Desvendando o mistério da saúde. Como as pessoas gerenciam o estresse e se mantêm bem. San Francisco: Jossey-Bass, 1987, p. 19)

Assim, a compreensibilidade (1) é o componente cognitivo do SOC. “A pessoa com pontuação alta no senso de compreensão espera que os estímulos que encontrar no futuro sejam previsíveis, ordenados e explícitos” (Lindström, B & Eriksson, M, “Salut.ogenesisJ Epidemiol Community Health 2005; 59: 440– 442).

A gerenciabilidade (2) é a medida em que uma pessoa percebe “que estão à sua disposição recursos adequados para atender às demandas colocadas pelos estímulos que os bombardeiam” (Lindström & Eriksson, 2005). Recursos referem-se tanto a recursos internos (habilidades cognitivas de uma pessoa, traços de personalidade, etc.) A gerenciabilidade é o componente comportamental do SOC.

O componente mais importante do SOC é o significado (3), o elemento emocional e motivacional do SOC.

Lindström e Eriksson (2005) resumem muito bem:

“A significância refere-se à medida em que uma pessoa sente que a vida faz sentido emocionalmente, que problemas e demandas valem a pena investir energia, são dignos de compromisso e engajamento, vistos como desafios e não como fardos. Este é o componente motivacional do SOC.”

Acredito que a maioria das pessoas que lê este artigo pode concordar que é razoável supor que mais pessoas no mundo de hoje do que há 40 anos experimentam um nível mais baixo de compreensão, capacidade de gerenciamento e, portanto, um nível mais baixo de significância (ou como algumas pessoas chamam é “a crise existencial da economia global”).

A suposição de níveis mais baixos de SOC na ordem mundial atual é razoável simplesmente porque a sociedade atual é mais complexa e, sobretudo, mais fluida e incerta. Outra maneira de colocar isso é que as gerações mais jovens têm escolhas menos claras e estruturadas a fazer sobre o que fazer com suas vidas. Acrescente a isso, a confusão da população adulta sobre o que e como orientar as gerações mais jovens neste mundo complexo e futuro incerto. Em certo sentido, estamos todos perdidos e confusos sobre o que chamamos de “vida”. Ninguém sabe realmente como lidar com a vida (que, em última análise, é sobre o bem-estar humano).

Esse tipo de desorientação e falta de clareza sobre os próprios valores e as expectativas da sociedade quase inevitavelmente levará a uma “pandemia” de falta de sentido. “O que eu, como indivíduo, posso fazer para tornar a sociedade um lugar melhor?” tornou-se, para muitos, uma questão difícil de considerar. “Por onde devo começar?” há tantos problemas na sociedade e crises no mundo!

Um problema com a atual ordem mundial – ou a economia global – é sua ênfase unilateral no indivíduo. Acredito que a era do individualismo (pelo menos em sua forma atual) deve ser substituída, ou complementada, por um senso mais forte de comunidade. Como indivíduos, precisamos sentir que somos parte de algo maior e perceber que um foco estreito no interesse próprio é inadequado para desenvolver resiliência contra as mudanças e reviravoltas imprevisíveis da vida (ou seja, experimentar altos níveis de SOC mesmo diante de adversidade).

Cada indivíduo tem a responsabilidade de criar a vida que deseja viver, mas ninguém pode fazer tudo sozinho.

Os humanos podem fazer o impossível quando se unem e se agragam em torno de um objetivo comum (há exemplos construtivos e destrutivos ao longo da história).

Mas um senso de comunidade mais forte, um nível mais alto de confiança e solidariedade dentro e entre grupos/sociedades/culturas, terá a consequência de colocar as regras e valores coletivos acima do individual (em essência, para restringir o interesse próprio). Por outro lado, como o ser humano é um animal profundamente social e em alto grau formado pela convivência em grupo (família, organização, sociedade etc.), nunca existiu e nunca existirá um indivíduo com liberdade “absoluta” ou uma autonomia “absoluta” (talvez os psicopatas cheguem mais perto do egoísmo desenfreado).

Este é, naturalmente, o antigo dilema sobre o coletivo versus o individual, a maioria versus a minoria, sobre o qual Platão e Aristóteles refletiram e tentaram resolver. Embora nem Platão nem Aristóteles favorecessem a democracia (como eles a entendiam), acredito que deve haver uma maneira de equilibrar os direitos individuais e o bem comum. No entanto, temo que tenhamos chegado a um ponto em nosso caminho atual que exigirá grandes sacrifícios de preferências individuais (não necessariamente direitos individuais) por um mundo melhor para todos. Não menos importante para as gerações futuras.

Agora, o que tudo o que foi dito acima tem a ver com a questão dos OVNIs potencialmente unindo o mundo e/ou aumentando o senso de coerência (SOC) entre a população mundial?

Para o bem da discussão, vamos presumir que o mundo eventualmente (meu palpite é dentro de sete anos) terá evidências indiscutíveis de que alguns OVNIs não são tecnologia feita pelo homem. Em nível de grupo, podemos prever como a população mundial reagiria ao anúncio de que não apenas não estamos sozinhos no universo, mas também que “eles” (pela falta de um termo mais preciso) estão aqui?

Obviamente, é muito difícil prever, mesmo em nível de grupo. As reações dentro e entre diferentes sociedades e culturas provavelmente variam da euforia ao puro terror. Talvez Luis Elizondo, o ex-gerente do estudo secreto de OVNIs do Pentágono “Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais” (AATIP), esteja fazendo algo quando acha que a reação geral será “sombria”? Na entrevista abaixo de Curt Jaimungal, você pode ouvir Elizondo esclarecendo o que ele quer dizer com “sombrio” (vá para a marca de 1h:28 min.).

[Para instruções de como ativar a legenda em português do(s) vídeo(s) abaixo, embora esta não seja precisa, clique aqui.]

Seja qual for a maneira como as pessoas do mundo reagirão a alguns OVNIs que representam algo “de outro mundo” (pela falta de um termo melhor), acredito que a reação tem o potencial de unir as pessoas sobre diferenças irrelevantes na cor da pele, orientação sexual, religião, ideologia, etc. Mas apenas com a condição de que as pessoas estejam mental e emocionalmente preparadas para a possibilidade da Terra ser visitada por “eles”.

Desde dezembro de 2017, estamos em uma fase de preparação para as “grandes notícias” sobre a origem e a natureza do fenômeno OVNI, e isso aumentou este ano com a audiência do Congresso dos EUA sobre a questão OVNI. No entanto, a preparação parece não atingir o suficiente da população mundial para que a questão dos OVNIs se torne um tópico importante em torno da mesa de jantar em casa, no trabalho, etc.

Meu ponto é que as pessoas precisam refletir e discutir as implicações da Terra ser visitada por “outros”. Seria até útil ter a conversa em um nível hipotético. Para conectar meu ponto ao SOC, acredito que as pessoas (talvez não a comunidade ovnilógica) precisam de um aumento gradual de seu nível de compreensibilidade, capacidade de gerenciamento e significado relacionado às implicações sociológicas, econômicas, científicas, políticas e existenciais do fenômeno OVNI real e que “eles” estão aqui (este último para começar como um cenário teórico). Essa é provavelmente a intenção por trás da atual fase de preparação, mas, novamente, não parece funcionar.

Por que um reforço gradual do SOC é importante? Porque a alternativa é um “choque ontológico”, como disse certa vez o falecido professor de psiquiatria de Harvard, John Mack. Um choque ontológico pode diminuir o SOC com o resultado, por exemplo, de maior frequência de ansiedade e depressão e, talvez, um aumento na tensão e polarização da sociedade. Em vez disso, um fortalecimento gradual do SOC poderia facilitar a reflexão e a conversa sobre o que realmente importa na vida, como queremos tratar uns aos outros, o que é uma boa sociedade e assim por diante. A consciência da existência dos “outros” pode aumentar a consciência de nossos valores ridículos (status, riqueza e poder) e narcisismo (“os humanos são o centro do universo”). Será que o espelho nos erguerá, incutirá uma sensação aguda de ter que mudar nossos valores e comportamentos?

Podemos até pensar sobre o que significa ser humano e se nossas semelhanças são maiores que nossas diferenças?

Para resumir, acredito que um fortalecimento gradual da maneira das pessoas pensarem, lidarem e criarem significado para a questão dos OVNIs e suas implicações existenciais poderia facilitar novas perspectivas sobre o que realmente importa na vida. As reflexões e conversas resultantes sobre as implicações podem aumentar a confiança e a solidariedade dentro e entre grupos, sociedades e culturas.

Em vez de perguntar “o que posso fazer para melhorar meu status e aumentar minha riqueza”, devemos olhar ao nosso redor e perguntar “o que podemos, como coletivo, fazer para tornar mais fácil para todos viver uma vida significativa?” Este último requer um equilíbrio delicado entre as regras e valores coletivos (restringir o interesse próprio) e os direitos individuais (aumentar o bem-estar dos indivíduos).

Esperamos que as reflexões e conversas sobre a questão dos OVNIs e suas implicações possam unir a humanidade sobre certos valores comuns e manifestá-los no comportamento. Quais deveriam ser esses valores comuns – ou se tal convergência é mesmo possível ou desejável – vai além da minha compreensão atual da “natureza” humana e do insight metaético (o que constitui julgamentos morais?, como podemos adquirir e justificar o conhecimento sobre conceitos morais? , etc).

Como o reforço gradual do SOC (ou como melhorar a fase de preparação atual) poderia ser implementado é uma questão para outro artigo.

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!