web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

A hipótese da simulação é uma ilusão perigosa

Tempo de leitura: 3 min.

A matriz da nossa realidade está falhando. Pelo menos parece estar, dado o absurdo dos acontecimentos atuais. Às vezes parece que algum palhaço do futuro, ou talvez uma criança alienígena, está brincando com o tecido da sociedade para ver onde tudo vai desmoronar. Da política às pandemias e à guerra, parece que nada está dando certo.

A hipótese da simulação é uma ilusão perigosa

Por Marcelo Gleiser

Calvinismo com um toque moderno

Então, sim, se vivemos em uma simulação, nossos mestres de marionetes são criaturas verdadeiramente malignas. Que tipo de experimento social de alto nível é esse? No entanto, talvez não vivamos em tal simulação. Talvez a humanidade só precise revisar seus padrões morais antes de entrar em autocombustão em um sopro de raiva.

Para a maioria das pessoas que tentam ganhar a vida, pagar contas ou combater uma doença, parece ridículo gastar tempo considerando que nossa realidade não seja “real”, mas sim uma simulação altamente sofisticada. Alguém próximo a mim recentemente me disse sobre esse assunto: “Gostaria que pessoas inteligentes se concentrassem nos problemas do mundo real e não nesse absurdo”.

Eu simpatizo com essa visão, embora eu use simulações em minha própria pesquisa científica. Colocar a culpa da bagunça atual em poderes além de nós parece uma grande desculpa. Não é muito diferente do aforismo antigo, “é a vontade de Deus”. Não é nossa culpa, não é nossa responsabilidade; “eles” estão fazendo isso conosco.

É claro que os filósofos consideram tais ideias porque são interessantes. Eles levantam questões sobre a natureza da realidade e nossa percepção dela. A questão de saber se estamos vivendo em uma simulação vem de um artigo de 2003 do filósofo de Oxford, Nick Bostrom, que raciocinou, de forma convincente, que, dada nossa própria proficiência com computadores e realidade virtual, uma das seguintes proposições deve ser verdadeira:

  1. É muito provável que a espécie humana seja extinta antes de atingir um estágio “pós-humano”;
  2. É extremamente improvável que qualquer civilização pós-humana execute um número significativo de simulações de sua história evolutiva (ou variações dela); e
  3. Estamos quase certamente vivendo em uma simulação de computador.

Em outras palavras, ou desaparecemos, ou nossos sucessores não fazem simulações, ou eles fazem simulações e estamos vivendo em uma.

O ponto de Bostrom é que, se nossa espécie passar para uma nova fase pós-humana, nosso “novo nós” terá poderes computacionais inimagináveis ​​– executar simulações realistas será normal para eles. Se for esse o caso, somos como personagens de um jogo super avançado de Sims, acreditando que temos autonomia quando, na verdade, somos marionetes nas mãos dos jogadores.

Isso soa muito como uma visão calvinista do Universo, com o papel de Deus desempenhado por jogadores hiperinteligentes. Ou talvez possamos chamá-los de Super Advanced Gaming Entities (SAGEs)?

Nossos destinos, então, estão nas mãos de entidades pós-humanas com poderes além do nosso controle. A principal diferença entre Deus e uma simulação (pelo menos neste contexto estreito) é que Deus é presumivelmente infalível, enquanto as simulações podem ter falhas. Bem, o argumento de que vivemos em uma simulação tem algumas falhas.

Apenas o primeiro simulador é gratuito

Uma dessas falhas é que não há razão para interromper a simulação em uma espécie pós-humana super avançada (ou alienígena). Pode muito bem ser que nossos simuladores estejam sendo simulados por simuladores ainda mais avançados, e aqueles por outros ainda mais avançados, ad infinitum. Quem é o primeiro simulador?

Isso me lembra o conceito de “tartarugas até o fim” de Anavastha na filosofia indiana, onde o mundo repousa sobre um elefante que repousa sobre uma tartaruga que repousa sobre uma tartaruga, e assim por diante. No Ocidente, podemos nos referir a isso como regressão infinita, ou o problema da Primeira Causa. Isso oferece pelo menos algum tipo de conforto, já que o Primeiro Simulador deve escravizar todos os nossos simuladores. Apenas o Primeiro Simulador é realmente gratuito. Soa familiar?

Para que o argumento de Bostrom funcione, uma suposição chave é que as inteligências avançadas terão interesse em simular seus ancestrais – neste caso, nós. Por que eles, exatamente? Eles esperariam obter novas informações sobre sua realidade olhando para seu passado evolutivo? Parece-me que sendo tão avançados, eles teriam coletado conhecimento suficiente sobre seu passado para deixá-los com pouco interesse nesse tipo de simulação. Olhar para a frente irá interessá-los muito mais. Eles podem ter museus de realidade virtual, onde podem ir e vivenciar a vida e as tribulações de seus ancestrais. Mas uma simulação completa e consumidora de recursos de um universo inteiro? Isso soa como um colossal desperdício de tempo e energia.

Uma ilusão perigosa

O argumento da simulação mexe com nossa autoestima. Conclui que não temos livre arbítrio, que somos apenas marionetes enganados em pensar que somos livres para fazer escolhas. Acreditar nisso é abrir mão do nosso senso de autonomia. Afinal, se é tudo um grande jogo que não podemos controlar, por que se incomodar? “Deixe o mundo ir para o inferno, como está agora. Não podemos mudar isso de qualquer maneira.

Este é o perigo com esse tipo de argumento filosófico – ele ameaça realmente nos transformar no que está afirmando que somos, de modo que abdiquemos do nosso direito de lutar pelo que acreditamos e mudar o que deve ser mudado.

Certifiquemo-nos de não confundir argumentos filosóficos com nossa realidade sócio-política muito real, especialmente agora. Precisamos de toda autonomia que pudermos reunir para proteger nossa liberdade de escolha e crescer moralmente para podermos salvar nosso projeto de civilização. Matar os nossos é o tipo mais baixo de selvageria em que podemos afundar. Nossa realidade não é uma simulação. Simplesmente reflete nosso fracasso em evoluir moralmente como espécie.

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!