Tempo de leitura: 3 min.

Alienígenas podem nos deixar mensagens usando seus planetas

Tempo de leitura: 3 min.

Por décadas, os astrônomos vasculharam o céu em busca de qualquer sinal que pudesse indicar a existência de uma civilização alienígena em algum lugar do universo, mas até agora sem resultados positivos.

Alienígenas podem nos deixar mensagens usando seus planetas
Crédito da imagem ilustrativa; depositphotos

Os vários projetos SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) vasculharam a radiação eletromagnética no cosmos em busca de transmissões de rádio e outros sinais possíveis, e desde a descoberta dos primeiros exoplanetas, os cientistas também têm estado muito atentos a qualquer indicação de vida inteligente, não humana.

Agora, um estudo recente submetido à publicação Monthly Notices of the Royal Astronomical Society – embora já disponível no portal arXiv – sugere uma possibilidade original e surpreendente de encontrar evidências de civilizações extraterrestres: que deixaram um rastro inconfundível de sua presença usando sistemas de exoplanetas.

Segundo os autores do estudo, Matt Clement – ​​cientista planetário e astrofísico do Carnegie Laboratory of Earth and Planets – e Sean Raymond – astrofísico do Bordeaux Astrophysics Laboratory – se tudo parece indicar que civilizações avançadas são raras no universo, portanto as chances de alguma coincidir com a nossa no tempo são extremamente remotas. No entanto, uma maneira de uma civilização alienígena deixar um rastro de sua existência que duraria milhões ou mesmo bilhões de anos – facilitando assim sua descoberta – seria alterando sistemas planetários como um sinal inconfundível para outras civilizações galácticas.

E o lugar para o qual devemos voltar todos os olhos, segundo Clement e Raymond, são esses sistemas planetários de ‘cadeia ressonante’. Isso significa que em um sistema de cadeia ressonante, cada par de planetas vizinhos está em ‘ressonância orbital’.

Vamos dar um exemplo: em um sistema com dois planetas em ressonância 2:1, o planeta interno completa duas órbitas no tempo em que o externo completa apenas uma.

Os autores explicam:

“Em uma longa cadeia de ressonâncias 2:1, os períodos orbitais relativos dos planetas são (de dentro para fora): 1, 2, 4, 8, 16, etc. Essa é uma sequência reconhecível, mas não é ‘antinatural’.”

Em Júpiter, por exemplo, suas três grandes luas mais internas – Io, Europa e Ganimedes – formam uma cadeia ressonante de 1, 2, 4. Outros exemplos de sistemas ressonantes são o sistema exoplanetário HR 8799 – com cadeia 1, 2, 4 , 8 – ou o sistema Trappist-1, que tem sete planetas.

Uma indicação de que encontramos um sistema artificialmente ‘alterado’ por uma civilização alienígena, segundo Clement e Raymond, seria detectar um que mostrasse cadeias de ressonância que seguem os seguintes padrões: 1) Inteiros consecutivos [1, 2, 3, 4 , 5, 6, 7, etc]; 2) Números primos consecutivos [1, 2, 3, 5, 7, 11]. 3) Sequência de Fibonacci [1, 1, 2, 3, 5, 8, 13…]; 4) Sequência de Lazy Catererer [1, 4, 7, 11, 16].

Os autores informaram:

“Escolhemos essas séries porque achamos que elas nunca se formaram na natureza. Os processos que moldam os sistemas planetários formam muitas ressonâncias simples (como 2:1), mas apenas muito poucas mais complexas (como 8:5). Assim, mesmo que um determinado sistema tenha uma ou duas ressonâncias incomuns (como as ressonâncias 8:5 e 5:3 entre os três planetas mais internos de Trappist-1), é improvável que qualquer sistema siga uma sequência matemática completa. Na verdade, os planetas externos de Trappist-1 contêm uma mistura de ressonâncias 3:2 e 4:3.”

Para uma civilização suficientemente avançada não deveria ser um problema alterar as órbitas planetárias
Resta determinar como uma civilização poderia alterar as órbitas planetárias de um sistema, embora os autores considerem que isso não deve ser um problema para uma civilização suficientemente avançada.

Para verificar se essas mudanças nas órbitas seriam mantidas ao longo do tempo, os cientistas realizaram simulações computacionais avançadas e confirmaram que todas as cadeias ressonantes seriam mantidas mesmo bilhões de anos depois, com exceção da sequência de inteiros consecutivos, cuja órbita tornou-se instável após 6.000 milhões de anos. Segundo os autores, com essas indicações os astrônomos poderiam ter um ‘guia’ para saber quais ‘anomalias’ orbitais procurar.

A questão mais importante, na sua opinião, é a seguinte: “O que faremos se encontrarmos um?”

(Fonte)


Muitos cientistas continuam dando “murro em ponta de prego”, vindo com ideias mirabolantes e absurdas para encontrar civilizações alienígenas. Enquanto isso, formas realmente práticas de determinar a existência de outras civilizações no Universo são ignoradas e até mesmo zombadas pela maioria deles. Uma forma, por exemplo, seria estudar com rigor científico o fenômeno OVNI que ocorre aqui mesmo no nosso planeta (algo que o astrofísico Avi Loeb já deu início com seu novo projeto).

Mas devemos lembrar que o fenômeno OVNI pode não ser necessariamente causado por raças de alienígenas visitando o nosso planeta, mas se determinarmos que não é, mas quem realmente são responsáveis por ele, pelo menos poderá nos dar uma pista para prosseguirmos.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!
hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!