Alguns encontros e abduções alienígenas muito bizarros no Brasil

Tempo de leitura: 6 min.

O fenômeno de abdução alienígena permeou o campo OVNI por algum tempo. Existem inúmeros relatos de pessoas sendo levadas e submetidas aos caprichos dessas entidades além da nossa compreensão. Muitos desses são um tanto estranhos, e do Brasil temos uma seleção de casos de encontros e abduções muito estranhos por algumas criaturas realmente bizarras.

Alguns encontros e abduções alienígenas muito bizarros no Brasil

Em uma noite de junho de 1967, cinco homens saíram para pescar em um lago isolado na região de Morro Branco, Ceará, Brasil. A noite começou bastante pacífica, mas a certa altura o silêncio foi interrompido por um zumbido baixo que se tornou tão intenso que chegou a machucar seus ouvidos. O som parou e recomeçou alguns minutos depois, e eles não conseguiram descobrir de onde poderia estar vindo. Eles se levantaram para olhar ao redor, aquele zumbido estranho vindo intermitentemente e ficando cada vez mais intenso, e eles finalmente descobriram que parecia vir de trás de uma colina próxima.

Enquanto tentavam descobrir o que fazer, eles viram vários feixes de “luz de cor esfumaçada” perfurando o ar por trás da colina como holofotes, que pareciam aumenter de brilho e escurecer. Isso foi o suficiente para assustar os homens e fazer com que eles pegassem suas coisas para ir embora. Porém as coisas só ficariam mais estranhas a partir daí.

Ao saírem, um deles parou de repente, sacou um revólver, apontou-o para os outros e ordenou que subissem o morro de onde saíam aqueles misteriosos raios de luz. Eles a princípio pensaram que ele estava apenas brincando com eles, mas ele então disparou um tiro de advertência para o ar e disse-lhes que era muito sério e que definitivamente os mataria se não fizessem o que disse.

A essa altura, eles podiam notar que o homem com a arma parecia estar em uma espécie de transe, e seus olhos tinham um brilho estranho e leve, o que tornou toda a situação surreal e assustadora o suficiente para que eles decidissem obedecer.

Enquanto subiam a colina, o homem com a arma parava esporadicamente para gritar para um grupo invisível que eles estavam a caminho. Ao chegarem ao topo da colina, eles viram a fonte daquele estranho zumbido.

A pesquisadora de OVNIs Irene Granchi escreveria sobre o que viu em “UFOs and Abductions in Brazil”:

“Ao chegarem ao topo da colina, viram um enorme objeto que pairava a cerca de dez metros acima do solo. Era redondo, fosforescente, de um tom verde claro e tinha barbatanas saindo de cada lado. Media cerca de 5 metros de cima para baixo. No alto, via-se uma escotilha quadrada de ripas, cravejada de funis, de onde surgiram todas aquelas luzes multicoloridas. A luz prateada cobriu o chão em toda a área ocupada pelo objeto. Projetando-se do fundo e descendo até cerca de 30 cm do solo, podia-se ver um tubo (cilindro) de cerca de 1 metro de largura com uma espécie de porta oval na extremidade inferior. De repente, os olhos dos homens ficaram desfocados e eles se viram deitados em algum tipo de mesa que parecia ser acolchoada com algo como espuma de borracha que era muito macia. Todos os homens estavam deitados em camas semelhantes. Ouviu-se uma voz, que aparentemente vinha de uma lâmpada azul avermelhada no teto, que tilintava e ecoava dentro da cabeça dos homens.

Essa voz misteriosa aparentemente disse a eles para ficarem calmos e não terem medo, o que estranhamente parecia banir um pouco do medo.

Olhando ao redor, eles viram que a sala era desprovida de janelas ou portas, completamente branca, e com paredes lisas que emanavam uma luz suave, e em uma parede havia um “painel cheio de pequenas linhas cruzadas em posição paralela ou oblíqua”. Quando os homens pediram às entidades invisíveis que se mostrassem, a voz recusou, afirmando que eles eram muito diferentes dos humanos e que apenas os assustariam. A voz então explicou que havia seis deles, que viviam cerca de 300 anos e que controlaram seu amigo usando “ondas de luz”.

Depois disso, todos eles acordaram de repente na colina onde haviam começado e descobriram que a todos faltava um item pessoal, incluindo a arma com a qual seu amigo os havia ameaçado.

O que estava acontecendo aqui?

Em outro caso, na tarde de 4 de maio de 1969, um soldado de 24 anos de nome José Antonio da Silva estava pescando em uma lagoa em Bebedouro, Minas Gerais, Brasil, quando ouviu movimento nos arbustos próximos, seguido por uma dor intensa na perna que o fez cambalear e cair.

Enquanto cambaleava de dor e olhava ao redor, ele podia ver duas figuras do tamanho de uma criança ali, vestidas com roupas metálicas brilhantes e usando capacetes. Essas duas entidades então o agarraram e começaram a arrastá-lo em direção a um objeto estranho como um cilindro vertical, com plataformas pretas em cada extremidade, onde pararam para colocar um capacete no aterrorizado homem, antes de empurrá-lo para dentro da nave, deixando-o em uma sala brilhantemente iluminada. Ali, os seres o amarraram a uma cadeira metálica e tiraram seus capacetes para revelar-se algum tipo de criatura peluda parecida com um anão com rostos ligeiramente parecidos com macacos e cabelos compridos até a cintura que eram avermelhados e ondulados.

Esses seres estranhos tagarelavam uns com os outros em uma língua alienígena gutural, e depois disso havia a sensação de que a nave estava se movendo, após o que eles pararam e uma versão mais alta das criaturas estava diante dele. Este era aparentemente o líder deles, e usava gestos e desenhos para se comunicar com ele, perguntando sobre armas da Terra, enquanto mais criaturas examinavam suas roupas e equipamentos de pesca.

Da Silva também recebeu um copo em forma de cubo com um líquido verde espesso para beber, com isso revigorando-o um pouco. O líder do estranho grupo então pediu a ele para ser um emissário entre eles e os humanos, e quando ele recusou a entidade ficou com raiva e arrancou o rosário de seu pescoço. Ele então rezou e teve uma visão de uma figura vestida, depois que ele foi vendado e a próxima coisa que soube é que estava em um campo de Bebedouro para Vitória, 320 quilômetros de onde ele havia começado. Ele logo descobriria que quase 5 dias haviam se passado, embora parecessem apenas algumas horas.

O que aconteceu com esse homem e como ele acabou ficando tão longe de onde começou?

Em nosso próximo caso, em 23 de junho de 1976, Paulo Coutinho, de 18 anos, morador de Aricanduva, São Paulo, foi para a escola noturna mas nunca voltou para casa. Uma busca policial foi iniciada, mas eles só conseguiram encontrar seus livros e papéis escolares espalhados pela rua. À medida que sua família ficava cada vez mais em pânico, ouviu-se um gemido no quintal, e eles abriram a porta para encontrar Paulo deitado nos degraus em uma espécie de transe atordoado. Seu corpo estava muito frio ao toque, como se ele estivesse fora de casa há algum tempo, e quando ficou lúcido o suficiente para falar tinha uma história muito estranha para contar.

Paulo explicou que no dia em que desapareceu, ele ouviu um assobio estranho enquanto voltava para casa da aula. Quando ele olhou para cima, ele alegou que tinha visto uma luz estranha se movendo pelo céu, após o que de repente descobriu que seu corpo estava paralisado e ele não conseguia se mover. A luz então se apagou e apareceu um ser baixinho com uma grande cabeça calva e com olhos grandes e orelhas pontudas, boca pequena e nariz arrebitado “como o de um porco”, vestido com uma roupa apertada de cor cinza azulada com uma emblema no peito.

Paulo disse que então flutuou no ar em direção a um enorme objeto em forma de charuto, com cerca de 200 metros de comprimento e com uma cor que passou de avermelhada a metálica à medida que ele se aproximava.

Paulo alegou ter passado pelo objeto para se encontrar deitado no chão e cercado por três daqueles estranhos seres. As criaturas o levaram para uma sala sem janelas ou móveis e onde havia mais seis seres. Essas entidades falaram com ele telepaticamente, explicando que “queriam descobrir como a vida surgiu no universo” e que seu povo foi todo produzido em laboratório para propósitos específicos.

Quando ele pediu para ser levado para casa, uma das criaturas passou a mão sobre seu corpo, “iluminando-o por onde passou”, após o que um corredor vermelho apareceu e ele perdeu a consciência. A próxima coisa que se lembrou foi acordar nos degraus dos fundos da casa de seus pais.

Curiosamente, seus vizinhos relataram ter visto um OVNI na noite em que ele desapareceu e as canetas de Paulo que estavam em seu bolso foram consideradas altamente radioativas.

Passando para mais um caso bizarro, temos um relatório de 15 de setembro de 1977, na cidade de Paciência, Brasil. Neste dia, um motorista de ônibus chamado Antonio La Rubia estava supostamente caminhando para o trabalho quando avistou um objeto bastante estranho em forma de um “enorme chapéu largo” pousado em um campo, medindo impressionantes 75 metros de diâmetro.

Logo depois que ele notou a gigantesca nave misteriosa, ela atacou com um feixe de luz fino e brilhante, que pegou La Rubia e o levou para uma sala de puro branco. Dentro desta sala havia vários seres de aparência mecânica com escamas brilhantes e braços como tentáculos, bem como corpos em forma de ovo e cabeças adornadas com o que parecia ser uma antena. Em vez de pernas, as estranhas criaturas sentaram-se em pedestais rígidos de algum tipo.

Após esse encontro inicial, o assustado La Rubia afirma que gritou com as criaturas, o que parecia ter o efeito de fazê-las se encolher de medo. Ele voltou a perder a consciência e, ao acordar, diz que agora foi submetido a uma série de imagens projetadas na parede, incluindo várias cenas surreais, como um cachorro sendo derretido e um trem entrando em um túnel, cujo significado não poderia ser discernido.

Em um ponto durante essa exibição de esquisitices e coisas grotescas, um dos seres-robôs aparentemente estendeu a mão para tirar sangue de um dos dedos de La Rubia, depois espirrou o sangue em uma parede para formar um padrão de três círculos e uma forma de “L”. Nesse ponto, La Rubia afirma que perdeu a consciência mais uma vez e, quando acordou, supostamente estava de volta ao carro, vomitando e tonto por toda a provação intrigante.

Mais tarde, ele se lembraria de lutar e realmente derrubar uma das criaturas no chão, permitindo que ele escapasse.

Por fim, temos o caso estranho de Luis Carlos Serra, de 16 anos, na cidade de Penalva, no estado do Maranhão, Brasil.

Em 24 de março de 1978, Luis estava colhendo frutas perto de sua casa quando ouviu um som alto e viu uma luz brilhante acima das árvores. Antes mesmo que pudesse processar isso, ele ficou paralisado de repente e caiu de costas, completamente incapaz de se mover. Ele então começou a subir no ar em direção a um objeto redondo abobadado pairando sobre as árvores e através de uma abertura lateral, flutuando em uma sala com três seres com cerca de 1,2 metro de altura e vestindo roupas e viseiras metálicas. Essas entidades falavam entre si em uma língua estranha, mas ignoravam Luis. A nave então começou a se mover por algum tempo, após o que parou e o agora aterrorizado Luis flutuou pelo ar até uma grande e plana laje de rocha cercada por grama alta, onde as criaturas o fizeram beber um líquido amargo na boca que o fez perder consciência.

Três dias depois, alguns pescadores o encontraram desmaiado na selva e ele foi levado para um hospital. Os médicos o examinavam para descobrir que seu corpo estava rígido e catatônico, a ponto de seus membros não poderem ser movidos. Verificou-se também que sua cabeça havia sido raspada e que o cabelo parecia ter sido queimado, e picadas com agulhas e alfinetes não produziam resposta à dor. Além de tudo, quatro de seus molares haviam sido quebrados e ainda sangravam.

Durante todo o exame, Luis permaneceu insensível e catatônico, e os médicos não conseguiram descobrir o que havia de errado com ele. Não seria até uma semana depois que ele recuperou seus sentidos e estava lúcido o suficiente para contar sua história profundamente estranha.

O caso foi coberto pelo jornalista e ovniólogo americano Bob Pratt, e é difícil saber o que fazer com tudo isso.

De fato, é difícil saber o que fazer com qualquer um desses casos, e eles servem apenas para jogar mais estranheza na pilha do fenômeno OVNI e abdução alienígena em geral.

Brent Swancer

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, ajude na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!