web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Texto medieval relata rara esfera de luz perto de Londres

Tempo de leitura: 3 min.

Um dia de junho de 1195, por volta do meio-dia, algo incomum aconteceu perto da cidade de Londres. Uma nuvem escura apareceu para dar origem a uma esfera branca de luz, que caiu em direção ao rio Tâmisa, subindo e descendo em um movimento giratório.

Texto medieval relata rara esfera de luz perto de Londres
Foto de um possível esfera de luz (raio globular) na atualidade.

A observação – registrada pelo monge beneditino Gervase do Priorado da Catedral da Igreja de Cristo em Canterbury, Inglaterra – provavelmente não seria um relato em primeira mão e, de outra forma, é leve em detalhes. No entanto, pode ser a primeira menção convincente de um misterioso fenômeno meteorológico na história inglesa.

Se formos pelos relatos de testemunhas oculares, raios globulares parecem ser um equívoco. Embora comumente vistos durante tempestades, eles parecem menos como flashes maciços e explosivos e mais como pontos brilhantes e silenciosos do tamanho de uma toranja que flutuam por alguns segundos antes de desaparecerem.

Não há escassez de especulação sobre a natureza física dessas esferas brilhantes, desde a explicação mais mundana de bolhas de plasma se acumulando em superfícies isoladas, até as sugestões mais selvagens de bolhas refrativas de fótons presos.

Apenas para aumentar as frustrações de quem deseja entendê-las, os detalhes sobre a aparência e o comportamento dessas bolas variam significativamente. Algumas parecem muito maiores do que a palma de uma mão, por exemplo, até o tamanho de um pneu de caminhão em um caso.

A maioria fica em silêncio, desaparecendo com todo o fervor de uma bolha de sabão estourada. Algumas explodem violentamente. Poucas causam danos, embora existam histórias de danos e até mesmo ferimentos sofridos pelo contato com um raio globular.

Sendo tão raros e imprevisíveis, os pesquisadores confiam fortemente em histórias de diferentes culturas e ao longo da história para reunir as quantidades necessárias de dados para formar hipóteses sobre o que causa os raios globulares.

Com os relatos mais confiáveis ​​ocorrendo apenas no século passado, descobrir descrições claras de avistamentos de raios globulares em tempos passados ​​se torna ainda mais valioso. Existem descrições antigas, mas poucas são fáceis de distinguir de relâmpagos simples e antigos.

Dois pesquisadores da Universidade de Durham, o físico Brian Tanner e o historiador Giles Gasper, publicaram recentemente suas descobertas de um registro relativamente inequívoco que antecede o que havia sido o primeiro relato na Inglaterra em cerca de 450 anos.

A crônica do monge provavelmente foi escrita por volta do início do século XIII, com traduções sendo feitas ao longo do tempo e preservadas em coleções na Biblioteca Britânica e em Cambridge.

Uma dessas cópias, um texto latino editado em 1879 pelo bispo William Stubbs, foi posteriormente traduzido para o inglês por Gasper.

“No dia 7 de junho [1195], por volta da hora sexta, um sinal maravilhoso desceu perto de Londres. Pois a nuvem mais densa e escura apareceu no ar crescendo fortemente com o Sol brilhando ao redor. No meio disso, crescendo de uma abertura descoberta, como a abertura de um moinho, não sei qual [era a] cor branca [que] acabou. Que, crescendo em forma esférica sob a nuvem negra, permaneceu suspenso entre o Tâmisa e os aposentos do bispo de Norwich. De lá, uma espécie de globo de fogo se jogou no rio; com um movimento giratório, caiu uma e outra vez abaixo das paredes da casa do bispo mencionado anteriormente.”

A identidade do observador não é clara, embora seja improvável que seja o próprio monge. No ano de 1200, ele era um cronista experiente de cerca de 50 anos de idade, morador de Canterbury. Com base em escritos anteriores que incluem descrições surpreendentemente precisas de eclipses solares, podemos presumir com segurança que seu relato não é embelezado.

A descrição em si também é semelhante o suficiente a muitos relatórios modernos para ser aceita como autêntica e confiável.

Tanner diz:

“A descrição de Gervase de uma substância branca saindo da nuvem escura, caindo como uma esfera de fogo giratória e depois tendo algum movimento horizontal é muito semelhante às descrições históricas e contemporâneas de raios globulares.”

Por mais antiga que seja, a passagem foi escrita uns bons 500 anos após o atual recorde mundial para o relato mais antigo de um raio globular, escrito pelo historiador francês do século VI, Gregório de Tours, em seu livro Historia Francorum.

Nele, ele escreve:

“Uma grande bola de fogo caiu do céu e se moveu uma distância considerável pelo ar, brilhando tão intensamente que a visibilidade era tão clara quanto ao meio-dia.”

Curiosamente, Gregory observa que o evento ocorreu exatamente quando o “sino tocou para as matinas“, o que indica que aconteceu no início da manhã. Isso o torna um dos exemplos mais incomuns de raios globulares, que os relatos tendem a descrever como ocorrendo no final do dia. Mais adiante no texto, o historiador sugere que o avistamento foi um presságio para a morte do filho do rei.

O quão grande era, se ele se moveu lateralmente ou verticalmente, ou quão brilhante era, só podemos adivinhar. Tudo o que sabemos é que foi uma bola de fogo que apareceu durante a chuva, moveu-se para longe e depois desapareceu atrás de uma nuvem.

Com a descrição clara de Gervase ocorrendo por volta do meio-dia, de uma bola descendo de uma nuvem escura cercada por céu claro, girando, subindo e descendo, temos mais alguns pontos de dados que podem esclarecer as circunstâncias em que esses fenômenos estranhos podem aparecer.

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!