web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Como a OTAN está se preparando para uma guerra no espaço

Tempo de leitura: 3 min.

A Organização dos Tratados do Atlântico Norte (OTAN) emitiu uma declaração formal de política, que diz que qualquer ataque aos ativos de um membro no espaço será considerado um ataque a toda a aliança. Essa política ocorre poucas semanas depois que a Rússia colocou a ISS e sua tripulação em perigo ao testar o disparo de um míssil antissatélite e durante um período de acúmulo sem precedentes por esse governo de forças ao longo da fronteira com a Ucrânia.

Como a OTAN está se preparando para uma guerra no espaço

Formada em 1949, a OTAN é uma aliança político-militar entre dois países norte-americanos, 27 países europeus e um país euro-asiático. Nesses mais de 70 anos, o grupo funcionou como um baluarte contra a expansão indesejada da Rússia, China ou outras nações não membros que poderiam ameaçar a segurança dos membros atuais.

Na esperança de estender essa postura defensiva cooperativa aos ativos desses mesmos membros no espaço, o grupo emitiu uma política espacial classificada em 2019. Agora, o grupo atualizou essa política publicamente, com a emissão de uma nova diretiva projetada para refinar ainda mais a política do grupo na defesa dos recursos espaciais dos países membros.

A nova política diz:

“Em termos de segurança e defesa, o espaço está cada vez mais contestado, congestionado e competitivo e exige que a Aliança seja capaz de operar em um ambiente perturbado, negado e degradado. As capacidades espaciais dos aliados podem se tornar um alvo de alta prioridade, dadas as vantagens que os sistemas espaciais fornecem em conflito e a dependência dos aliados desses sistemas para permitir as operações.”

A política então resume a gama de capacidades mostradas por adversários estrangeiros, incluindo “uma gama diversificada de capacidades contra-espaço para interromper, degradar, enganar, negar ou destruir capacidades e serviços em que os Aliados – e a Aliança – podem criticamente depender“.

Por exemplo, a política também observa que esses recursos adversários podem:

  • Manter ativos espaciais em risco, complicando assim a capacidade da OTAN de tomar medidas decisivas em uma crise ou conflito.
  • Negar ou degradar as capacidades espaciais dos Aliados e da OTAN essenciais para a gestão do espaço de batalha e a consciência situacional e a capacidade de operar efetivamente em uma crise ou conflito.
  • Criar impactos nos sistemas espaciais dos Aliados que sejam prejudiciais ou perturbadores para a vida econômica ou pública e violem o princípio do uso livre do espaço, mas que estejam abaixo dos limites de ameaça de força, uso de força, ataque armado ou agressão.

A política aponta:

“Vale ressaltar que tanto os segmentos espaciais (satélites) quanto os terrestres (estações terrestres e lançadores), bem como as ligações entre eles, podem ser alvos de tais capacidades.”

O mesmo documento também destaca os principais inquilinos operacionais da nova política que orientará a resposta da OTAN a qualquer ameaça aos ativos de nações membros ou mesmo de nações não membros que ameacem a paz mundial. Eles são:

  • O espaço é essencial para a dissuasão e defesa coerentes da Aliança.
  • O espaço é um ambiente inerentemente global e qualquer conflito que se estenda ao espaço tem o potencial de afetar todos os usuários do espaço. Mesmo nos casos em que a OTAN não está envolvida em conflito, os sistemas espaciais dos Aliados podem ser afetados.
  • O livre acesso, exploração e uso do espaço sideral para fins pacíficos é do interesse comum de todas as nações. A OTAN e os Aliados continuarão a realizar todas as atividades no espaço sideral de acordo com o direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas, no interesse de manter a paz e a segurança internacionais e promover a cooperação e o entendimento internacionais.
  • O espaço não está sujeito à apropriação nacional por reivindicação de soberania.
  • Os aliados manterão jurisdição e controle sobre seus objetos no espaço, bem como total autoridade e soberania sobre suas capacidades e recursos espaciais.
  • Considerando que a Aliança não pretende desenvolver capacidades espaciais próprias, os Aliados comprometer-se-ão a fornecer, numa base voluntária e de acordo com as leis, regulamentos e políticas nacionais, os dados, produtos, serviços ou efeitos espaciais que possam ser necessários para as operações, missões e outras atividades da Aliança.
  • A OTAN não pretende se tornar um ator espacial autônomo. A OTAN procurará complementar e acrescentar valor ao trabalho dos Aliados e envolver-se com outras organizações internacionais relevantes, conforme apropriado, evitando duplicação desnecessária de esforços.


A guerra espacial é inevitável?

O restante do documento de política abrange uma ampla gama de possíveis respostas a atividades agressivas, bem como uma série de etapas que a organização pode tomar antes que tais ações ocorram. Mas, em última análise, o documento envia um sinal aos possíveis adversários espaciais de que a OTAN está preparada para agir em qualquer agressão.

A política diz:

“Considerando que os Aliados reconheceram que o espaço é essencial para a dissuasão e defesa da Aliança, e para uma postura coerente da Aliança, a Aliança irá considerar uma série de opções potenciais, para aprovação do Conselho, em todo o espectro do conflito para dissuadir e defender-se contra ameaças ou ataques aos sistemas espaciais dos Aliados, conforme apropriado e de acordo com os princípios descritos nesta política.”

No final, parece que o aumento do acesso ao espaço, o número de países que têm ou estão desenvolvendo esse acesso e a ampla gama de métodos, letais e não letais, que adversários podem empregar contra os meios da OTAN está levando o mundo a um inevitável conflito no espaço. Como tal operação realmente se desenrolaria é desconhecido, e a nova política apenas descreve a postura da organização, não seus métodos reais para defender esses ativos, que provavelmente são confidenciais. No entanto, dado o caminho da história humana, a guerra no espaço pode ser simplesmente o próximo passo inevitável em uma história cheia de conflitos. Felizmente para os membros da OTAN, há agora uma política formal em vigor para iniciar os preparativos, e uma que pode ajudar a impedir uma guerra no espaço, assim como as armas nucleares impediram uma guerra nuclear por mais de sete décadas.

O tempo dirá para onde tudo isso vai dar, mas nas palavras de Sting, ex-líder da banda Police, vamos apenas esperar que os russos (e chineses) também amem seus filhos.

(Fonte)


Os macaquinhos beligerantes são imparáveis, e tem sido assim por toda a história humana. Difícil chegar à uma conclusão sobre o significado de todo este drama causado pelas diferentes “almas” que por aqui passam.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

Plugin Kapsule Corp

hit counter code