web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

Implicações de ser abduzido(a) por ETs

Tempo de leitura: 4 min.

Por Think Tank

Apesar do fato de que o fenômeno de abdução por OVNIs destrói a visão de mundo ocidental e nos revela como sendo totalmente desamparados, a população média aceita isso mais prontamente do que os mais culturalmente educados ou intelectualmente desenvolvidos entre nós.

Implicações de ser abduzido(a) por ETs

Não é muito claro para mim porque crescemos tão apegados às nossas perspectivas sobre o mundo. Talvez, como qualquer ideologia, uma visão científica completa de mundo forneça uma sensação de domínio e poder. O mistério e a sensação de não saber são diametralmente opostos ao desejo de manter o controle e parecem gerar tanto horror que tememos explodir, como Neil DeGrasse Tyson o fez sobre um relatório classificado da Força-Tarefa OVNI quando confrontado com um cosmos muito grande para entender. Isso pode explicar porque a elite intelectual e política de nossa cultura parece estar mais comprometida em manter a visão materialista da realidade.

A cosmovisão ocidental contemporânea teve um tremendo sucesso em suas investigações do mundo físico, descobrindo muitos de seus mistérios e aplicando esse conhecimento aos objetivos humanos. Sobrevivemos ao rigor do inverno, diminuímos o sofrimento por meio de descobertas médicas e aprendemos a nos conectar eletronicamente com pessoas que moram longe. Simultaneamente, usamos nosso conhecimento para desenvolver armas de devastação que agora podem destruir facilmente a vida como a conhecemos. Nosso uso de tecnologias modernas para extrair recursos do planeta está ameaçando o ecossistema. Somos uma espécie que perdeu contato com a natureza, enlouqueceu na busca de seus objetivos às custas de outras criaturas vivas e da terra que nos deu vida.

Reverter essa tendência será um trabalho monumental. Mesmo quando reconhecemos o perigo que criamos, os interesses arraigados que nos impedem de encontrar um equilíbrio em nossa conexão com o meio ambiente permanecem fortes. Grandes organizações corporativas, científicas, educacionais e militares consomem bilhões de dólares em mercadorias materiais e mantêm uma estagnação paralisante impossível de reverter. Para os negócios internacionais, o globo parece nada mais que um mercado massivo a ser dividido entre os empresários mais astutos.

No entanto, existem interesses psicoespirituais investidos que se opõem à mudança e podem ser muito mais poderosos do que os financeiros. Esses interesses refletem-se na crença de que os princípios físicos que conhecemos explicam tudo e que, se outras criaturas existissem no universo, elas agiriam de maneira semelhante a nós. O projeto SETI (Search for ExtraTerrestrial Intelligence – Procura por Inteligência Extraterrestre), que trabalha com a premissa de que a inteligência extraterrestre pode ser descoberta enviando ondas de rádio para o cosmos, exemplifica esse viés. A ideia de que inteligências superiores podem não escolher conectar-se conosco por meio de uma abertura técnica tão pequena ou restrita, preferindo, em vez disso, uma abertura maior de nossa consciência, não parece ter sido considerada por seus criadores.

De acordo com o filósofo Terence McKenna, “procurar ansiosamente por um sinal de rádio de uma fonte alienígena é provavelmente uma suposição tão ligada à cultura quanto procurar no cosmos por um restaurante italiano decente”.

Política

O fenômeno de abdução por OVNIs, que atinge o cerne da cosmovisão ocidental e nos mostra como sendo completamente impotentes, é mais facilmente aceito pelo público em geral do que pelos mais culturalmente educados ou intelectualmente desenvolvidos entre nós.

Pois isto é, em grande medida, a elite científica e governamental, bem como os meios de comunicação sob seu controle, que decidem o que devemos pensar que é verdade, uma vez que esses monólitos são os primeiros benfeitores da ideologia dominante.

A principal arena na qual a realidade e relevância dos fenômenos de abdução de OVNIs devem ser abordadas é, portanto, a “política da ontologia“. Antes que seu significado total para nossas vidas individuais e comunitárias possa ser cumprido, ele deve ser levado a sério e empurrado para fora dos tabloides sensacionalistas e para a corrente principal da sociedade, de modo que a mídia sofisticada esteja livre para abandonar seu tom arrogante. O fenômeno de abdução representa um desafio único para todos os governos em todo o mundo. Afinal, é função do governo proteger seus cidadãos, e as autoridades devem reconhecer que criaturas estranhas de naves que desafiam o radar invadindo nossas casas e raptando indivíduos, aparentemente em violação das regras da gravidade e do próprio espaço/tempo, causariam dificuldades especiais. Isso pode explicar porque a política oficial sobre OVNIs foi tão confusa desde o início, uma espécie de combinação confusa de negação e acobertamento que apenas alimenta as teorias da conspiração.

Existem outras ramificações políticas do fenômeno de abdução. Afinal, a política, seja municipal, nacional ou mundial, é um jogo de poder. Queremos poder para governar, controlar ou influenciar um determinado campo de atividade. A experiência de abdução, por outro lado, nos encoraja a encontrar o significado de nosso “poder” em um sentido espiritual mais profundo, demonstrando que o controle é inatingível, se não ridículo, e revelando nossa identidade maior no cosmos. O conflito étnico-nacional, que decorre em última análise do fato de que nos identificamos apenas em termos regionais paroquiais (o que Erik Erikson chamou de “pseudo-valorização”), é causa de enorme miséria e um grande perigo para a existência humana. A identidade mais global, mesmo cosmicamente ligada, implícita nos fenômenos de abdução por OVNIs pode, pelo menos, fornecer um desvio de nossas batalhas intermináveis ​​pela propriedade e controle do planeta. Na melhor das hipóteses, ele tem a capacidade de nos puxar para fora de nós mesmos e para experiências cósmicas potencialmente infinitas. Tudo isso, entretanto, depende de levar a sério os fenômenos e suas consequências.

Economia

As ramificações econômicas e políticas dos fenômenos de abdução estão inextricavelmente ligadas. A perda de um sentimento de sagrado, bem como a desvalorização da inteligência e da consciência na natureza além de nós mesmos, permitiu que os mais poderosos entre nós saqueassem os recursos da terra sem se preocupar com as gerações futuras. O crescimento sem restrições tornou-se um objetivo em si mesmo, conforme relatos de “indicadores” econômicos constantemente entoam, desconsiderando o eventual colapso que não pode estar longe se o crescimento da população humana continuar inabalável e a pilhagem do planeta continuar inabalável. Além disso, se o impulso aquisitivo (genericamente referido como “forças de mercado”) não for controlado, as desigualdades na distribuição de alimentos e outras mercadorias existentes podem piorar, dando origem a uma possível instabilidade e conflito ilimitado. O fenômeno das abduções por OVNIs não aborda diretamente este problema. Ele não nos “salva” e não irá nos “resgatar”. No entanto, parece estar intimamente ligado à natureza da ganância humana, às origens de nossa destrutividade e às repercussões de longo prazo de nossa conduta coletiva. As experiências podem ser extremamente “esclarecedoras” no sentido mais amplo para os abduzidos.

Religião

Algumas religiões estabelecidas estão particularmente preocupadas com o fenômeno de abdução por OVNIs. Reconhecendo a força e os perigos potenciais das entidades espirituais “lá fora”, organizações de pessoas humanas assumiram a tarefa de nos conduzir através das “questões últimas” da existência desde o início dos tempos. Os líderes religiosos nos ensinam sobre a natureza de Deus e decidem quais seres espirituais ou outras coisas podem existir no universo.

Uma variedade de criaturas caseiras minúsculas, mas fortes, que dispensam uma estranha combinação de dor e transcendência sem aparente respeito por qualquer hierarquia religiosa estabelecida ou dogma, podem ter pouco lugar, particularmente dentro da tradição judaico-cristã. Uma coisa é admitir que “espírito” existe no cosmos e que “não estamos sozinhos”. Outra bem diferente é o “espírito” aparecer em uma forma tão incomum e assustadora, parcialmente construída em nossa própria imagem. Na melhor das hipóteses, isso parece desconcertante e difícil de assimilar. Na pior das hipóteses, na visão polarizada do dualismo cristão, essas criaturas de olhos escuros devem parecer como amigas do Diabo (pergunte a Lue Elizondo por que ele renunciou).

As tradições religiosas orientais, como o budismo tibetano, que tradicionalmente reconhece uma ampla variedade de seres espirituais no universo, parecem ter menos problemas para aceitar a realidade dos fenômenos de abdução de OVNIs do que os monoteísmos mais dualistas, que fornecem forte oposição à aceitação.

(Fonte)



P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol