web analytics
Tempo de leitura: 5 min.

Dr. Greer: “Os extraterrestres nos consideram uma civilização problemática”

Tempo de leitura: 5 min.

Há evidências esmagadoras de visitas alienígenas à Terra, disse o Dr. Stephen Greer, diretor do Disclosure Project e do Centro para o Estudo de Inteligência Extraterrestre, ao programa RT SophieCo.

Dr. Greer: “Os extraterrestres nos consideram uma civilização problemática”
Dr. Stephen Greer.

O ovniólogo afirma que representantes de civilizações extraterrestres realizam as chamadas missões de reconhecimento há muito tempo.

Ao mesmo tempo, segundo ele, os alienígenas estão preocupados com o desenvolvimento da humanidade, em particular no que diz respeito ao desenvolvimento de armas de destruição em massa. Ao mesmo tempo, Greer acrescentou que há 25 anos trabalha na divulgação de informações ‘confidenciais’ relacionadas aos OVNIs.

Veja abaixo a entrevista com o Dr. Greer que ocorreu há poucos anos:

SophieCo: Dr. Greer, segundo o senhor, não estamos sozinhos no Universo e já houve muitos contatos entre nós e os alienígenas. Mas, para a maioria, essas declarações ainda parecerão estranhas. Como podemos provar de uma vez por todas que os alienígenas existem e já foram descobertos?

Stephen Greer: Essa é uma pergunta muito boa. Em geral, isso já foi feito. Em 2017, foi lançado o documentário “The Unrecognized” (“O Irreconhecido”). É assim chamado pela primeira palavra na expressão “projetos não reconhecidos com acesso limitado” – já que as Forças Armadas dos EUA designam programas ultra secretos relacionados a OVNIs e vida extraterrestre.

O público não é informado, querendo manter tudo em segredo por uma questão de tecnologia e macroeconomia dos petrodólares. Esse sigilo não está relacionado aos chamados alienígenas, mas à influência geopolítica e ao dinheiro. Como sempre.

SCO: Tenho algumas perguntas sobre a sua versão da cosmovisão. Em primeiro lugar: os alienígenas estão vindo até nós por um tempo ou já se estabeleceram aqui?

SG: Não, são missões de reconhecimento. Desde que começamos a testar armas atômicas, o número de visitas de civilizações extraterrestres ao nosso planeta aumentou definitivamente: eles estão claramente preocupados com nossa capacidade de destruir e nossas armas de destruição em massa. No período moderno de observações dos chamados OVNIs, seu número aumentou acentuadamente depois que desenvolvemos armas nucleares e uma bomba de hidrogênio.

Isso é um fato, e temos muitas testemunhas que estiveram envolvidas em projetos ultrassecretos e estiveram presentes em instalações nucleares onde naves alienígenas voavam para observar nossas atividades. Muitas pessoas (em particular, é claro, escritores de ficção científica) nos inspiraram com a ideia do risco de algum tipo de invasão ou ameaça alienígena.

Mas tudo é exatamente o contrário: somos considerados uma ameaça, agora a civilização humana é percebida como instável, incapaz de estabelecer a paz no planeta. Isso deveria ter acontecido depois da Segunda Guerra Mundial, mas ainda não houve mudança para melhor.

Eu acho que a inteligência extraterrestre está esperando que nossa civilização amadureça, e até então ela não tomará ações abertas, a menos que algum tipo de catástrofe aconteça.

SCO: Se alguma civilização dominou os voos interestelares, então podemos ser considerados apenas um buraco atrasado?

SG: Sim. Mas o problema é este: estamos voando para o espaço, não estamos? Temos a ISS, enviamos veículos não tripulados a Marte e, no futuro, lançaremos veículos tripulados. Nós pousamos na Lua. A propósito, meu tio ajudou a projetar o módulo lunar em que Neil Armstrong pousou.

O que estou tentando transmitir às pessoas é o seguinte: quando começamos a explorar o espaço e desenvolver armas de destruição em massa, tornou-se um sinal de que nossa civilização está em um determinado estágio de desenvolvimento e pode apresentar um problema. Acho que somos considerados uma civilização em evolução, mas ao mesmo tempo problemática.

Portanto, a principal tarefa de toda a humanidade é sair da sociedade fragmentada que parece um macaco, na qual lutamos de forma tola uns contra os outros, para o estágio de coexistência pacífica, quando voaremos para o espaço com bons objetivos. Quando alcançarmos esse marco importante, outras civilizações entrarão em contato com os humanos de forma muito mais aberta.

SCO: Na sua opinião, existe uma organização especial que mantém em segredo tudo o que diz respeito aos OVNIs. Mas os alienígenas não se limitariam apenas à América, e então as autoridades de outras potências mundiais saberiam sobre eles. Acontece que existe algum tipo de acordo internacional?

SG: Sim.

SCO: Ou são as próprias autoridades de cada país que determinam o curso no campo dos contatos com estrangeiros?

SG: Esta é uma organização transnacional. Vale a pena explicar a diferença com uma estrutura internacional como a ONU. Não existem fronteiras geopolíticas para uma organização transnacional. Por exemplo, há evidências documentais de que, no auge da Guerra Fria, a KGB cooperou nessa área com os serviços de inteligência americanos.

Portanto, esse assunto foi mantido em segredo por décadas devido aos esforços conjuntos de vários países. Mas a maior parte do trabalho é feito pelos Estados Unidos, simplesmente em virtude de seu desenvolvimento tecnológico e, deve-se admitir, a enorme influência macroeconômica.

SCO: Com base no seu livro, um documentário chamado “Sirius” começa afirmando que o sistema financeiro para os injustos, que só traz benefícios a um punhado de pessoas, deixa a classe média americana sem nada frete ao poder das petrolíferas. Talvez toda a conversa sobre OVNIs seja sua maneira de expressar extrema insatisfação com o que está acontecendo no mundo real?

SG: Não, apenas admito o fato de que nosso mundo é apenas uma pálida sombra do que poderia ser se usássemos tecnologias desenvolvidas ao longo do último meio século no âmbito de vários projetos classificados. Usamos aviões e carros, petróleo e gás, embora realmente não precisemos deles.

Poderíamos ter passado sem eles nas últimas décadas. Mas concluiu-se que a divulgação de novas tecnologias teria um efeito devastador no atual sistema macroeconômico. Esta discussão deve ser conduzida por todos juntos.

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com questões como mudanças climáticas, poluição do ar e mortes relacionadas. Esses problemas podem ser resolvidos, mas não com a ajuda da energia solar ou eólica. É necessário usar em benefício da humanidade ousadas descobertas científicas que vêm sendo estudadas há mais de uma década no âmbito de projetos ultrassecretos.

SCO: Você também disse que nem todas essas descobertas são contadas aos presidentes dos Estados Unidos. E eles até prepararam um informativo especial para Barack Obama, e também falaram perante o Congresso. Como foi tudo?

SG: Descobri que todo mundo quer saber a verdade. E é exatamente por isso que estou agora em Washington. Este é o maior segredo da Openel na história. Mesmo quando preparei pela primeira vez um informativo para o presidente Bill Clinton e o diretor da CIA, todos sabiam da existência de grandes segredos nessa área.

Por muito tempo, no entanto, nos entregamos a interesses que se tornaram muito antidemocráticos e ameaçam a liberdade mundial e até mesmo nossa própria existência na biosfera. Já disse que para os Estados Unidos esse nível de sigilo é um problema desde os dias de Eisenhower, mas ele existe também em outros países.

SCO: Se a questão dos OVNIs é mantida tão secreta que nem os presidentes sabem, por que você ainda está vivo? Por que você tem permissão para fazer documentários para a Netflix? Você está falando sobre a divulgação de uma conspiração governamental em grande escala, mas a CIA matou pessoas por menos …

SG: Três pessoas da minha equipe foram mortas, incluindo o ex-diretor da CIA … Mas eu não gostaria de entrar em detalhes. No entanto, temos medidas para proteger aquilo em que estamos trabalhando. Coletei muitos dados e, se alguma coisa acontecer comigo, será publicado na Internet, o que será um desastre para nossos oponentes. Temos usado esse mecanismo há cerca de 20 anos.

Além disso, conheci pessoas que trabalham no Pentágono e na CIA que, creio, ficariam muito felizes em publicar esta informação. Não há uma distinção clara entre “nós” e “eles”. Muitas pessoas de todo o mundo gostariam de tornar essas informações públicas.

Uma grande amiga minha, Carol Rosen, trabalhou em estreita colaboração com altos funcionários na Rússia que desejam o mesmo porque compartilham de nossas opiniões. Existem pessoas assim na China, Grã-Bretanha e Canadá. Definitivamente, há algum progresso. Mas nada acontecerá até que as pessoas entendam a gravidade da situação e vejam o potencial para resolver os problemas ambientais, de governança e econômicos em todo o mundo.

SCO: Oficiais militares e do governo têm feito declarações sobre a existência de alienígenas por cerca de 60 anos. Falei pessoalmente com o ex-Ministro da Defesa do Canadá, que me disse que muitas raças alienígenas visitam nossa Terra. Mas ninguém foi capaz de fornecer evidências tangíveis e irrefutáveis. Eu me pergunto quantas testemunhas oculares são necessárias? É realmente necessário que um disco voador pouse na Praça Vermelha ou perto do Pentágono para que todos reconheçam a existência de civilizações extraterrestres?

SG: Não, de jeito nenhum. Mas você precisa esclarecer as pessoas adequadamente sobre esse assunto. É por isso que publicamos filmes científicos populares e outros produtos. Paul Hellyer, ex-secretário de Defesa do Canadá, é um bom amigo meu. Também o atualizei e realizamos uma entrevista coletiva com ele em Toronto.

Há uma grande quantidade de tais evidências, incluindo material irrefutável. Nós os temos, e eu os coleciono há décadas. A única questão é quem vai te falar sobre isso. Nos Estados Unidos, a situação é a seguinte: se algum programa começar a estudar em detalhes as evidências da existência de OVNIs, ele será encerrado.

E todo mundo pensa que a mídia é livre na América … Não, eles estão sob controle. Se a CNN começasse a cavar fundo, seria instruída a parar. Eu já vi isso antes. Fizemos uma parceria com a ABC News e dei a eles 35 horas de evidências altamente confidenciais e irrefutáveis. No entanto, o produtor executivo do canal foi proibido de lançar tal material.

(Fonte)


A entrevista com o Dr. Greer foi feita antes de toda esta agitação do Pentágono sobre os OVNIs e, embora a aparência geral seja de que está realmente havendo uma ação governamental nos EUA para a revelação e estudo dos OVNIs, parece mesmo se tratar de um grande jogo de “enrolação”. Será interessante ver se a iniciativa do astrônomo de Harvard, Avi Loeb, para estudar o fenômeno OVNI trará resultados, ou será “atrapalhada” por forças externas.

E, a propósito, não precisa nenhum ovniólogo dizer que os extraterrestres nos consideram uma civilização problemática. Até mesmo humanos com dois neurônios podem chegar à esta conclusão.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol