web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

Cientista de Harvard diz que devemos estudar OVNIs e ele não está errado

Tempo de leitura: 4 min.

Por Seth Shostak (Astrônomo sênior do Instituto SETI)

Avi Loeb, um astrofísico de Harvard que não hesita em nadar nas águas infestadas de tubarões da polêmica, está propondo um grande esforço para encontrar alienígenas em nosso sistema solar, talvez até mesmo em nosso espaço aéreo. Ele arrecadou US $ 1,7 milhão em financiamento privado para lançar algo que ele chama de Projeto Galileo, uma iniciativa para trazer o rigor da ciência experimental para a ovnilogia.

Avi Loeb de Harvard acha que devemos estudar OVNIs - e ele não está errado
Crédito da imagem: depositphotos

O plano de Loeb é usar um telescópio agora em construção, o Observatório Vera C. Rubin, para estudar objetos interestelares que entram em nosso sistema solar. Além disso, o projeto prevê a construção de uma rede de pequenos telescópios, em grupos de dois, que podem fotografar e determinar a distância de tudo o que vêem em nossa atmosfera.

Este projeto é algo para ser elogiado ou rido? Embora a academia possa descartar o Projeto Galileo como nada mais do que agradar a um público crédulo, tal preconceito é inútil e míope.

Até os críticos reconhecem que Loeb tem credenciais e talento. No entanto, ele é considerado por alguns na comunidade astronômica como um cavaleiro errante, que se inclina contra moinhos de vento. Isso se deve em grande parte às suas opiniões pouco ortodoxas sobre o objeto ‘Oumuamua.

Quase do tamanho de um shopping center, o ‘Oumuamua foi visto pela primeira vez como um ponto em uma imagem de telescópio há quatro anos. Sua órbita nos diz que ele não veio dos confins de nosso próprio sistema solar, mas de algum outro lugar na galáxia. Embora muitos astrônomos digam que ‘Oumuamua seja um cometa ou um asteroide, erodido e incrustado graças à sua longa jornada pelo espaço, Loeb sugeriu que ele possa ser um pedaço de hardware alienígena – talvez uma vela solar.

Claramente, essa é uma hipótese radical. É também uma rejeição à navalha de Occam. Este último alertaria contra a invocação de engenharia extraterrestre quando explicações mais convencionais bastassem para entender o ‘Oumuamua.

Mas Loeb mantém sua sugestão, e ele recentemente pesou em outro quebra-cabeça, um produzido pelo relatório recém-lançado ao Congresso sobre OVNIs. Este estudo foi o resultado de um projeto de lei aprovado em dezembro passado instruindo agências de inteligência do governo a colocar sobre a mesa tudo o que sabem sobre OVNIs. Em particular, o relatório deveria abordar as experiências de alguns pilotos da Marinha que viram e fotografaram objetos misteriosos no céu. Esse relatório, entregue no final de junho, não dizia nada sobre espaçonaves alienígenas (pelo menos não na versão divulgada publicamente), mas admitia que, de 144 incidentes intrigantes, as agências de inteligência poderiam explicar apenas um.

Portanto, o Projeto Galileo está intervindo para dizer “Já chega”. Vamos tentar definir esses fenômenos atraentes com a ciência legítima.

O público foi varrido por essas histórias. Por sete décadas, os que acreditam em OVNIs foram menosprezados por cientistas por fazerem afirmações extraordinárias sem oferecer nenhuma evidência extraordinária. Agora, um pesquisador credenciado parece estar pronto para ajudar.

Isso fará com que algumas pessoas revirem os olhos e concluam que Loeb passou para o lado negro. Mas isso é muito fácil. O assunto é obviamente importante e deve ser abordado sem noções preconcebidas ou opiniões baseadas na pobre evidência de OVNIs do passado.

Mas, embora possa ser difícil para Loeb encontrar o apoio de seus colegas, essas são as mesmas pessoas que deveriam ser gratas por seu esforço. A comunidade SETI (busca por inteligência extraterrestre), até agora não conseguiu encontrar um sinal de rádio ou luz de outros sistemas estelares. Sim, este tipo de experimento SETI está ficando mais rápido o tempo todo, e seus praticantes (incluindo eu) estão esperançosos de que quando um número substancialmente maior de alvos for examinado, um sinal alienígena inequívoco será encontrado.

Mas uma estratégia alternativa do SETI é procurar artefatos que sociedades altamente avançadas possam ter construído. Essa é certamente uma abordagem legítima para descobrir alienígenas, e que não depende de um sinal que chega até nós quando o procuramos. Ele também observa o fato de que o universo tem três vezes a idade da Terra. Consequentemente, deve haver inteligência na galáxia em um nível que está milhões ou bilhões de anos além do nosso. Talvez essa inteligência realmente tenha interesse em enviar hardware para outros sistemas estelares.

Portanto, é pelo menos possível que estejamos sendo visitados, e o Projeto Galileo diz que fará observações para verificar isso.

Ainda assim, o projeto é um tiro no escuro, motivado por fenômenos que apenas alguns cientistas consideram dignos de estudo. O sentimento entre a maioria dos astrônomos é que ‘Oumuamua é simplesmente uma rocha muito viajada. Os três vídeos tentadores publicados pela Marinha podem ser entendidos invocando aeronaves e balões. E quanto à rede de telescópios colocados em prática para registrar hardware extraterrestre cruzando nossos céus desordenados … bem, os 700 satélites em órbita que já vigiam nosso planeta não viram nada que os humanos não tenham colocado lá.

Em outras palavras, nenhum dos fenômenos que estimularam o Projeto Galileo provavelmente foi obra de alienígenas.

Mas isso é um motivo bom o suficiente para descartar o exercício de Loeb? Em sua defesa, é preciso admitir que o caminho menos percorrido às vezes leva a algo interessante.

Loeb garantiu financiamento privado e tem a capacidade intelectual para garantir o rigor científico do projeto. Qualquer pessoa com menos credenciais teria dificuldade para tirá-lo do papel.

Livre da consideração banal de estabilidade e com a disposição de ignorar os olhares de seus colegas, Avi Loeb pode apostar em um azarão. Como um cientista do SETI, sou grato por ele ter a liberdade e a coragem de contornar a barreira da sabedoria convencional e corajosamente ir aonde poucos ousariam ir.

(Fonte)


Avi Loeb é um homem de muita coragem e nem mesmo o autor do artigo acima, Seth Shostak, conhecido por sua insistência em procurar por sinais de rádio vindos de civilizações alienígenas, teve a coragem de enfrentar a comunidade científica de tal forma. Aliás, até mesmo escrevendo o que escreveu acima, Shostak meio que parece estar com um pé em cima do muro, tal é a pressão da comunidade científica com seus dogmas implantados que, de forma geral, parecem ser imutáveis.

Desejo sucesso a Avi Loeb, que embora provavelmente ainda não tenha aberto totalmente o que pensa por medo de maiores represálias, está fazendo o possível dentro das limitações a ele impostas para arrancar a ciência das presas do preconceito. E ele o faz com a mesma coragem que Galileo Galilei o fez no século XVI, quando a “ciência” da época o acusou de heresia, pois embora hoje não se queime mais as pessoas que vão contra o status quo estabelecido em fogueiras, ainda assim as “queimam” de outras formas tão terríveis quanto aquila, destruindo carreiras e vidas profissionais.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol