web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

O planeta Marte: suas anomalias e mistérios

Tempo de leitura: 4 min.

Por Nick Redfern

Marte, nosso vizinho planetário mais próximo no Sistema Solar, está a aproximadamente 64 milhões de quilômetros da Terra e a 228 milhões de quilômetros do Sol. Não é particularmente grande em tamanho, é anão comparado com todos os planetas do sistema solar, exceto Mercúrio. No outro extremo do espectro, no entanto, Marte é o lar do gigantesco Olympus Mons, que é o maior vulcão de todo o Sistema Solar. A enorme quantidade de óxido de ferro em Marte lhe dá uma cor avermelhada perceptível – famosa, por isso seu apelido memorável: Planeta Vermelho. Ele tem uma temperatura média de congelamento do sangue de -62 graus Centígrados, e sua atmosfera decididamente hostil é composta quase exclusivamente de dióxido de carbono. À parte disso, ele tem uma pequena quantidade de vapor d’água.

O planeta Marte: suas anomalias e mistérios
Marte em alta resolução.

Não há como negar o fato de que Marte empoeirado, rochoso e desértico é um mundo muito interessante: por um lado, ele tem calotas polares. E essas calotas polares são feitas de água. Sim, a boa e velha água; assim como o nosso. E não há como negar que Marte tem seus mistérios. Vamos começar.

Como a NASA observou em 1997:

“Lançado em 7 de novembro de 1996, o Mars Global Surveyor se tornou a primeira missão bem-sucedida ao planeta vermelho em duas décadas. Depois de um ano e meio gasto aparando sua órbita de uma elipse em loop para uma trilha circular ao redor do planeta, a espaçonave começou sua missão de mapeamento principal em março de 1999. Ela continuou a observar o planeta de uma órbita quase polar de baixa altitude”

Além disso, a NASA acrescentou que Marte tem “padrões climáticos muito repetíveis” e que uma “panóplia de imagens de alta resolução do Mars Global Surveyor documentou ravinas e fluxos de detritos, sugerindo que fontes ocasionais de água líquida, semelhantes a um aquífero, foram uma vez presente na superfície do planeta ou próximo a ela”.

Essa mesma panóplia revelou algo mais; algo incrível, se os dados não estivessem sendo mal interpretados. Escondido entre uma riqueza de imagens menos controversas do Mars Global Surveyor estava uma série de imagens surpreendentes que pareciam mostrar nada menos do que vastas áreas de vegetação; árvores, até. Elas se pareciam assustadoramente com o que na Terra é chamado de Árvores Banyan (figueira-de-Bengala). Elas são, essencialmente, árvores que crescem e prosperam vivendo em outras árvores. Não demorou muito para que a mídia – e Arthur C. Clarke – descobrisse essas fotos extraordinárias e o que elas pareciam mostrar. O debate ainda continua. Alguns dizem árvores. NASA diz “não”.

O planeta Marte: suas anomalias e mistérios
Estruturas que se parecem com árvores na superfície de Marte. Crédito: NASA

Agora, vamos abordar os assuntos das aranhas gigantes de Marte. Sim, você leu certo. Mas, não, não estamos falando sobre algo como um enredo selvagem de um filme do tipo Godzilla baseado na ficção científica dos anos 1950. Na verdade, estamos falando sobre algo muito mais emocionante. É uma história que remonta a 1999, quando o Mars Global Surveyor fotografou algumas ‘coisas’ seriamente estranhas na superfície de Marte. “Spidery” (em inglês, algo com o “aranhamente“) é a melhor maneira de descrevê-las. Uma pessoa, mais do que qualquer outra, que aceitou o desafio de resolver o mistério foi Greg Orme.

O planeta Marte: suas anomalias e mistérios
Formações que ficaram conhecidas como “aranhas em Marte”. Crédito: NASA

Alguém que tem uma paixão profunda pelos mistérios de Marte, Orme começou sua pesquisa sobre as anomalias marcianas em 1994. Desde então, ele escreveu um livro, “Why We Must Go to Mars: The King’s Valley” (“Porque Devemos Ir a Marte: O Vale do Rei”, em título de tradução livre), e um artigo sobre essas misteriosas aranhas para o jornal da Sociedade Interplanetária Britânica. A volumosa coleção de fotos de anomalias marcianas de Orme é altamente impressionante.

Mac Tonnies ficou entusiasmado com o trabalho de Orme e passou a descrever as ‘Aranhas Negras’, como ficaram conhecidas, como se assemelhando a ‘gânglios nervosos’ ou ‘árvores que cobrem o solo’ dentro de ‘uma floresta macabra’. Essas descrições são inegavelmente apropriadas. A NASA tem uma visão muito diferente das aranhas de Marte:

“… essas não são aranhas de verdade. Chamados de ‘terreno araneiforme’, eles são montes radiantes semelhantes a aranhas que se formam quando o gelo de dióxido de carbono abaixo da superfície se aquece e se libera.”

Foi em 1998 que o Mars Global Surveyor fotografou o que parece muito um monólito na superfície da lua de Marte, Fobos. A controvérsia em torno da imagem reveladora continua a incomodar a NASA e a surpreender os pesquisadores de Marte e aqueles que concluem que Marte já foi um mundo cheio de vida.

Deve-se notar, porém, que o monólito de Phobos não está sozinho. Isso mesmo: Phobos tem um rival nas apostas estranhas. Diga ‘olá’ a nada menos do que o monólito de Marte. Isso mesmo: tanto Fobos quanto seu planeta-mãe parecem ter em suas superfícies o que parecem pedras em forma de obelisco. Não é nenhuma surpresa que a polêmica em torno do “objeto” visto no Planeta Vermelho reverberou em todo o mundo quando a história chegou aos ouvidos e olhos ansiosos da mídia.

Monólito fotografado na superfície de Marte. Crédito: NASA

Em 24 de setembro de 2015, o jornal Express do Reino Unido publicou um artigo intitulado “Has Stonehenge been found on Mars? Ancient ‘alien’ stone circle discovered on Red Planet” (“Stonehenge foi encontrado em Marte? Antigo círculo de pedra ‘alienígena’ descoberto no Planeta Vermelho”). É um título e tanto, para dizer o mínimo. “Sr. Enigma ”, que destacou a notícia de última hora em seu canal no YouTube, disse que o que parecia estar em evidência na superfície de Marte era “uma plataforma perfeitamente circular com um estranho aglomerado de pedras emergindo dela”.

Stonehenge em Marte?

Ele acrescentou:

“Sei que a formação não é uma combinação exata, nem estou dizendo que é, de fato, uma configuração de Stonehenge. Estou apenas dizendo que há algo estranho nesta área e se parece muito com o antigo círculo de pedra misterioso de Stonehenge.”

Marte: um enigma, com certeza!

(Fonte)

A grande pergunta é: Por que a NASA insiste em mandar suas sonda para regiões totalmente abertas de Marte, quando poderia enviar elas para esses locais com anomalias que precisam ser decifradas?

Há ainda muitas outras anomalias naquele planeta, além das citadas acima e esta do artigo abaixo é realmente impressionante, embora a NASA diga se tratar de uma formação rochosa natural:

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol