web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

O que devemos fazer se os extraterrestres aparecerem?

Tempo de leitura: 3 min.

O artigo abaixo foi escrito pelo meu astrônomo favorito, Avi Loeb:

O que devemos fazer se os extraterrestres aparecerem?
Imagem meramente ilustrativa. Crédito: depositphotos

Quando você está em um deserto inexplorado, é melhor você ficar quieto, porque você nunca sabe se pode haver predadores perigosos à espreita. Infelizmente, a Terra não tem seguido esse princípio de advertência até agora: temos transmitido ondas de rádio para o espaço há mais de um século. Se houver civilizações tecnológicas dentro de cem anos-luz que monitoram seu céu com radiotelescópios semelhantes ao nosso, então elas já devem saber de nossa existência. Poderemos ouvir falar deles no futuro. Nossa graça salvadora pode ser que os foguetes químicos, semelhantes aos usados ​​nas missões Voyager ou New Horizons, levariam um milhão de anos para atravessar aqueles cem anos-luz. E assim, podemos esperar por um suspense prolongado antes de encontrar nossos vizinhos cósmicos.

Se extraterrestres eventualmente chegarem à nossa porta, a questão é: como devemos responder? Claramente, os assuntos interestelares não são uma preocupação política iminente para nenhuma nação neste momento, portanto, não existe um protocolo internacional emitido pelas Nações Unidas sobre o que fazer. Devemos ter em mente que dentro de um milhão de anos, os humanos podem residir na Lua, em Marte ou em plataformas espaciais flutuantes, e cada comunidade pode escolher reagir de forma diferente. É prematuro contemplar uma política global muito antes de ser necessária.

Quanto aviso prévio teremos? Isso depende do tamanho do veículo usado pelos extraterrestres. Mesmo sem gerar luz artificial, qualquer espaçonave alienígena refletiria a luz do Sol. O observatório Pan-STARRS no Havaí pode detectar a luz do Sol refletida de objetos maiores do que algumas centenas de metros, a escala de um campo de futebol, que passam na órbita da Terra ao redor do Sol. O primeiro visitante interestelar de tal tamanho foi descoberto por este telescópio em 19 de outubro de 2017 e chamado de ‘Oumuamua—“batedor” na língua havaiana. O objeto apresentava muitas propriedades anômalas que o tornavam diferente de qualquer cometa ou asteroide natural que havíamos testemunhado antes no sistema solar, permitindo a possibilidade de que seja um produto de tecnologia alienígena, conforme discutido em meu novo livro, Extraterrestrial.

Em caso afirmativo, surge a questão de saber se é provável que seja uma sonda destinada a nos espionar. As chances são pequenas, uma vez que o ‘Oumuamua levou mais de 10.000 anos para atravessar todo o sistema solar, e nossa civilização obviamente não tem transmitido sinais por tanto tempo. Mesmo que o ‘Oumuamua seja uma nave artificial, é antiga e provavelmente está fora de serviço.

A maioria das estrelas se formou bilhões de anos antes do Sol, e as relíquias tecnológicas que suas civilizações lançaram ao espaço são provavelmente muito antigas para serem funcionais. Podemos recuperar mais informações sobre relíquias tecnológicas tirando fotos de perto ou procurando na superfície da Lua (ou Marte) por objetos incomuns que foram coletados ali nos últimos bilhões de anos. A falta de uma atmosfera ou atividade geológica tornaria a superfície da Lua, em particular, como um museu de equipamentos extraterrestres.

Somos a criança mais inteligente do nosso bloco cósmico? Para descobrirmos, devemos manter nossos olhos abertos e procurar em nossos telescópios por itens de nossos vizinhos mais próximos, tomando as devidas precauções sobre uma embarcação disfarçada de Cavalo de Tróia. Pode haver uma grande quantidade de objetos pequenos e rápidos que estão constantemente viajando através do sistema solar e que não conseguimos reconhecer devido à sensibilidade limitada de nossos telescópios. Seria interessante buscá-los em fluxos de dados futuros do Grande Levantamento do Espaço e Tempo (de sigla em inglês, LSST) no observatório Vera C. Rubin, que começará a monitorar o céu chileno em menos de três anos. Além disso, meu aluno Amir Siraj e eu mostramos que uma rede global de várias centenas de câmeras ópticas na Terra pode identificar chamas de meteoros interestelares que entram na atmosfera da Terra a uma velocidade excepcionalmente alta, até a velocidade da luz.

O Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (LIGO) descobriu as ondas gravitacionais somente depois que a National Science Foundation (NSF) investiu US$ 1,1 bilhão nele. Da mesma forma, devemos esperar encontrar evidências extraordinárias de ETs somente depois de investirmos fundos importantes em uma pesquisa. Seria mais apropriado alocar fundos do contribuinte para a busca de nossos vizinhos cósmicos, dado o grande impacto que tal descoberta teria na sociedade – excedendo em muito a implicação de descobrir ondas gravitacionais.

Colocar nossas mãos em um pedaço de tecnologia alienígena mudaria a maneira como percebemos nosso lugar no universo, nossas aspirações por espaço e nossas crenças filosóficas e teológicas. Nosso choque psicológico seria semelhante ao que minhas filhas encontraram quando conheceram crianças mais espertas do que elas no primeiro dia no jardim de infância.

Ou podemos escolher permanecer ignorantes sobre nossos vizinhos até que eles apareçam. Isso seria equivalente a minhas filhas escolherem ficar em casa. A possível existência de extraterrestres não desaparecerá se os ignorarmos, assim como a Terra continuou a se mover ao redor do Sol depois que autoridades religiosas se recusaram a olhar pelo telescópio de Galileu. Os dinossauros dominaram o planeta por muitos milhões de anos, mas seu reinado terminou abruptamente há 66 milhões de anos, quando a rocha gigante Chicxulub apareceu no céu, em rota de colisão com a Terra.

Avi Loeb

(Fonte)


Obviamente, como cientista, Loeb é muito cuidadoso com o que expressa, principalmente quando se trata do assunto “extraterrestres”, pois a comunidade científica é cruel e não perdoa aqueles que desafiam seus “dogmas”.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol