Sonda espacial está prestes a voar por Vênus – e pode procurar sinais de vida

Tempo de leitura: 2 min.
Sonda espacial está prestes a voar por Vênus - e pode procurar sinais de vida
BepiColombo está a apenas algumas semanas de seu primeiro de dois voos por Vênus. ESA / ATG MEDIALAB

No início desta semana, os cientistas anunciaram a descoberta da fosfina em Vênus, uma assinatura potencial da vida. Agora, em uma coincidência incrível, uma espaçonave européia e japonesa está prestes a passar por aquele planeta – e pode confirmar a descoberta.

Na segunda-feira, 14 de setembro, uma equipe de cientistas disse ter encontrado evidências de fosfina na atmosfera de Vênus. A região em que foi encontrado, cerca de 50 quilômetros acima da superfície, está fora das condições adversas da superfície venusiana e pode ser um habitat para micróbios no ar.

Para ter certeza, precisaremos enviar uma missão à atmosfera venusiana em busca de tal vida. Várias propostas estão em cima da mesa, sendo a mais próxima uma espaçonave da empresa norte-americana Rocket Lab, que pode enviar uma sonda para a atmosfera já em 2023.

Pelo que sabemos, a fosfina na atmosfera de Vênus pode ter sido produzida por vida, embora seja possível que também possa ser produzida por um processo não biológico desconhecido. Antes do lançamento das missões para Vênus para descobrir, no entanto, os cientistas vão querer saber com certeza se a fosfina está realmente presente.

E, por sorte, uma missão conjunta composta por duas espaçonaves – uma da Agência Espacial Européia (ESA) e a outra da Agência Espacial Japonesa (JAXA) – está prestes a passar por Vênus, o que pode nos dizer com certeza.

A sonda BepiColombo, lançada em 2018, está a caminho de entrar na órbita de Mercúrio, o planeta mais interno do Sistema Solar. Mas, para isso, planeja usar dois sobrevoos de Vênus para diminuir a velocidade, um em 15 de outubro de 2020 e outro em 10 de agosto de 2021.

As equipes que comandam a espaçonave já tinham planos de observar Vênus durante o sobrevoo. Mas agora, com base na detecção de fosfina por telescópios na Terra, eles estão planejando usar esses dois voos para procurar fosfina usando um instrumento na espaçonave.

Johannes Benkhoff da ESA, cientista do projeto da BepiColombo, informou:

Possivelmente poderíamos detectar a fosfina. Mas não sabemos se nosso instrumento é sensível o suficiente.

O instrumento do lado europeu da missão, denominado MERTIS (MErcury Radiometer and Thermal Infrared Spectrometer), é projetado para estudar a composição da superfície de Mercúrio. No entanto, a equipe acredita que também pode usá-lo para estudar a composição atmosférica de Vênus durante os dois voos.

Neste primeiro sobrevoo, a espaçonave não chegará a menos de 10.000 quilômetros de Vênus. É muito longe, mas potencialmente ainda perto o suficiente para fazer uma detecção.

Jörn Helbert do Centro Aeroespacial Alemão, co-líder do instrumento MERTIS, disse:

Na verdade, há algo na faixa espectral do MERTIS. Portanto, agora estamos vendo se nossa sensibilidade é boa o suficiente para fazer observações.

No entanto, como esse primeiro sobrevoo levará apenas algumas semanas, a campanha de observação da espaçonave já está gravada em pedra, tornando pequena a chance de uma descoberta. Mais promissor é o segundo sobrevoo no próximo ano, que não só dará à equipe mais tempo para se preparar, mas também se aproximará de apenas 550 quilômetros de Vênus.

Helbert diz:

[No primeiro sobrevoo] temos que ter muita, muita sorte. No segundo, só temos que ter muita sorte. Mas está realmente no limite do que podemos fazer.

Se uma detecção puder ser feita, ela fornecerá uma verificação independente da presença de fosfina na atmosfera de Vênus. E para futuras missões que planejam visitar o planeta, que ao lado da missão do Rocket Lab inclui espaçonaves potenciais da NASA, Índia, Rússia e Europa, isso pode ser uma informação vital.

Mesmo que o primeiro sobrevoo não tenha sucesso na detecção de fosfina, a equipe planeja usar as lições aprendidas para revisar suas observações para o segundo sobrevoo. E pode ser que essa missão, em uma feliz coincidência, possa contribuir para uma grande descoberta científica antes mesmo de atingir o alvo pretendido.

Helbert diz:

É um momento perfeito. Agora [o sobrevoo] é ainda mais emocionante.

(Fonte)


As apostas estão abertas: Será que ainda este ano conseguirão confirmar a existência de fosfina na atmosfera de Vênus?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.