Planetas desgarrados podem ultrapassar o número de estrelas na Via Láctea

Planetas desgarrados podem ultrapassar o número de estrelas na Via Láctea
A impressão artística de um exoplaneta flutuante. Crédito da imagem: NASA / JPL-Caltech / R. Hurt, Caltech-IPAC.

Exoplanetas fora de sistemas estelares – objetos de massa planetária e flutuação livre que não orbitam uma estrela e, em vez disso, viajam pelo espaço – podem ser surpreendentemente comuns em nossa Via Láctea; e o futuro telescópio espacial Nancy Grace Roman da NASA (Roman) detectará pelo menos 250 desses planetas flutuantes com massas até a equivalente à de Marte, de acordo com um novo artigo publicado no Astronomical Journal.

Os planetas de flutuação livre são objetos isolados com massas semelhantes às dos planetas que orbitam estrelas. A origem desses objetos é desconhecida.

Eles podem se formar nos discos gasosos em torno de estrelas jovens, semelhantes aos planetas ainda ligados às estrelas hospedeiras. Após a formação, eles poderiam mais tarde ser ejetados por meio de interações com outros planetas no sistema, ou mesmo por eventos de passagem por outras estrelas.

Ou podem se formar quando poeira e gás giram juntos, semelhante à forma como as estrelas se formam.

O coautor, Professor Scott Gaudi, pesquisador do Departamento de Astronomia da Universidade Estadual de Ohio, informou:

O Universo pode estar repleto de planetas de flutuação livre e nós nem saberíamos disso.

“Nunca descobriríamos sem realizar uma pesquisa completa de microlente baseada no espaço, como Roman fará.

O autor principal, Samson Johnson, um estudante de graduação da Ohio State University, disse:

À medida que nossa visão do Universo se expandiu, percebemos que nosso Sistema Solar pode ser incomum.

Roman nos ajudará a aprender mais sobre como nos encaixamos no esquema cósmico das coisas, estudando planetas rebeldes.

Identificar esses planetas ajudará os cientistas a inferir o número total desses planetas de flutuação livre em nossa Galáxia.

O Telescópio Roman, nomeado em homenagem à primeira astrônoma-chefe da NASA que também era conhecida como a “mãe” do Telescópio Espacial Hubble da NASA / ESA, tentará construir o primeiro censo de planetas de flutuação livre.

Johnson disse:

Roman foi projetado não apenas para localizar planetas de flutuação livre na Via Láctea, mas também para testar as teorias e modelos que preveem como esses planetas se formaram.

O estudo da equipe descobriu que Roman provavelmente é 10 vezes mais sensível a planetas desgarrados do que os equipamentos existentes, que por enquanto são baseados em telescópios presos à superfície da Terra.

Ele se concentrará em planetas na Via Láctea, entre nosso Sol e o centro de nossa Galáxia, cobrindo cerca de 24.000 anos-luz.

Johnson ainda disse:

Vários planetas de flutuação livre foram descobertos, mas para realmente obter uma imagem completa, nossa melhor aposta é algo como o Roman. Esta é uma fronteira totalmente nova.

Roman, com lançamento programado para os próximos cinco anos, vai procurar planetas de flutuação livre usando uma técnica chamada microlente gravitacional.

Essa técnica depende da gravidade das estrelas e planetas para dobrar e ampliar a luz proveniente das estrelas que passam atrás delas do ponto de vista do telescópio.

Este efeito de microlente está conectado à teoria da relatividade geral de Albert Einstein e permite que um telescópio encontre planetas a milhares de anos-luz de distância da Terra – muito mais longe do que outras técnicas de detecção de planetas.

Mas, como a microlente funciona apenas quando a gravidade de um planeta ou estrela se curva e aumenta a luz de outra estrela, o efeito de qualquer planeta ou estrela é visível apenas por um curto período de tempo a cada poucos milhões de anos.

E como os planetas desgarrados estão situados no espaço por conta própria, sem uma estrela próxima, o telescópio deve ser altamente sensível para detectar essa ampliação.

O coautor Dr. Matthew Penny, pesquisador do Departamento de Física e Astronomia da Louisiana State University, disse:

O sinal de microlente de um planeta desgarrado dura apenas entre algumas horas e alguns dias e depois desaparece para sempre.

Isso os torna difíceis de observar da Terra, mesmo com vários telescópios. Roman é uma virada de jogo para buscas de planetas desgarrados.

Os autores estimam que Roman descobrirá cerca de 250 planetas flutuantes com a massa de Marte ou maiores…

(Fonte)


O pessoal que segue as notícias sobre o suposto planeta Nibiru, vai pirar quando souber disso.😁

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.