“Drones” misteriosos em usina nuclear ainda inexplicados um ano depois

Tempo de leitura: 3 min.
"Drones" misteriosos em usina nuclear ainda inexplicados um ano depois
Usina Nuclear de Palo Verde, Arizona – EUA

As recentes revelações do The New York Times de que o Pentágono tem um programa financiado para investigar OVNIs e UAPs resultaram no Times, no Pentágono e em algumas das partes mencionadas no artigo para apontar que esses OVNIs podem não ser veículos alienígenas e que eles estão mais preocupados com a segurança nacional do que com os extraterrestres.

Se for esse o caso, o pessoal em Palo Verde, Arizona, gostaria de saber porque esse grupo não está investigando “drones” misteriosos que foram vistos na Estação de Geração Nuclear de Palo Verde em várias noites em setembro do ano passado. Talvez eles deveriam ter essa explicação, assim como os residentes do Colorado e Wyoming que ainda estão esperando por uma sobre as esquadrilhas de drones vistas lá no final do ano passado.

Seriam essas operações secretas ou o governo está encobrindo sua inaptidão em proteger seus cidadãos desses drones misteriosos?

Um novo relatório indica que houve um incidente de “drone-a-palooza” sobre a Estação Geradora de Palo Verde, operada pelo Serviço Público do Arizona (APS), a oeste de Phoenix em 2019. A informação sobre o incidente foi obtido pela primeira vez com um pedido pela Lei de Liberdade de Informação (FOIA) por Douglas D. Johnson com a Coalizão Científica para Estudos de UAPs. As descobertas foram divulgadas publicamente no site The War Zone.

AZFamily.com, AZCentral.com e outras fontes de mídia locais tocaram o alarme no fim de semana passado depois que The War Zone/The Drive fez uma exposição no final da semana passada sobre as misteriosas incidentes de drones na instalação nuclear de Palo Verde nos dias 29 e 30 de setembro de 2019. O The War Zone obteve suas informações de Douglas D. Johnson, pesquisador voluntário afiliado à Coalizão Científica para Estudos de UAPs (SCU), que obteve dezenas de páginas de documentos internos da Comissão Reguladora Nuclear sobre os incidentes.

O policial notou vários drones (5 ou 6) sobrevoando o local. Os drones estão circulando o local de 3 unidades dentro e fora da Área Protegida. Os drones possuem luzes vermelhas e brancas e estima-se que estvam entre 200 e 300 pés (60 e 90 metros) acima do local. Foi relatado que os drones tinham holofotes quando se aproximavam do local que eles desligaram quando entravam na área controlada pela segurança. Os drones foram notados pela primeira vez em 2050 MST e ainda estão no site a partir de 2147 MST. O modo de segurança era normal, que foi alterada para elevado quando os drones foram notados. O Licenciado notificou um dos inspetores residentes do NRC.

A partir de 0237 EST, nenhum drone foi observado no local desde 2230 MST.

Os policiais acreditam que os drones tinham mais de um metro e meio de diâmetro.


O relatório sobre os incidentes na noite seguinte é semelhante e foi enviado ao Departamento de Inteligência e Avaliação de Ameaças (ILTAB) do NRC, que admite que não pode fazer nada sobre relatórios de drones em usinas nucleares. A gerência da fábrica entrou em contato com a polícia local, o FBI, o Departamento de Segurança Interna (DHS), a Administração Federal de Aviação (FAA) e o coordenador de armas de destruição em massa (WMD) do FBI. Aparentemente, eles decidiram monitorar os drones em vez de expulsá-los para fora do ar, apesar de estarem sobre uma instalação designada sensível à segurança nacional. Os documentos do NRC também mostraram que não foram incidentes isolados em Palo Verde.

Preocupado ainda?

Família do Arizona procurou o MCSO (escritório do xerife do condado de Maricopa) para obter mais informações sobre esses avistamentos de drones na estação geradora de Palo Verde. Estamos aguardando uma resposta. No momento, não está claro quem estava operando os drones no espaço aéreo restrito e qual era sua intenção.

Após descobrir o incidente por meio do artigo do The War Zone, a Família do Arizona entrou em contato com o MCSO no final da semana passada e não recebeu resposta até o momento. O Serviço Público do Arizona (APS), a concessionária de energia elétrica e subsidiária da Pinnacle West Capital Corporation, de capital aberto, que administra a instalação, confirmou os incidentes quando contatados e seus funcionários disseram que “o potencial de dano de um drone é pequeno comparado aos riscos naturais que as usinas foram construídas para suportar. ”

Isso faz você se sentir melhor?

Ninguém, exceto os pilotos dos drones, sabe se este foi um caso de entusiastas que visitam a usina por curiosidade, ou algo muito mais nefasto, com o objetivo de interromper uma enorme fonte de energia para clientes do Texas à Califórnia. E ninguém em capacidade oficial parece saber quem pilotou os drones naquela noite ou na outra.

Isso não fez o AZ Central se sentir melhor. Todas essas “minimizações” e referências oficiais no relatório a um ‘drone-a-palooza’ misturam o grande ponto – os moradores locais estão preocupados com a falta de identidade desses drones quase um ano depois.

Quando as autoridades do governo aprenderão que “‘sigam em frente … nada para ver aqui” não funciona mais?

(Fonte)


“Drones”, não é mesmo?

Mas você sabia que há um histórico de OVNIs visitando instalações nucleares (usinas de geração de energia e bases de mísseis), mesmo antes dos drones terem sido inventados e comercializados?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.