Cientistas confirmam que algo mais existia antes do nosso Universo

Tempo de leitura: 2 min.
Cientistas confirmam que algo mais existia antes do nosso Universo

Cientistas estadunidenses, usando ferramentas matemáticas, descreveram as inomogeneidades da radiação das relíquias cósmicas que surgiram imediatamente após a origem do Universo.

Os autores acreditam que seus resultados confirmam a exatidão da hipótese do Big Bounce, segundo a qual o surgimento de nosso universo foi o resultado do colapso de algum universo “anterior”. Os resultados são publicados na revista Physical Review Letters.

Enquanto a teoria da relatividade geral de Einstein explica uma ampla gama de fenômenos astrofísicos e cosmológicos, algumas propriedades do Universo permanecem um mistério. Em particular, ela não pode explicar a distribuição desigual de galáxias e matéria escura no espaço.

Desde a década de 1980, os pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA) desenvolvem um paradigma cosmológico baseado no conceito de gravidade quântica em loop. Esse paradigma, chamado Cosmologia Quântica em Loop, descreve todas as grandes estruturas modernas do Universo como flutuações quânticas do espaço-tempo que ocorreram no nascimento do mundo.

De acordo com a teoria geralmente aceita do Big Bang, tudo começou com uma singularidade – um estado em que toda a matéria e energia estavam comprimidas em um único ponto. Então, na primeira fração de segundo, durante um período chamado inflação, o espaço aumentou para proporções enormes. Mas a teoria do Big Bang não explica o que aconteceu antes da singularidade, portanto esse estado não pode ser descrito em termos das leis da física e da matemática.

Cientistas da Universidade Estadual da Pensilvânia sustentam a hipótese alternativa do Big Bounce, segundo a qual o universo em expansão atual surgiu da massa supercomprimida do universo da fase anterior. Para descrever esse estado, eles usam um aparato matemático universal que combina a mecânica quântica e a teoria da relatividade.

Os autores traçam a origem da estrutura do Universo até as menores homogeneidades registradas contra o fundo do microondas, que emitem radiação cósmica, emitida quando o Universo tinha apenas 380 mil anos.

Mas essa radiação em si tem três anomalias misteriosas que são difíceis de explicar usando a física clássica. Esses desvios são tão graves que muitos físicos começaram a falar sobre uma crise na cosmologia.

Em um novo estudo, os cientistas argumentam que, do ponto de vista da cosmologia quântica em loop, descrever a inflação remove duas anomalias principais na distribuição da CMB (sigla em inglês para Radiação Cósmica de Fundo em Microondas).

O co-autor Donghui Jeong, professor associado do Departamento de Astronomia e Astrofísica, disse em um comunicado de imprensa da universidade:

Usando a cosmologia de loop quântico, resolvemos naturalmente duas dessas anomalias, evitando uma crise em potencial. As anomalias sugerem que vivemos em um universo exclusivo.

Os autores acreditam que as inomogeneidades da CMB são o resultado de flutuações quânticas inevitáveis ​​no início do Universo. Durante a fase acelerada de expansão – inflação – essas pequenas flutuações inicialmente foram esticadas pela gravidade, refletidas nas irregularidades observadas.

O primeiro autor, professor Abhay Ashtekar, diretor do Instituto Estadual de Gravidade e Espaço da Pensilvânia, disse:

O paradigma inflacionário padrão, baseado na relatividade geral, vê o espaço-tempo como um contínuo suave. Mas, após uma inspeção mais detalhada, você pode ver que é tecido a partir de fios unidimensionais densamente compactados. E fios quânticos são tecidos no tecido do espaço-tempo. Com esses fios, a cosmologia quântica em loop nos permite ir além do continuo descrito pela relatividade geral.

Os cientistas esperam que novas missões de satélite como o LiteBIRD e o Cosmic Origins Explorer, destinados a detectar traços de ondas gravitacionais primárias no fundo da radiação de fundo, confirmem suas descobertas.

(Fonte)


A teoria do Big Bang pode mesmo não estar correta, mas mesmo se tivesse, o que explicaria a singularidade onde toda a matéria existente estaria reunida antes da grande explosão? De onde veio tudo isso? O que existia antes dessa matéria existir? Ela teria existido perpetuamente? …

Vou parar aqui, pois meu cérebro está dando um nó e vou precisar dele para outras tarefas.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.