Astrônomos: “Grande número de exoplanetas pode ter vida alienígena”

Tempo de leitura: 2 min.
Astrônomos: "Grande número de exoplanetas pode ter vida alienígena"
Comparação de imagens da Terra e Kepler-1649c, um exoplaneta apenas 1,06 vezes o raio da Terra. Crédito de imagem: NASA / Ames Research Center / Daniel Rutter.

Quando olhamos para o espaço sideral, vemos um vasto cosmos. O universo em que vivemos é enorme e seus limites estão longe do alcance da civilização humana. Estamos na infância quando se trata de explorar as estrelas. A Terra, nosso lar, é o único planeta que conhecemos, até agora, capaz de hospedar a vida.

Portanto, vemos a Terra como um lugar especial no universo. No entanto, um novo estudo mostrou que a Terra pode não ser tão única, afinal; outras estrelas do universo poderiam ter muitos lugares quase idênticos à Terra, capazes de hospedar vida.

De acordo com um estudo liderado pelo astrobiólogo da UC Riverside, Stephen Kane, e publicado na semana passada no Astronomical Journal, um número surpreendente de exoplanetas no universo pode hospedar a vida como a conhecemos.

A busca pela vida no espaço sideral geralmente se concentra no que os cientistas chamam de “zona habitável”, que é a área ao redor de uma estrela na qual um planeta em órbita está à distância certa para que a água em estado líquido exista em sua superfície. A regra geral seguida pelos astrônomos ao observarem planetas potencialmente habitáveis ​​é que, se um planeta tem água líquida em sua superfície, é provável que ele possa hospedar a vida.

Kane estudava um sistema solar próximo chamado Trappist-1, que possui três planetas semelhantes à Terra em sua zona habitável.

Ele disse:

Isso me fez pensar sobre o número máximo de planetas habitáveis ​​que uma estrela pode ter e porque nossa estrela só tem um. Não parecia justo!

Por isso, Kane e seus colegas criaram um sistema modelo no qual simulavam planetas de vários tamanhos orbitando suas estrelas.

Um algoritmo levou em consideração as forças gravitacionais e ajudou a testar como os planetas interagiam entre si por milhões de anos.

Eles descobriram que é possível que algumas estrelas suportem até sete planetas habitáveis ​​e que uma estrela como o nosso Sol possa suportar seis planetas com água líquida, e muitos desses exoplanetas podem hospedar vida alienígena.

Kane disse em comunicado:

Se forem mais de sete, os planetas se aproximam demais e desestabilizam as órbitas um do outro.

Por que, então, nosso sistema solar possui apenas um planeta habitável se é capaz de suportar seis?

Ajuda se o movimento dos planetas for circular, em vez de oval ou irregular, minimizando qualquer contato próximo e mantendo órbitas estáveis.

Kane também suspeita que Júpiter, que tem uma massa duas vezes e meia a de todos os outros planetas do sistema solar combinados, limitou a habitabilidade do nosso sistema.

Como revelado por Kane e seus colegas, um gigante gasoso como Júpiter tem um efeito mais significativo na habitabilidade do nosso sistema solar, principalmente por ser supermassivo, e isso faz com que ele perturbe as órbitas de outros corpos dentro do sistema solar.

Sabe-se que apenas um punhado de estrelas possui vários planetas em suas zonas habitáveis. No futuro, Kane planeja procurar estrelas adicionais cercadas por planetas menores.

Essas estrelas serão os principais alvos para imagens diretas com telescópios da NASA, como o Observatório de Exoplanetas Habitáveis do Laboratório de Propulsão a Jato.

O estudo de Kane identificou uma dessas estrelas, Beta Canum Venaticorum (Beta CVn), que é um sistema estelar relativamente próximo, localizado a cerca de 27 anos-luz de distância.

Por não ter um planeta semelhante a Júpiter, ela será incluída como uma das estrelas que serão verificadas para planetas de zonas multi-habitáveis.

Kane revelou:

Embora saibamos que a Terra tem sido habitável durante a maior parte de sua história, ainda restam muitas perguntas sobre como essas condições favoráveis ​​evoluíram com o tempo e os fatores específicos por trás dessas mudanças.

Medindo as propriedades dos exoplanetas cujas vias evolutivas podem ser semelhantes às nossas, obtemos uma prévia do passado e do futuro deste planeta – e o que devemos fazer para manter sua habitabilidade.

(Fonte)


Apenas mais uma constatação científica daquilo que é óbvio: O Universo está repleto de exoplaneta habitáveis.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.