O incidente OVNI mais crível e alarmante da onda de 1973 nos EUA

Tempo de leitura: 4 min.
O incidente OVNI mais crível e alarmante da onda de 1973 nos EUA

Este é o incidente de OVNI mais crível da onda de 1973, considerado uma das ondas de observação mais intensas da história dos OVNIs. O evento ocorreu no meio de uma grande onda de OVNI que atingiu os Estados Unidos naquele mês.

Na noite de 18 de outubro de 1973, ocorreu um alarmante encontro com OVNIs perto de Mansfield, Ohio, Estados Unidos.

Um helicóptero UH-1 Huey da Reserva do Exército, com o capitão Lawrence J. Coyne no comando, estava a caminho de Columbus, para Cleveland. Os outros três aviadores presentes a bordo foram o chefe da tripulação Robert Yanacsek, o co-piloto Arrigo Jezzi e o sargento John Healey.

Pouco antes das 11 horas, quando o helicóptero viajava a 1200 pés (365 m) sobre as colinas e bosques do centro-norte Ohio (2.500 pés [762 m] acima do nível do mar), Heale sentado na parte traseira esquerda, avistou uma luz vermelha constante ao sul.

A luz era similar à da asa de um avião, mas era mais brilhante. Além disso, as outras luzes normalmente exigidas pelos regulamentos da FAA – estavam ausentes. De repente, a luz vermelha desapareceu de vista atrás do helicóptero.

Apenas alguns minutos depois, Yanacsek (no banco traseiro direito) avistou a luz vermelha no horizonte ao leste, cerca de 90 graus em relação à trajetória de voo de seu helicóptero UH-1 Huey. Cerca de 30 segundos depois, o tripulante Yanacsek informou que o objeto estava convergindo no helicóptero a uma velocidade alta de mais de 600 milhas (1.000 km) por hora.

Coyne assumiu os controles da aeronave e iniciou uma descida de 2500 pés para 1700 pés. Quando o helicóptero e sua tripulação alcançaram aproximadamente 200 metros acima das copas das árvores, o grande objeto estava “enchendo todo o seu para-brisa!

Uma chamada de rádio foi iniciada para ä Torre Mansfield, que reconheceu o helicóptero.

Ele disse:

Mansfield, este é o helicóptero do exército 15444.
Você tem alguma aeronave de alto desempenho em sua área?

Mansfield respondeu:

Este é Mansfield. Vá em frente, um-cinco-triplo-quatro.

Coyne o fez e esperou a resposta. Não houve resposta da torre.

A luz vermelha estava se aproximando do helicóptero viajando a uma velocidade perigosa. Normalmente, aeronaves a menos de 10.000 pés (3.000 m) não podem voar a mais de 250 nós (500 Km/h). Os pilotos observaram que o objeto aparentemente não conhecia essas limitações. Ele estava se movendo a cerca de 600 nós (1.100 km/h).

O incidente OVNI mais crível e alarmante da onda de 1973 nos EUA
Posições dos membros da tripulação do helicóptero durante o encontro com o OVNI.

Agora a tripulação do helicóptero esperava apenas o impacto do objeto! Parecia que a colisão era iminente. Nada assim ocorreu.

Enquanto isso, a tripulação do helicóptero podia ver o OVNI. Era um objeto metálico em forma de charuto, com uma luz vermelha no nariz e uma luz branca no final. Na parte de trás, um raio verde varria um arco de 90 graus e brilhava por todo o interior do helicóptero. O objeto não tinha asas, estrutura de cauda e marcas reconhecíveis em seu corpo.

Coyne disse:

… Olhamos para cima e vimos que ele parou bem em cima de nós. Tinha uma fuselagem o grande, cinza e metálico, com cerca de 18 metros de comprimento. Tinha o formato de um aerofólio ou de um charuto gordo e aerodinâmico. Havia uma luz vermelha na frente. A borda principal brilhava em vermelho a uma curta distância do nariz. Havia uma cúpula central. Uma luz verde na parte traseira refletia na fuselagem…

Todos os quatro estavam olhando o OVNI enquanto seu helicóptero começou a subir sem a orientação do piloto!

Coyne disse:

… eu não fiz nenhuma tentativa de parar. Todos os controles foram definidos para um mergulho de 20 graus. No entanto, subimos de 1.700 a 3.500 pés sem força em alguns segundos, sem forças-G ou outras tensões visíveis…

O incidente OVNI mais crível e alarmante da onda de 1973 nos EUA
O capitão Lawrence J. Coyne encontrou este OVNI enquanto pilotava um helicóptero da Reserva do Exército em 18 de outubro de 1973. Crédito da imagem: Fortean Picture Library

Agora, o OVNI hesitou brevemente sobre o helicóptero pairando por aproximadamente 10 a 12 segundos acima dele e depois na frente dele.

Yanacsek disse mais tarde:

Parecia que estava lá por tanto tempo. Apenas pairou, por talvez 10 a 12 segundos, e quero dizer, pairou … Estava chegando até nós, e então … estava lá, exatamente assim.

O OVNI pairava silenciosamente lá – na frente e acima do helicóptero e sua tripulação – antes de acelerar e seguir para o noroeste. Agora, a luz traseira branca do objeto ainda estava visível. De repente, executando uma curva acentuada de 45 graus para a direita, a luz desapareceu.

O helicóptero retornou a 2500 pés e voou de volta para Cleveland, Ohio. O plano de vôo foi encerrado e a Estação de Serviço de Voo da FAA foi informada sobre o incidente. A comunicação por rádio desapareceu completamente nas frequências VHF e UHD logo após a Torre de Controle Mansfield reconhecer o helicóptero. Depois, voltou ao normal dez minutos após o incidente.

Também havia testemunhas em terra que observaram um objeto parecendo ‘um dirigível’ e ‘do tamanho de um ônibus escolar’ e pairando acima do helicóptero.

A luz verde na parte traseira da nave desconhecida era como “raios caindo”, disse uma das testemunhas.

Philip Klass, um famoso desmascarador de OVNIs, fez algumas tentativas para explicar o avistamento de OVNIs como sendo “um meteoro ou bola de fogo da chuva de meteoros orionídeas”. Os meteoros não duram mais do que alguns segundos no máximo e não têm nenhuma semelhança com o objeto estruturado que todos os observadores relataram. Klass também argumentou que a tripulação estava descendo a 4000, não 2000 pés por minuto. Sentindo uma colisão com o solo, Coyne ou Jezzi “instintivamente recuaram no controle de inclinação cíclica para evitar colidir com o solo”. Assim, não havia nada de misterioso na ascensão.

No entanto, muitos pesquisadores, juntamente com o Dr. J. Allen Hynek (1910 – 1986), astrônomo americano, professor e ovniólogo/ufólogo, discordaram. A resposta do capitão Coyne foi:

Se estivéssemos mergulhando às 4000 pés por minuto, nunca conseguiria me recuperar a tempo de evitar um acidente.

Em nenhum momento, ele e outros membros da tripulação insistiriam, se tivessem se preocupado com esse acidente.

Nota adicional: não existem bolas de fogo e meteoros realizando manobras como as descritas pela tripulação do helicóptero UH-1 Huey.

(Fonte)


Embora muito bem considerado por alguns membros da ovnilogia/ufologia, Philip Klass foi somente mais um “professor da impossibilidade” que, sem tirar seus glúteos de sua confortável cadeira, pela maior parte fabricou explicações ridículas para os incidentes com OVNIs, contrariando qualquer um que presenciasse esses fenômenos em primeira mão. Provavelmente isso o fazia se sentir mais inteligente.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.