Alienígenas entre nós: em bares, lojas de roupas e muito mais!

Tempo de leitura: 3 min.

Nick Redfern nos apresenta mais um texto interessante proveniente de suas pesquisas:

Alienígenas entre nós: em bares, lojas de roupas e muito mais!
Imagem meramente ilustrativa.

…’Kartott’ é um artista e escultor. Seu confronto com o que poderia ter sido u ET está detalhado no livro de Mac Tonnies, The Cryptoterrestrials.

Kartott disse:

Quando eu tinha 17 anos, estava trabalhando em uma pequena loja de conveniência, quando uma ‘mulher’ entrou para comprar cigarros. No começo, não prestei atenção nela até que vi a mão dela (quando ela me entregou o dinheiro) – não era como uma mão humana normal. Isso me assustou, então eu olhei para cima e vi uma entidade muito pálida, vestindo um casaco preto fino (como um casaco de chuva) com gola virada para cobrir o pescoço, uma peruca pesada de cabelos longos e óculos escuros muito grandes. Isso não escondia inteiramente seu rosto estranho: um queixo pontudo, lábios e nariz escassos. Ela não falou. Pegou os cigarros e foi embora!

Eu estava meio atordoado. Estranhamente, não consigo me lembrar dos detalhes da mão dela (embora tenha sido a primeira coisa que notei). Também não acho que ela tenha ido embora em um carro, o que é estranho, já que a maioria dos clientes dirigia até a loja (era um pouco isolada).

Seguindo em frente, há a experiência de “um crente hesitante”. Ele me contou sobre seu encontro com um homem e uma mulher que podem não ser humanos:

Sr. Redfern, minha experiência aconteceu no final de novembro de 2008. O bar em que eu trabalhava ficava em um shopping center, e todos os outros negócios haviam fechado muito antes da meia-noite, com exceção do bar ‘falso-irlandês’ americano do outro lado da cidade. O complexo, que naquela noite foi fechado pela polícia logo após a 1h da manhã (não acho que isso fizesse parte de uma conspiração, já que aquele lugar era preso pelo menos a cada duas semanas).

Quanto à experiência, foi o seguinte: A mulher, que tinha cerca de 1.70 metros, emaciada e parecia ter cerca de 20 anos, usava um vestido de noite preto com luvas de cetim na altura do cotovelo e usava um xale de malha verde brilhante ao redor dos ombros. Ela tinha um corte de cabelo curto com franja, embora realmente parecesse uma peruca mal cuidada. Ela tinha a mesma testa alta, maçãs do rosto e olhos azuis que seu parceiro, embora seus olhos fossem mais estreitos e levemente inclinados. Nenhum dos dois tinha sobrancelhas. Quando comecei a limpar atrás do bar, a mulher começou a limpar a garganta com impaciência, então fui até o que eles queriam (eu queria que eles saíssem do meu bar). Foi quando notei o fedor emanando dessa mulher. Ela não apenas cheirava como se não tivesse tomado banho há um mês, mas também cheirava a produtos químicos. Eu aprendi como embalsamador e juro que essa mulher cheirava a formalina.

Agora, vamos voltar no tempo para a última parte de 1971. Foi em 23 de outubro daquele ano que a mídia teve uma história muito estranha no conteúdo:

Uma empregada em meio período no retiro de Key Biscayne do presidente Nixon Testemunhou que ela ficou aturdida por um estranho que disse para ela roubar quatro vestidos. Shirley Cromartie, 32, e mãe de três filhos, não se apresentou nesta quinta-feira e recebeu uma sentença suspensa depois que policiais e um psiquiatra testemunharam que eles acreditavam que ela estava dizendo a verdade. Cromartie possui uma habilitação de segurança para trabalhar na Casa Branca da Flórida, de acordo com testemunhos. Ela disse que uma mulher a encontrou no estacionamento e perguntou a hora, depois ordenou que ela pegasse os itens e os trouxesse para ela.

A história continuou:

A Sra. Cromartie testemunhou que ficou atordoada quando a jovem liberou um perfume semelhante ao jasmim da mão esquerda. “Eu meio que perdi minha vontade … foi uma experiência aterradora”, testemunhou.

Cromartie entrou para a equipe de limpeza de Key Biscayne White House há cerca de um ano, segundo o agente do FBI Leo Mc Clairen. Ele testemunhou que seu histórico era impecável.

Albert Jaslow, psiquiatra, disse que a examinou e descobriu que ela podia ter sido hipnotizada “de maneira rápida e fácil” e acreditava que estava dizendo a verdade. “Mas não foi o mesmo quando ele me hipnotizou”, disse Cromartie. “Não me lembro de nada depois. O que quer que aquela jovem tenha feito comigo, foi como estar em uma soneca, porém acordada.”

(Fonte)


Com tanta gente estranha no mundo, deve haver uma explicação plausível para alguns desses casos. Porém, há quem afirme que “eles” já estão entre nós, e há muito tempo.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.