Astrônomos encontram 4 objetos misteriosos diferentes de tudo já visto

Tempo de leitura: 2 min.

Há algo misterioso nas profundezas do espaço: os astrônomos descobriram quatro objetos que nos comprimentos de onda do rádio são altamente circulares e mais brilhantes ao longo de suas bordas. E eles são diferentes de qualquer classe de objeto astronômico já visto antes.

Astrônomos encontram 4 objetos misteriosos diferentes de tudo já visto

Os objetos misteriosos, que parecem ilhas distantes em forma de anel, foram apelidados de círculos de rádio estranhos ou, na sigla em inglês, ORCs, por sua forma e peculiaridade geral. Os astrônomos ainda não sabem exatamente a que distância esses ORCs estão, mas podem estar ligados a galáxias distantes. Todos os objetos foram encontrados longe do plano galáctico da Via Láctea e têm cerca de 1 minuto de arco de diâmetro (para comparação, o diâmetro da lua é 31 minutos de arco).

Em um novo artigo detalhando a descoberta, os astrônomos oferecem várias explicações possíveis, mas nenhuma se encaixa perfeitamente nos quatro novos ORCs. Depois de descartarem objetos como supernovas, galáxias formadoras de estrelas, nebulosas planetárias e lentes gravitacionais – um efeito de ampliação devido à curvatura do espaço-tempo eplos objetos maciços próximos – entre outras coisas, os astrônomos especulam que os objetos poderiam ser ondas de choque de alguns Evento Extragalático ou possivelmente atividade de uma galáxia de rádio.

Kristine Spekkens, astrônoma do Royal Military College do Canadá e da Queen’s University, que não participou do novo estudo, disse:

[Os objetos] podem muito bem apontar para um novo fenômeno que ainda não investigamos. Também pode ser que isso seja uma extensão de uma classe de objetos conhecida anteriormente que não fomos capazes de explorar.

Spekkens acrescentou que os objetos também podem ser causados ​​por diferentes fenômenos. Todos os quatro ORCs são brilhantes nos comprimentos de onda do rádio, mas invisíveis na luz visível, infravermelha e raios-X. Mas dois dos ORCs têm galáxias no centro que podem ser vistas em comprimentos de onda visíveis, o que sugere que esses objetos podem ter sido formados por essas galáxias. Dois ORCs também parecem estar muito próximos, o que significa que suas origens podem estar ligadas.

Os astrônomos avistaram três dos objetos enquanto mapeavam o céu noturno em frequências de rádio, parte de uma pesquisa piloto para um novo projeto chamado Mapa Evolucionário do Universo (de sigla em inglês, UEM). A pesquisa piloto do UEM usou o Australian Square Kilometer Array Pathfinder, ou ASKAP, de julho a novembro de 2019. Este conjunto de radiotelescópios usa 36 antenas parabólicas que trabalham juntas para observar uma visão grande-angular do céu noturno. Eles encontraram o quarto ORC em dados de arquivo coletados pelo Giant MetreWave Radio Telescope na Índia. Isso ajudou os astrônomos a confirmarem os objetos como sendo reais, em vez de alguma anomalia causada por problemas com o telescópio ASKAP ou pela maneira como os dados foram analisados.

Com apenas quatro desses objetos peculiares descobertos até agora, os astrônomos ainda não podem saber a verdadeira natureza dessas estruturas. Mas a pesquisa no UEM está apenas começando, e os astrônomos esperam que ela revele mais objetos incomuns.

Ao combinar a capacidade de ver objetos de rádio fracos com um olhar amplo, a pesquisa é posicionada de forma exclusiva para encontrar novos objetos. Os cientistas do UEM previram que o projeto encontrará cerca de 70 milhões de novos objetos de rádio – ampliando o catálogo atual de cerca de 2,5 milhões.

Spekkens disse à Live Science:

Esta é uma indicação muito boa da forma das coisas que virão na radioastronomia nos próximos dois anos. A história nos mostra que, quando abrimos um novo [jeito de olhar o] espaço para explorar … sempre encontramos coisas novas e emocionantes.

O artigo, disponível no site de pré-impressão arXiv, foi submetido para publicação na revista Nature Astronomy, onde ainda está em revisão.

(Fonte)


Não posso deixar de pensar que muitos desses objetos totalmente fora da “normalidade” do espaço possam ser oriundos de civilizações extraterrestres avançadas, embora talvez não esses objetos em particular, devido aos seus gigantescos tamanhos. Mas a ciência primeiro deve tentar descartá-los como sendo fenômenos naturais, é claro.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.