Navios misteriosamente navegam em círculos – quem está por detrás disso?

Tempo de leitura: 3 min.

Paul Seaburn, editor do site Mysterious Universe, relata sobre um novo fenômeno que tem afetado alguns navios recentemente.

Navios misteriosamente navegam em círculos - quem está por detrás disso?
Navios misteriosamente navegam em círculos – quem está por detrás disso? Imagem meramente ilustrativa.

Você provavelmente já ouviu falar do Triângulo das Bermudas, a área do Atlântico Norte onde os navios desapareceram e as teorias paranormais nasceram. Você já deve ter ouvido falar do Triângulo do Diabo, a contraparte do Pacífico na costa sul do Japão. Até esta semana, esse escritor nunca tinha ouvido falar de áreas no mar da China Meridional e na costa oeste da África do Sul, onde grupos de navios foram subitamente forçados a viajar em círculos apertados, às vezes em espirais assustadoras e sempre decrescentes.

Mais bases alienígenas subaquáticas? Fantasmas? Alterações Climáticas? Algo mais? Faça suas apostas agora.

Os navios que parecem navegar em círculos se tornaram um fenômeno cada vez mais comum e misterioso perto de vários portos na costa da China, especialmente perto de terminais de petróleo e instalações do governo – mas nada assim foi visto antes onde o [navio] Willowy estava.

Vamos começar com incidentes no mar da China Meridional. (O Willowy se relacionou com a anomalia da África do Sul.) Estes foram detectados pela primeira vez não por navios, mas por grupos que rastreiam o tráfego de navios por meio de seu AIS (sistema de identificação automatizado) que transmite o identificador exclusivo de um navio e sua localização GPS, rumo e velocidade para navios próximos. Um desses grupos é o SkyTruth, um grupo ambiental que monitora perfurações fora da costa, derramamentos de óleo e tráfego de navios petroleiros. O AIS é ditado pelas leis internacionais, mas os armadores não gostam disso por várias razões – incluindo o fato de serem frequentemente manipulados por contrabandistas, barcos de pesca ilegais e comerciantes ilegais de petróleo. De acordo com a Sky News, Phil Diacon, executivo-chefe da empresa de inteligência marítima Dryad Global, concorda que o fenômeno dos navios andando círculos na região da China são anomalias causadas por bloqueadores de sinal.

Mas, de acordo com uma análise global desses dados pelos grupos ambientais SkyTruth e Global Fishing Watch, vários incidentes de navios navegando em círculos também ocorreram a uma certa distância dos portos chineses, com alguns ocorrendo de forma impossível no interior, a alguns quilômetros de São Francisco (EUA). A SkyTruth encontrou a localização real desses navios, muitas vezes a milhares de quilômetros de distância das trilhas circulares de navegação. Os navios estavam novamente perto de terminais de petróleo ou em locais onde a interrupção do GPS havia sido relatada antes.

A SkyTruth aponta que já existiu uma estação de comunicação da Guarda Costeira dos EUA nas proximidades de Point Reyes, mas isso não explica essa ou outras interrupções no GPS nos principais locais de expedição. Isso inclui um incidente na costa da África do Sul em 31 de maio.

Aproximadamente à 01h00 da manhã de domingo, o navio petroleiro de bandeira da Libéria, operado pela empresa Executive Ship de Cingapura, subitamente balançou a estibordo e começou a navegar em círculos. Ficou impossível de controlar o navio e a tripulação relatou que outras quatro embarcações nas proximidades também ficaram presas em uma espiral semelhante, convergindo lentamente entre si por um motivo desconhecido.

Como você pode ver, algo forçou o Willowy e quatro outros navios a formar um círculo. Embora os navios pudessem estar no modo de rastreamento automático e tenham executado seus próprios movimentos (até que os pilotos humanos assumissem o controle), isso não explica o que causou o ocorrido. A Sky News diz que o Corpo da Guarda Revolucionária Iraniana usou uma manipulação GPS semelhante em embarcações que entram em suas águas, mas o Willowy estava muito longe do Irã. A Sky News sugere outra coisa – uma anomalia diferente que também apareceu nas notícias recentemente.

Ninguém sabe porque, mas o campo magnético da Terra – que perdeu quase 10% de sua força nos últimos dois séculos – está ficando particularmente fraco em uma grande região que se estende da África à América do Sul, afetando satélites e naves espaciais. Conhecida como Anomalia do Atlântico Sul, a força do campo nessa área diminuiu rapidamente nos últimos 50 anos, assim como a própria área cresceu e se moveu para o oeste. Nos últimos cinco anos, um segundo centro de intensidade mínima se desenvolveu no sudoeste da África, muito perto de onde o Willowy estava navegando.

Foi relatado recentemente que a Anomalia do Atlântico Sul está se rompendo, com uma segunda anomalia se formando perto da África. Poderia o rompimento ou a nova anomalia júnior ter forçado esses navios a navegarem em círculos? Como esperado, os proprietários do Willowy foram rápidos em fornecer uma explicação ‘alternativa’ ao Sky News.

A tripulação, juntamente com os superintendentes marítimos da empresa, investigou e identificou que compasso giroscópico do navio estava realmente com defeito. O navio retomou seu curso com segurança quando passou a usar o compasso giroscópico secundário, juntamente com uma bússola magnética à moda antiga para uma boa medida.

Questionada sobre o que causou a falha, a empresa a descreveu como “uma avaria acidental” e acrescentou que “o reparo será feito no próximo porto, onde a causa será identificada pelos técnicos em terra”.

OK, isso pode explicar o comportamento estranho do Willowy, mas e os outros navios, que não eram de propriedade da Executive Ship?

A causa inicial presumida para o Willowy andar em círculos foi considerada como sendo uma forte corrente, o que também levou a tripulação a perceber que outros navios também circulavam.

Uma olhada no AIS para essas embarcações seria útil, mas nem a Sky News nem a SkyTruth pareciam ter verificado isso. Além disso, parece suspeito que a equipe do Willowy tenha mudado para “uma bússola magnética à moda antiga”, já que eles não trabalham na área da Anomalia do Atlântico Sul – uma área de perturbação do tipo eletromagnético.

Vale a pena ficar de olho…

(Fonte)


Realmente as explicações do evento ocorrido próximo da Anomalia do Atlântico Sul não batem, considerando-se a presença de outros navios com o mesmo comportamento. Mas é claro, nenhuma empresa irá dizer abertamente que aquilo que ocorreu poderia ter sido uma sabotagem de grandes proporções.

Com todas as estranhezas ocorrendo no planeta ultimamente, é difícil dizer quem ou o que está por detrás desses eventos.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.