Os primeiros humanos cruzaram com ‘população fantasma’

Tempo de leitura: 2 min.

Cientistas encontraram evidências de uma misteriosa “população fantasma” de humanos antigos que viveram na África há cerca de meio milhão de anos e cujos genes vivem nas pessoas hoje.

Os primeiros humanos cruzaram com 'população fantasma'
Um crânio do Homo neanderthalensis: a população fantasma se separou dos ancestrais dos neandertais e dos humanos modernos entre 360.000 e 1 milhão de anos atrás. Foto: Museu de História Natural / Alamy Stock Photo

Traços do ancestral desconhecido surgiram quando os pesquisadores analisaram genomas de populações da África Ocidental e descobriram que até um quinto do seu DNA parecia ter vindo dos parentes desaparecidos.

Os geneticistas suspeitam que os ancestrais dos modernos ocidentais africanos cruzaram com os humanos arcaicos ainda a serem descobertos dezenas de milhares de anos atrás, assim como os europeus antigos já acasalaram com os neandertais.

Sriram Sankararaman, um biólogo computacional que liderou a pesquisa na Universidade da Califórnia em Los Angeles, disse:

Nos africanos ocidentais que olhamos, todos têm ascendência dessa população arcaica desconhecida.

Ao contrário de hoje, o mundo já foi o lar de muitas espécies ou subespécies relacionadas humanas. E quando eles se encontram, o acasalamento não estava fora de questão. Como resultado, os europeus modernos carregam um punhado de genes neandertais, enquanto os australianos, polinésios e melanésios indígenas carregam genes de denisovanos, outro grupo de humanos arcaicos.

Estudos anteriores sugeriram que outros humanos antigos já percorreram a África, mas sem fósseis ou DNA para examinar, os pesquisadores lutaram para aprender mais sobre eles.

Arun Durvasula e Sankararaman obtiveram 405 genomas de quatro populações da África Ocidental e usaram técnicas estatísticas para determinar se um influxo de genes provenientes de cruzamentos provavelmente teria ocorrido no passado distante. A análise sugeriu que tinha em todos os casos.

Os cientistas passaram a vasculhar os genomas africanos em busca de pedaços de DNA que pareciam diferentes dos genes humanos modernos. Isso lhes permitiu extrair sequências que provavelmente vieram de um parente antigo. Ao compará-los com genes de neandertais e denisovanos, eles concluíram que o DNA tinha que vir de um grupo desconhecido de humanos arcaicos.

Sankararaman disse:

Eles parecem ter tido um impacto substancial nos genomas dos indivíduos atuais que estudamos. Eles representam 2% a 19% de sua ancestralidade genética.

As descobertas estão longe de serem definitivas, mas de acordo com as melhores estimativas dos cientistas, a população fantasma se separou dos ancestrais neandertais e humanos modernos entre 360.000 e 1 milhão de anos atrás. O grupo de talvez 20.000 indivíduos foi criado com os ancestrais dos modernos africanos ocidentais em algum momento nos últimos 124.000 anos.

Mas outras explicações são possíveis, disse Sankararaman. Pode ter havido várias ondas de acasalamento ao longo de muitos milhares de anos. Ou um número de diferentes populações de parentes humanos arcaicos até agora desconhecidas. “É muito provável que a imagem verdadeira seja muito mais complicada”, disse ele. Detalhes do trabalho estão publicados em Science Advances.

Os pesquisadores agora estão interessados ​​em investigar os genes antigos e descobrir o que eles fazem. Uma possibilidade é que os africanos ocidentais tenham retido o DNA porque isso os ajudou a sobreviver e se reproduzir.

John Hawks, antropólogo da Universidade de Wisconsin-Madison (EUA), que não estava envolvido no estudo, disse:

É sempre interessante e útil ver pesquisadores aplicando novos métodos para tentar ter uma idéia melhor de como poderiam ter sido as populações antigas.

 É um momento emocionante, porque esses estudos abrem uma janela mostrando que há muito mais do que pensávamos aprender sobre nossos ancestrais. Mas, na verdade, saber quem eram esses ancestrais, como eles interagiam e onde eles existiam exigirá trabalho de campo para encontrar seus restos fósseis e arqueológicos.

Não sabemos o que pode ter sido essa população africana. É tentador especular. Mas tenho que dizer que é muito cedo para saber. Não descobrimos fósseis suficientes na maior parte da África para dizer que sabemos o que havia lá.

(Fonte)


Até este momento, tudo que se fala a respeito desta descoberta é somente especulação. A verdade é que ninguém saber realmente como essas interações ocorreram e tampouco quem era exatamente essa “raça fantasma”.

A origem da raça humana é um grande mistério, e muitas das possibilidades são simplesmente descartadas pela ciência, sem qualquer estudo para comprovação ou negação, pois desafiam o “dogma da ciência”.

Talvez nossa a verdade seja mais simples do que imaginamos; mas quem sabe?

E não esqueça: clique aqui para acessar nossa página principal, a qual é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia.

n3m3

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS E REGRAS:

[Devido a problemas técnicos, dispositivos móveis que acessam a versão amp (Accelerated Mobile Pages) do OVNI Hoje não terão acesso ao sistema de comentários Disqus. Neste caso, para acessar os comentários simplesmente acesse o site ovnihoje.com diretamente, e não por intermédio do sistema de procura. Estou trabalhando para tentar resolver esta questão.]

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.