Ondas gravitacionais de fonte desconhecida atingem a Terra

Tempo de leitura: 2 min.

Algo grande aconteceu recentemente no espaço, mas os astrônomos não têm ideia do que era.

Ondas gravitacionais de fonte desconhecida atingem a Terra

O que quer que tenha acontecido, foi poderoso o suficiente para esticar o próprio tecido da realidade, enviando um breve momento de ondas gravitacionais, ondulando no espaço-tempo, e captado aqui na Terra.

O surto dessas ondas foi extraordinariamente breve e carecia de outras qualidades que os astrônomos costumam ver nas ondas gravitacionais.

Em 14 de janeiro, os astrônomos do Observatório de Ondas Gravitacionais com Interferômetro a Laser (de sigla em inglês, LIGO) e do interferômetro Virgo detectaram uma explosão de ondas gravitacionais com duração de 14 milissegundos. Os cientistas tentaram localizar a fonte das ondas, mas até agora não têm ideia do que as causou.

As ondas gravitacionais tendem a permanecer um pouco mais longas do que a explosão observada recentemente. A maioria das ondas gravitacionais detectadas é o resultado de dois objetos maciços colidindo entre si. À medida que os dois corpos de massa se aproximam cada vez mais da rota de colisão, as ondas gravitacionais mudam de frequência. Em 6 de janeiro, os pesquisadores publicaram suas observações de uma colisão entre duas estrelas de nêutrons que ocorreu em 2017.

É possível que essa explosão dessas ondas tenha resultado de um evento mais rápido e imediato, como uma estrela em colapso. No entanto, os pesquisadores nunca observaram as ondas gravitacionais de uma estrela em colapso.

Andy Howell, cientista da equipe da Rede Global de Telescópios do Observatório Los Cumbres, disse à Live Science:

[A explosão] parece um pouco curta para o que esperamos do colapso de uma estrela massiva. Por outro lado, nunca vimos uma estrela explodindo em ondas gravitacionais antes, então não sabemos realmente como seria.

Além disso, uma supernova produziria neutrinos – partículas subatômicas sem carga – e os pesquisadores não detectaram neutrinos ao lado das ondas gravitacionais. Alguns especularam que as ondas podem ter sido um sinal da estrela Betelgeuse, que recentemente agiu de forma estranha e está chegando ao fim de sua vida. No entanto, como aponta a Live Science, Betelgeuse ainda está lá.

É possível que a explosão de ondas tenha resultado de uma colisão imediata de um buraco negro, um evento que o LIGO estava procurando especificamente. No entanto, acredita-se que, embora uma colisão imediata de um buraco negro seja mais curta que a de uma colisão de estrelas de nêutrons, ainda seria possível ver as frequências variáveis ​​das ondas à medida que a colisão acontecesse.

Ainda outra possibilidade é que era uma supernova que imediatamente se transformou em um buraco negro sem produzir neutrinos, mas isso é altamente especulativo.

Os astrônomos agora estão apontando telescópios naquela região do céu para tentar determinar o que causou a explosão das ondas gravitacionais. Eles dizem que poderia ser um tipo totalmente novo de evento astronômico.

Parece que quanto mais telescópios e aparelhos temos no céu, mais eventos anômalos parecem ocorrer. É um bom lembrete de que não sabemos muito sobre o que acontece fora do nosso ponto azul claro

(Fonte)


Mistérios e mais mistérios vindos de fora.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.