Fragmentos do OVNI de Ubatuba podem ter sido dados para a TTSA

Tempo de leitura: 4 min.

O investigador e entusiasta do fenômeno OVNI, Danny Silva, publicou hoje em seu site o seguinte artigo, falando a respeito de possíveis fragmentos de um OVNI que se acidentou na praia de Ubatuba, estado de São Paulo – Brasil, em 1957.

Fragmentos do OVNI de Ubatuba podem ter sido dados para a TTSA
Imagem meramente ilustrativa.

Ontem, aprendemos sobre a viagem da To The Stars Academy (TTSA) à América do Sul e alguns dos casos em que eles estavam investigando. Desde que essa história foi divulgada, muitas pessoas estão pesquisando as entrevistas disponíveis, onde os membros da CEFORA têm falado sobre suas interações com Luis Elizondo e o que aconteceu, como Andrea Simondini. Uma das pessoas que twittou sobre a história de ontem, Akam, descobriu algo incrível mais uma vez. Durante uma entrevista, Andrea Simondini, membro do CEFORA, afirmou que Luis Elizondo recebeu fragmentos do OVNI do famoso evento brasileiro de Ubatuba.

[Para informações de como ativar a legenda em português do(s) vídeo(s) abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui.
(Macete: algumas legendas são melhores acompanhadas lendo-se somente a última linha)]

A entrevista é em espanhol. Por volta dos 43 minutos, o entrevistador pergunta:

Eu sei que houve muito diálogo com ele [Elizondo] para ver se isso poderia ser feito em conjunto ou colaboração em diferentes questões com a CEFORA, com pesquisadores argentinos e outros. O que você pode nos contar sobre isso em tempo hábil e eu também entendo que “ALGO” foi retirado do museu … mas, ei, primeiro conte-nos em que consistirá essa futura colaboração com Luis Elizondo, para a To The Stars Academy e com todo esse grupo.

Avançando, durante a resposta de Andrea Simondini, ela diz:

Conversei longamente sobre o trabalho que desenvolvemos como um projeto piloto, onde treinamos as pessoas, onde instalamos câmeras de alta tecnologia nos locais relevantes. Mas, para chegar a esse ponto, precisamos treinar as pessoas e que elas tenham a tecnologia. E eu falei sobre o trabalho realizado por Guille Victor e Chique Escalada, o trabalho de Chico Jarola com os drones e o trabalho que o pessoal de San Juan vem fazendo; conversamos sobre os esforços necessários e o progresso alcançado com o uso de tecnologias de treinamento. E o que eu propus a ele foi que, o que quer que pudéssemos fazer juntos, deveríamos colocá-lo em um documento escrito descrevendo todos esses pontos.

Foi o que fizemos, anotamos e, bem, demos a ele uma pequena amostra da peça de Ubatuba. A mesma peça que Jacques Valle já havia analisado antes.

Em uma comunicação anterior com Jacques Valle, eu disse a ele que faria isso, e ele respondeu muito gentilmente, dizendo-me que as informações sobre a análise que ele fazia eram todas públicas, que ele já apresentara esses resultados.

Bem, sabemos que esta apresentação foi no congresso OVNI de 2017 e, aliás, foi aí que Tom Delonge e Luis Elizondo descobriram a respeito da amostra. Em troca da peça, a ideia é receber financiamento para nossos projetos. Um deles será o Hangar 34. A ideia é, a partir de agora, também trabalhar em conjunto com o CRIFAT (Centro Regional Investigador de Fenómenos Aeroespaciales y Terrestres) no desenvolvimento desses projetos, uma vez que é um projeto regional. Além disso, a ideia é ter pesquisadores em tempo integral dedicados a esse projeto, o primeiro dos quais propus ser Luis Emilio Anino, para que ele desenvolva uma investigação verdadeira e total desse campo.

E bem, tudo o mais relacionado a consultas técnicas, treinamento de pesquisadores, análise de amostras, etc, etc, no devido tempo. Tudo isso dependerá dos resultados da análise da amostra e também veremos, e é a grande questão para muitas pessoas, se essas pessoas [TTSA] manterão sua palavra.

Andrea Simondini, membro do CEFORA, afirmou que Luis Elizondo recebeu fragmentos do OVNI do famoso evento brasileiro de Ubatuba.
Luis Elizondo e Andrea Simondini.

Desde que o Projeto de Pesquisa ADAM foi anunciado, sabíamos que a TTSA estava coletando ativamente amostras de todo o mundo para testes. Depois de exibir a papelada que dizia “Rendlesham” durante o trailer do ADAM Research Project, apenas para depois retirar o vídeo e desfocá-lo, muitos se perguntaram se teriam algum tipo de evidência ou mesmo material daquele caso.

Antes desta viagem à América do Sul em novembro passado, Luis Elizondo falou na Scientific Coalition for UAP Studies Conference (Conferência da Coalizão Científica para Estudos de UAP/OVNIS). Durante sua apresentação, o slide abaixo foi mostrado com fotos de algumas das amostras que a TTSA coletou.

Os doutores Jacques Vallee e Garry Nolan disseram isso sobre Ubatuba durante uma apresentação sobre materiais que deve ser assistida. Observe a foto de Jacques Vallee com ninguém menos que Andrea Simondini:

Ubatuba, Brasil – 7 de setembro de 1957
-Testemunhas: pessoas perto da praia
– Disco caiu, subiu novamente, explodiu
– Magnésio altamente puro (mais de 99,8%)
– Entrevista pessoas por JV com Dr. Fontes
– Análise confirmada pelo Dr. Sturrock (Stanford) e pelos laboratórios do governo francês
– Traços: Ca (3230 ppm), Sr (568), Ba (248), Si (156), Mn (59), Al (57) em amostra SU-H
– Múltiplas amostras disponíveis e relatos em primeira mão das análises
– Nota: discussão contínua sobre a data (1933, 1934?)
Mais sobre Ubatuba: História pitoresca
– Amostras da História:

Em setembro de 1957, o colunista Ibrahim Sued (O Globo) recebeu três fragmentos em uma carta de uma das testemunhas. O Dr. Olavo Fontes cortou a amostra I em sub-fragmentos para estudos nos laboratórios do governo do Brasil.
Um dos sub-fragmentos foi para o Laboratório de Produção Mineral, onde o químico chege, Dr. Feigl, fez a primeira análise. Outro sub-fragmento foi para a Dra. Louisa Laria Barbosa, a qual fez uma análise especográfica. O Dr. Elyasuario Tavora Filho do laboratório de Cristalografia fez a difração raio-X.

Os fragmentos 2 e 3 não foram testados no Brasil, infelizmente.

Fragmento 2 foi enviado para a APRO, no Arizona, e o sub-fragmentos foram testados em Oak Ridge. Dow Chemical e pela Força Aérea dos EUA (USAF) que os destruiu sua amostra acidentalmente (e pediu por mais!)

Fragmento 3 foi enviado para o projeto OVNI Colorado (Condon)

Mais tarde, APRO também enviou sub-fragmentos para o Dr. Sturrock em Stanford.

Uma das amostras foi roubada de seu cofre bancário…

É altamente debatido se algum detrito encontrado de fato vem de um OVNI. A história em si é muito complicada. (Para informações detalhadas, leia 12 and 3. O blog com o link “2” tem um comentário do próprio Vallee enfatizando a cautela.)

SilvaRecord.com e pesquisadores como Keith Basterfield tentam rastrear toda e qualquer pista sobre supostos detritos OVNI que a TTSA ou outras pessoas possam estar estudando. Se a TTSA está de fato agora testando supostos detritos de Ubatuba, é digno de nota o mínimo.

(Fonte)


Certamente, digno de nota!

Danny Silva está sempre de olho nos acontecimentos relacionados à To The Stars Academy, aos encontros da Marinha dos EUA com OVNIs (agora denominados por aquele governo de UAP – sigla inglês para Fenômenos Aéreos Não Identificados) e às ações em prol do desacobertamento dos OVNIs. Você pode segui-lo em seu site silvarecord.com, sua conta no Twitter, ou sua conta no Instagram.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.