web analytics

Os colonizadores de Marte passarão por rápida mutação, diz biólogo evolucionista

Tempo de leitura: 2 minutos


A vida humana – e genética – nunca será a mesma para os colonizadores de Marte.

colonizadores de Marte

Cientistas estão focados em levar humanos a Marte – e talvez até mesmo terraformarem o Planeta Vermelho. O objetivo do CEO da SpaceX, Elon Musk, é enviar humanos para Marte até 2024, e a NASA planeja enviar astronautas para lá depois da Lua.

Mas, apesar dos recursos serem canalizados para a tecnologia de nos transportar para o Planeta Vermelho, ainda não entendemos as implicações evolucionárias que o movimento terá sobre o corpo humano. Em uma nova entrevista com Inverse, o biólogo evolucionista e professor da Rice University, Scott Solomon, acha que vale a pena perguntar o que acontecerá com os colonos de Marte a longo prazo – à medida que as mutações começam a se espalhar pelo pool genético.

Ele perguntou ao site:

O que é interessante para mim como um biólogo evolucionista é pensar, e se formos realmente bem-sucedidos?

Não acho que tenha havido muita discussão sobre o que seria das pessoas que vivem nessas colônias gerações depois.

Desordem Genética

Em janeiro de 2018, Solomon fez uma palestra no TEDx em Houston, descrevendo as mudanças evolutivas que os primeiros colonos marcianos provavelmente terão. Após cerca de duas gerações, ele acha que seus ossos se fortalecerão, precisarão de óculos para miopia, seu sistema imunológico será nulo, a gravidez e o parto serão significativamente mais perigosos e a exposição à radiação – mais de 5.000 vezes a quantidade que temos. Ele está exposto na Terra durante uma vida normal, diz Solomon – poderia levar a um influxo de câncer.

Mais importante ainda? Salomão argumenta que os marcianos deveriam parar de se reproduzir com os humanos da Terra.

Ele diz no vídeo:

A evolução é mais rápida ou mais lenta, dependendo de quanto de vantagem existe para ter uma certa mutação.

Então, se os seres humanos em Marte ganham uma mutação que aumenta sua vantagem de sobrevivência, isso é uma coisa boa – mas Solomon diz que eles estarão “passando esses genes em uma taxa muito mais alta”.

(Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui. [Macete: dependendo do vídeo, a legenda é melhor seguida lendo-se somente a última linha.])

 Novos marcianos versus humanos terráqueos

O contato com os terráqueos pode até ser mortal para os marcianos – e vice-versa. Marte não tem nenhum microrganismo para transmitir doenças e, portanto, se a contaminação cruzada entre a Terra e Marte for controlada, Solomon explica que todas as doenças infecciosas podem ser eliminadas – o que significa que não deve haver conexão íntima entre os dois grupos.

Mas toda mutação não é ruim. Cada novo bebê na Terra nasce com 60 novas mutações, um número que Solomon diz que vai saltar para milhares em Marte. Por mutação, os seres humanos em Marte ganhariam benefícios vitais para lidar com o planeta brutal: um tom de pele diferente para proteger da radiação, menos dependência do oxigênio para se adaptar à atmosfera rarefeita, ossos mais densos para compensar a perda de cálcio durante a gravidez.

A gaveta CRISPR

Solomon sugere que poderíamos usar o CRISPR para projetar propositadamente essas mutações úteis.

Talvez seja tristemente irônico. Se a Terra se tornar inabitável e nós olharmos para outros planetas para uma nova casa, a única maneira de garantir a sobrevivência a longo prazo da espécie humana pode ser tornar-se uma espécie completamente diferente.

Solomon disse:

Se eventualmente virmos a habitar vários mundos espalhados pela galáxia, ao longo do tempo, poderemos ver a evolução de uma infinidade de novas espécies humanas.

Devemos reconhecer que aqui podem haver consequências não intencionais para quem nossos descendentes se tornarão muitas gerações a partir de agora.

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta e Universo. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


Essas são apenas teses com base naquilo que se conhece aqui na Terra. Mas, na verdade, não se sabe com certeza como a mudança para Marte afetará a raça humana.

Uma coisa é certa: na velocidade que o ambiente da Terra vem sendo degradado, é melhor procurarmos um novo lugar logo, senão estamos fadados à extinção.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

Termos recém pesquisados por leitores: