web analytics

O Cone de Arita: o local mais misterioso da Argentina tem grande histórico de avistamentos de OVNIs / UFOs

Tempo de leitura: 3 minutos


O local mais misterioso da Argentina, dentro da província de Salta, tem um histórico rico em avistamentos de OVNIs / UFOs. Conheça:

local mais misterioso da Argentina
O Cone de Arita: o local mais misterioso da Argentina.

Localizado entre as cidades de Caipe e Tolar Grande, o Salar de Arizaro é uma das formações naturais mais espetaculares da província de Salta (Argentina). A mais de 3.000 metros de altitude e uma área de 1.600 km2, o local recebe todos os anos milhares de turistas de todo o mundo.

Popularmente conhecido como ‘Cono de Arita‘ ou ‘Cerro Cono‘, trata-se de um lago superficial, cujos sedimentos formados por sais são precipitados por forte evaporação. A longo prazo, a precipitação é sempre maior que a alimentação ou a entrada de água na bacia, causando sua aparência peculiar.

O Cone de Arita: o local mais misterioso da Argentina tem grande histórico de avistamentos de OVNIs / UFOs 1
O Cone de Arita lembra a grande pirâmide do Egito.

O formato cônico e quase perfeito que domina a parte sul desse monte –com claras semelhanças às pirâmides do Egito — se eleva 200 metros acima do nível de Arizaro, e é considerado como o cone natural mais perfeito do mundo.

No Kunza ou linguagem Atacameño, a palavra Arizaro significa ‘ninho do condor’, referindo-se aos lugares onde descansavam os condores que sobrevoavam e desciam das montanhas para se alimentar de animais que estavam mortos no caminho.

O Cone de Arita: o local mais misterioso da Argentina tem grande histórico de avistamentos de OVNIs / UFOs 2
Uma ilha num mar de sal.

Com sua forma imponente e majestosa, o cone lembra uma ilha no meio do mar. Embora ainda existam muitas incógnitas quanto à sua origem, algumas lendas indicam que a formação natural poderia ter sido usada como um centro cerimonial inca.

Além das inúmeras excursões que chegam todos os dias da cidade de Salta, a área também se destaca por suas possibilidades industriais, graças à mineração de sal, mármore, ferro, cobre e ônix.

A apenas 80 quilômetros de carro do Tolar Grande, os melhores meses para visitar o cone são de novembro a abril e é recomendável levar roupas confortáveis ​​e binóculos para apreciar a fauna da região.

(Fonte)

Mas o que nos levou a apresentar este que é considerado o local mais misterioso da Argentina? Acontece que esta região é um local de vários avistamentos de OVNIs, como pode ser visto no artigo abaixo do site ElTribuno:

O Cone de Arita: o local mais misterioso da Argentina tem grande histórico de avistamentos de OVNIs / UFOs 3
Foto meramente ilustrativa.

A região norte da Argentina contém uma longa história de enigmas. Um lado misterioso que é uma parte muito importante da cultura de seus habitantes. E nos últimos anos, um mistério se repete cada vez mais nos céus salteños: as aparições dos OVNIs.

Os relatos são repetidos, muitos surpreendentes, outros duvidosos. Há, inclusive, evento conhecidos como ‘contatos imediatos do terceiro grau‘.

Em cidades ou lugares solitários, em montanhas, selvas ou em rios e diques, os fenômenos ufológicos são cada vez mais frequentes. Por outro lado, a massificação de tecnologias capazes de registrar esse tipo de evento nos dá a possibilidade de acessar diversos depoimentos. Mas são fatos que há muito acontecem em Salta.

O princípio

O Cone de Arita é uma formação atípica, que muitos consideram natural, embora seja única no mundo. Em abril de 1956, um ‘charuto voador’ sobrevoou o cone misterioso quatro vezes no mesmo dia. Foram tiradas fotos, iniciando assim os estudos de ‘ovnilogia’ do fenômeno na Argentina.

Naqueles dias, uma violenta explosão sacudiu as encostas do Nevado de Macón, um cume próximo ao Cone, em Tolar Grande.

Em janeiro de 1957, uma expedição liderada pelo médico José Cerato, escalou o Macon e o que encontraram foi, segundo a história de Cerato à imprensa, “uma série de traços semelhantes aos que poderiam deixar máquinas muito pesadas, base plana, que haviam pousado no lugar”.

Em 25 de setembro de 1956, as agências de imprensa argentinas relataram um avistamento de OVNIs em Pajas Blancas, em Salta. Várias testemunhas viram o pouso de uma estranha aeronave em forma de ovo. Apesar de seu enorme tamanho, ela subiu levemente em espiral.

Em 27 de junho de 1962, o povo de Salta viu no céu um enorme ‘disco brilhante’ que ficou vários minutos suspenso sobre a Capital. De lá caiu uma substância, descrita para o jornal El Tribuno por uma testemunha, como um ‘fino pó cinza’.

Em 12 de julho de 1968, Elisa Medina, uma moradora do local, ouviu um barulho vindo do céu. Então ela percebeu como um raio de luz muito poderoso iluminava o ambiente. Ela começou a gritar, mas uma força estranha a imobilizou, deixando-a “como se estivesse presa ao chão”.

Em maio de 1978, um OVNI caiu perto do parque nacional de Baritú. A polícia localizou estranhos pedaços de metal perto de Santa Victoria Oeste.

Em 6 de maio de 1978, um objeto cilíndrico, com um rastro em chamas, foi observado por milhares de pessoas. Finalmente, o objeto atingiu a montanha El Taire, na Bolívia. Deixou uma trilha de 300 metros de profundidade, 500 metros de largura e 1,5 quilômetros de extensão.

(Fonte)

Colaboração: RadicalLivre


n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.



ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado superior direito de cada comentário.

Obrigado.