web analytics

Estranha estrela emissora de ondas de rádio parece estar despertando novamente

Tempo de leitura: 2 minutos


A palavra ‘Magnetar’ parece ser o nome de um super-herói ou um vilão de histórias em quadrinhos, mas na verdade é um dos tipos mais raros de objetos celestes – uma estrela de nêutrons com um campo magnético extremamente forte.

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.) (Missão do OVNI Hoje)

Estranha estrela emissora de ondas de rádio parece estar despertando

Somente 23 magnetares foram descobertos e apenas quatro deles são do tipo cujo campo magnético em rápida decadência está enviando ondas de rádio. Um sinal de socorro? Se é assim, parecia que estávamos muito atrasados ​​para recebe-lo do magnetar XTE J1810-197, que de repente parou de enviar ondas de rádio dez anos atrás. Agora, inesperadamente, está enviando de novo. Devemos responder?

Esses objetos bizarros são estrelas de nêutrons que possuem campos magnéticos um milhão de bilhões de vezes mais poderosos que o campo da Terra, ou cerca de 1.000 vezes maiores que as de estrelas de nêutrons normais.

“These bizarre objects are neutron stars possessing magnetic fields a million billion times more powerful than Earth’s field, or some 1,000 times greater that those of normal neutron stars.”

Como explicado no site Sky & Telescope, os magnetares não são algo que você gostaria de se aproximar enquanto estiver usando uma fivela metálica de cinto. Na verdade, você pode não querer chegar perto de um desses de forma alguma. Veja o que a Scientific American diz que acontecerá:

Os fótons de raios-X dividem-se rapidamente em dois ou mesclam-se. O vácuo em si é polarizado, tornando-se fortemente birrefringente, como um cristal de calcita. Os átomos são deformados em cilindros longos, mais finos que o comprimento de onda de Broglie de um elétron.

Sem saber o que essas coisas significam, ainda assim parecem muito ruim.

No entanto, os astrônomos ficaram entusiasmados ao descobrir o XTE J1810-197 em 2004, porque foi o primeiro magnetar a ter pulsações ou ondas de rádio detectáveis. As ondas foram altamente variáveis ​​e continuaram até o final de 2008, quando pararam de repente.

Os astrônomos são um grupo paciente e persistente, então um grupo liderado por Lina Levin, do Centro de Astrofísica Jodrell Bank da Universidade de Manchester, continuou observando o magnetar usando o telescópio Lovell no Observatório Jodrell Bank. Depois de apertar os olhos pela ocular por dez anos (figurativamente, é claro), Levin foi recompensada por sua perseverança em 8 de dezembro de 2018, quando detectou um sinal de rádio pulsado a 1,52 GHz da XTE J1810-197.

Depois que celebração terminou e o champagne foi embora, eles notaram que algo havia mudado com o XTE J1810-197.

As variações de pulso vistas até agora da fonte foram significativamente menos dramáticas, em escalas de tempo de horas a meses, do que em 2006.

O magnetismo de um magnetar é um mistério, embora a causa mais provável seja sua massa densa girando centenas a milhares de vezes por segundo. As ondas de rádio igualmente massivas e misteriosas parecem vir de starquakes (terremotos em estrelas) causados pelo movimento na crosta do magnetar que realinha seu campo magnético.

Então, as ondas de rádio não estão sendo enviadas por uma raça alienígena moribundo à procura de um lugar para enviar seu filho para viver e começar a sua espécie de novo, ao tornar-se um super-herói indestrutível, cuja arqui-inimigo é ironicamente chamado Magnetar … mesmo que isso daria um ótimo filme.

Por enquanto, temos que nos contentar com a leitura do novo estudo de Levin e esperar por futuras observações.

(Fonte)

Colaboração: SENAM


n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS: