web analytics

Arquivos desclassificados mostram que a CIA procurou por Yetis e um ‘enorme disco metálico’ no Nepal

Tempo de leitura: 3 minutos


Quando a CIA liberou milhões de documentos desclassificados em 2017 e os colocou em um banco de dados on-line pesquisável, esperava-se que algumas coisas seriamente assustadoras aparecessem.

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.) (Missão do OVNI Hoje)

Arquivos desclassificados mostram que a CIA procurou por Yetis e um 'enorme disco metálico' no Nepal

É do conhecimento público que a CIA conduziu pesquisas sobre todos os tipos de fenômenos paranormais ou anômalos, variando de habilidades psíquicas a OVNIs, mas um novo conjunto de documentos descobertos entre os milhões de arquivos revelou que a agência de inteligência dos EUA chegou a procurar pelo lendário Yeti (Bigfoot) nas montanhas do Nepal. O abominável homem-macaco da neve jamais foi encontrado?

Quem sabe; afinal de contas, a CIA provavelmente divulgou esses documentos apenas para aplacar o público sob o disfarce de transparência e está retendo as coisas realmente boas em armazéns empoeirados cheios dos maiores mistérios e segredos do mundo. Ainda assim, esses novos documentos se somam a um corpo crescente de evidências mostrando que a CIA pode levar a sério fenômenos ou entidades paranormais, inclusive o Yeti – ou pelo menos se referir a eles para cobrir seus rastros.

Os documentos foram “desenterrados” e publicados on-line por Amish Raj Mulmi no Kathmandu Post. Além dos documentos sobre o Yeti, os arquivos mostram que a CIA teve interesse em pelo menos sete avistamentos diferentes de objetos voadores não identificados acima do Nepal e Butão em 1968. Os objetos não identificados descritos nos relatórios variam de uma “luz branca” emitindo “sons explosivos”. ”E“ fumaça branca ”para objetos em forma de charuto que se movem rapidamente, lembrando muitos outros avistamentos de OVNIs do período de tempo. Aqui estão as “Particulares do Objeto” de um relatório de 19 de fevereiro de 1968:

Um objeto em movimento rápido, longo e fino, emitindo luz vermelha e verde brilhante, tão brilhante como a luz do dia. O som do trovão é ouvido após alguns segundos avistar o objeto.

A fast-moving object, long and thin, emitting red and green bright light, as bright as to cause daylight. Thunder sound heard after few second of sighting object.

Claro que soa muito como um teste de mísseis balísticos ou aviões em grande altitude quebrando a barreira do som (aeronaves geralmente têm luzes de navegação vermelhas e verdes nas pontas das asas esquerda e direita, respectivamente). Isso faria sentido dado o contexto histórico e político em torno desses avistamentos, que aconteceu no auge do envolvimento dos EUA na Guerra do Vietnã e em um momento em que a recém-formada República Popular da China estava aumentando sua pesquisa de mísseis, programa de armas nucleares. e produção de aeronaves domésticas.

Naturalmente, então, a CIA teria desejado documentar qualquer avistamento de objetos aéreos anômalos, caso eles pudessem lançar luz sobre o que os chineses ou soviéticos estavam fazendo nos céus acima da região. Um relato até menciona que “um enorme objeto metálico em forma de disco, com uma base de seis pés (1,80 m) e quatro pés (1,20 m) de altura foi encontrado em uma cratera” ao pé do Himalaia. Poderia ter sido um avião ou míssil soviético ou chinês caído, ou foi algo estranho?

Arquivos desclassificados mostram que a CIA procurou por Yetis e um 'enorme disco metálico' no Nepal 1
China e Nepal compartilham uma fronteira montanhosa com vários portos de entrada como a ‘estrada em zigue-zague’ vista aqui.

Os documentos descobertos pelo Kathmandu Post também contêm um telegrama enviado em 30 de novembro de 1959 da embaixada americana em Kathmandu para o Departamento de Estado em Washington, DC. O documento descreve os regulamentos oficiais dos EUA que regem expedições de alpinismo no Nepal – relacionadas ao Yeti e o que o pessoal americano que conduz as chamadas “Expedições de montanhismo e expedições científicas no Nepal” deve fazer em caso de contato com o Yeti:

1. Royalty de Rs. 5000 / – Moeda indiana, terá que ser paga ao governo de Sua Majestade do Nepal para uma licença para realizar uma expedição em busca de ‘Yeti’.

2. No caso de ‘Yeti’ ser rastreado, ele pode ser fotografado ou capturado vivo, mas não deve ser morto ou atingido por tiro, exceto em uma emergência decorrente de autodefesa. Todas as fotografias tiradas do animal, a própria criatura se capturada viva ou morta, devem ser entregues ao Governo do Nepal com a maior brevidade.

3. As notícias e os relatos que lançam luz sobre a existência real da criatura devem ser submetidos ao Governo do Nepal assim que estiverem disponíveis, e não devem de forma alguma ser entregues à imprensa ou aos repórteres para publicidade sem a permissão do Governo do Nepal.

Enquanto aqueles que realmente acreditam no Bigfoot possam apontar para este documento como prova do conhecimento do governo dos EUA sobre o lendário Yeti, pode muito bem ser que essas mensagem estavam realmente usando o Yeti para esconder a verdadeira natureza destas supostas ‘Expedições de Montanhismo e Expedições Científicas’. No final dos anos 1950, a CIA e o governo dos EUA estavam profundamente preocupados com a disseminação das forças comunistas chinesas em toda a região, enquanto os chineses afirmavam ativamente sua presença ao longo da fronteira com o Nepal. Pode ser que a caça ao Yeti seja na verdade uma cobertura para os espiões vigiarem as atividades da RPC na região. É sabido que a CIA e outras agências de inteligência costumam usar ‘expedições científicas’ como cobertura para enviar agentes para o campo; se você substituir cada instância de ‘Yeti’ no documento por ‘espiões chineses ou batedores’, essas mensagens começarão a fazer muito mais sentido.

Há muito tempo suspeita-se que as agências de inteligência intencionalmente confundem as informações, usando alegada atividade paranormal para encobrir seus rastros.

Embora esses documentos estejam longe de ser uma prova contundente, eles podem mostrar como o estudo governamental de fenômenos anômalos pode ser usado para mascarar o verdadeiro propósito das atividades de coleta de inteligência da CIA ou de outras agências.

Poderia a CIA realmente ter caçado o lendário Yeti e coletado relatos de fenômenos aéreos verdadeiramente não identificados? É possível, mas é muito mais provável que eles estavam acompanhando a favorita inimiga dos EUA, a República Popular da China.

(Fonte)


Será mesmo que o autor do artigo acima está correto em suas presunções a respeito das intenções da CIA quanto à investigação desses fenômenos anômalos?

Ainda acho que “verdadeira verdade” sobre essas atividades ainda está para ser revelada.