Enquanto os astrônomos debatem a hipótese da nave espacial Oumuamua, uma missão secreta foi enviada para explorá-la

Embora as informações ao final do artigo abaixo possam parecer sensacionais demais para serem verdadeiras, o que foi relatado pelo astrônomo Avi Loeb em sua entrevista, (que pode ser lido no meio do artigo), é espetacular o suficiente para deixar qualquer ser pensante de boca aberta:

Enquanto os astrônomos debatem a hipótese da nave espacial Oumuamua, uma missão secreta foi enviada para explorá-la
Ilustração artística do Oumuamua e da nave espacial o visitando. Crédito: Gaia TV / Sphere Being Alliance

Em 16 de janeiro, o chefe do departamento de astronomia da Universidade de Harvard, Prof. Abraham Loeb, deu uma entrevista onde defendeu seu polêmico artigo de que o objeto interestelar detectado por um telescópio no Havaí em 19 de outubro de 2017, chamado “Oumuamua”, era uma nave espacial de algum tipo. Enquanto os astrônomos continuam debatendo os escassos dados científicos recolhidos dos telescópios para determinar as origens e a natureza do Oumuamua, um relatório de denúncias de uma suposta missão espacial secreta ao Oumuamua, a qual adquiriu muitos dados científicos após o desembarque, está sendo ignorado.

Embora os astrônomos possam ser perdoados por ignorarem relatos de missões secretas de artefatos no sistema solar devido à falta de dados científicos corroborantes, cientistas políticos interessados ​​em assuntos espaciais, que se enquadram nas rubricas da “astropolítica” ou “exopolítica”, não gozam de tal luxo. Informates/denunciantes fornecem um raro vislumbre do mundo rarefeito de projetos compartimentalizados e altamente classificados e, portanto, suas alegações precisam ser investigadas, uma vez que evidências corroborativas podem estar ausentes devido ao processo de classificação, em vez de serem inexistentes. Se for considerado credível, as alegações dos informantes/denunciantes precisam ser analisadas com relação aos dados científicos disponíveis, conforme descrito em um documento publicado em 2014 no Astropolitics Journal.

Antes de examinar a alegada missão secreta que pousou no Oumuamua, vale a pena rever o que os astrônomos disseram sobre o assunto até à data.

Em uma palestra TED publicada em 19 de julho de 2018, a astrobióloga, Dra. Karen J. Meech, discutiu o que se sabia sobre o Oumuamua, que recebeu a designação formal de 1I / 2017 U1. Ela explicou a empolgação dos astrônomos que há muito esperavam a chegada do primeiro objeto de outro sistema solar. Eles inicialmente deram a ele o nome informal de Rama, que era o nome da espaçonave abandonada descrita no romance de 1973 de Arthur C. Clark, “Rendezvous with Rama“, que foi avistado depois de passar perto da Terra.

Meech explicou em sua palestra no TED que isso não era considerado adequado. Como será explicado mais tarde, o nome Rama foi de fato muito apropriado, dado que um programa espacial secreto organizou uma missão de pouso.

Dado que o objeto interestelar foi descoberto a partir do telescópio Pan-STARRS no Observatório Haleakala, na ilha havaiana de Maui, dois especialistas em cultura do Havaí foram consultados. Eles o chamaram de ‘Oumuamua – havaiano para “batedor ou mensageiro de um passado distante nos alcançando”. As imagens obtidas pelos telescópios Hubble e Pan-STARRS eram muito fracas, então não se podia aprender muito sobre a geometria e composição de Oumuamua.

No entanto, a representação inicial do artista era a de que se tratava de um objeto em forma de charuto comprido que girava e rolava ao longo de seu caminho orbital interestelar, como se fosse violentamente ejetado de algum evento estelar distante que ocorrera no passado remoto.

O que realmente atraiu a atenção científica foi quando Oumuamua acelerou ao se aproximar do Sol, de acordo com dados fornecidos pelo telescópio Hubble em junho de 2018.

Embora a aceleração é normal para cometas que têm longas caudas geladas que se inflamam, impulsionando o cometa para a frente, o Oumuamua não era um cometa. De alguma forma, a energia solar parecia estar acelerando Oumuamua.

Isso levou o Prof. Loeb e seu colega do Centro Smithsoniano de Astrofísica de Harvard, Dr. Shmuel Bialy, a especularem que Oumuamua pode ter contido uma vela solar e, portanto, estar sendo carregada e acelerando ao receber a energia solar. Eles apresentaram sua conjectura em um artigo intitulado “Could Solar Radiation Pressure Explain Oumuamua’s Peculiar Acceleration?” (‘Poderia a Pressão da Radiação Solar Explicar a Aceleração Peculiar do Oumuamua?’)…

Bialy e Loeb ofereceram também uma explicação ainda mais exótica de que o Oumuamua é uma sonda interestelar que está basicamente em repouso, vindo de outras estrelas em nosso aglomerado estelar local.

Alternativamente, um cenário mais exótico é que o Oumuamua pode ser uma sonda totalmente operacional, enviada intencionalmente à vizinhança terrestre por uma civilização alienígena. Esta discrepância é prontamente resolvida se o Oumuamua não seguir uma trajetória aleatória, mas sim uma sonda direcionada. É interessante notar que a velocidade de entrada do Oumuamua é extremamente próxima da velocidade do Padrão Local de Repouso, em uma região cinemática ocupada por menos de 1 para 500 estrelas.

Em sua entrevista de 16 de janeiro, Loeb elaborou a ideia do Oumuamua ser uma espécie de sonda interestelar ou boia alimentada por velas solares que uma vez monitoraram o tráfego espacial em nossa região local da galáxia:

Se você calcular a média das velocidades de todas as estrelas da região … você obtém um sistema que é chamado de ‘padrão local de descanso’. O Oumuamua estava em repouso em relação a esse sistema. Não chegou até nós. Ele esperou no lugar, como uma boia na superfície do oceano, até que a ‘nave’ do sistema solar o encontrou. Para esclarecer as coisas, apenas uma das 500 estrelas no sistema está tão em repouso quanto o Oumuamua…

Loeb em sua entrevista explica que ele e seu colega Bialy não são os únicos astrônomos questionando se o Oumuamua é uma espaçonave extraterrestre, mas os outros estão relutantes em declarar publicamente suas opiniões, dada a escassez de dados recolhidos a partir dos telescópios Pan-STARRS e Hubble.

O que surpreenderia muito Loeb e outros astrônomos é que muito mais dados científicos sobre Oumuamua foram coletados, mas isso foi classificado em um nível muito alto de segurança nacional.

De acordo com Corey Goode, que afirma ter trabalhado em vários programas espaciais secretos, ele assistiu a uma gravação em vídeo de uma missão secreta de pouso no Oumuamua, conduzida por uma aliança desses programas que primeiro a observaram antes de sua entrada em nosso sistema solar. Isso é particularmente significativo, considerando-se que a descoberta “oficial” de Oumuamua em 19 de outubro de 2017 ocorreu após ele passar pelo Sol e pela Terra na porção externa de sua jornada interestelar.

A credibilidade de Goode como um genuíno informante recebeu recentemente um impulso dramático com a confirmação de dois Documentos de Referência de Inteligência de Defesa (de sigla em inglês, DIRD) lidando com “motores de dobra espacial” e “buracos de minhoca” que ele foi o primeiro a divulgar publicamente no final de 2017. Os documentos mostraram a viabilidade de tecnologias de propulsão avançadas que Goode alegou terem sido usadas em programas espaciais secretos.

Os dois documentos faziam parte de uma lista de 38 documentos “Não Secretos: Somente Para Uso Oficial” que a Agência de Inteligência da Defesa confirmou como autênticos em 16 de janeiro de 2019, em resposta a um pedido pela Federação dos Cientistas Americanos através da Lei de Liberdade de Informação.

A recente confirmação dos documentos DIRD vazados de Goode significa que seu testemunho sobre o Oumuamua não pode ser simplesmente descartado, e vale a pena ser considerado pelos astrônomos que buscam respostas para a origem e composição de Oumuamua.

Em janeiro de 2018, Goode forneceu uma descrição detalhada do que ele viu em um vídeo mostrado a ele e a outros que participavam de uma coletiva sobre atividades espaciais secretas recentes. Goode escreveu sobre o que ele testemunhou junto com a explicação de um ex-oficial da USAF [Sigmund] participando da apresentação:

A pessoa que conduziu a reunião chamou nossa atenção para um grande monitor de vidro inteligente (smart-glass) que estava descendo do teto. Sigmund, em seguida, levantou-se e disse: “Eu tenho um deleite para vocês dois.” Ele caminhou até o monitor e olhou para ele enquanto conversava. Ele afirmou que estavam monitorando o que parecia ser uma espaçonave abandonada que estava indo em direção ao nosso sistema solar.

Isto provaria ser o mesmo asteroide em forma de charuto que a NASA e a mídia convencional apelidaram de Oumuamua, e divulgado amplamente neste mesmo período de tempo.

Goode explicou em seguida o que lhe foi dito sobre a missão espacial secreta enviada para observar e pousar em Oumuamua:

Sigmund respirou orgulhosamente e declarou: “Eu comandei uma expedição para ver a quem esta embarcação pertencia. Espere até ouvir o que encontramos.”

De repente, começamos a ver todo tipo de leitura e telemetria no monitor. Eu também podia ouvir o que parecia uma transmissão de rádio antiga da NASA. Havia bipes junto com um piloto informando as posições de sua nave, bem como do objeto que ele estava tentando atracar. Isso durou cerca de cinco minutos quando vi as duas embarcações se aproximando cada vez mais.

Enquanto o piloto se ajustava com o giro do objeto que eles estavam se aproximando, você podia ver uma longa estrutura em forma de charuto que tinha manchas brilhantes que pareciam ser gelo do lado de fora. Era obviamente feito de pedra e parecia ter passado por muitas chuvas de meteoros e colisões. O vídeo rompeu com uma cena em que algumas pessoas vestidas com trajes espaciais estavam se empurrando pelo que parecia ser um buraco que descia para dentro da rocha.

Goode também descreveu o que os astronautas do programa espacial secreto encontraram quando entraram no Oumuamua:

A nave havia atracado com a nave misteriosa perto do que parecia ser uma cúpula oval metálica, que estava a cerca de um terço da sua fuselagem. Parecia ter sido violada muitas vezes e estava cheia de buracos e amassados ​​de impactos óbvios. Na cena seguinte, você podia ver os homens em um ambiente sem gravidade, com luzes no peito, capacetes e no topo de seus pulsos. Eles se separaram e estavam conversando entre si através dos sistemas de comunicação em seus trajes.

Um deles estava retirando amostras do resíduo gelado no chão e nas paredes. Essa mesma lama orgânica congelada também estava do lado de fora da nave. Parecia uma água do lago espumosa e suja que havia sido congelada. A nave era obviamente muito antiga. Fora embarcada e despida de tecnologia muitas vezes por raças desconhecidas.

Sigmund afirmou que quando testaram o lodo mais tarde, eles determinaram que era em parte os restos da tripulação original. Havia muitos painéis removidos das paredes, tetos e pisos, deixando compartimentos vazios onde a tecnologia já havia estado localizada.

Goode continuou descrevendo a descoberta de corpos preservados de ex-tripulantes, a identidade de uma antiga raça extraterrestre a que pertenciam, a nave sendo aprisionada em órbita por milhões de anos e uma linguagem hieroglífica encontrada dentro da nave.

Tudo isso pode parecer incrível para os astrônomos, confiando nos escassos dados fornecidos pelos dois telescópios que observaram o Oumuamua de uma grande distância. A liberação de Goode dos documentos da DIA, mostrando a viabilidade de sistemas avançados de propulsão, como os motores de dobra espacial, dá um grau de credibilidade à afirmação de que uma missão espacial secreta até o Oumuamua foi realizada e gravada em vídeo.

É certo que o vídeo que Goode testemunhou foi mostrado a muitos cientistas “com necessidade de saber” dentro do mundo secreto dos programas espaciais secretos. A semelhança do relato de Goode com o que Clark descreveu em “Rendezvous with Rama” é extraordinária. Talvez o Prof. Loeb e o Dr. Bialy possam ter tomado conhecimento de tais informações extraordinárias e estejam apresentando sua hipótese da espaçonave Oumuamua para abrir a mente de colegas incrédulos. Eventualmente, esses dados secretos serão revelados para fornecer uma visão muito mais precisa e completa de objetos como o Oumuamua entrando ou já dentro do no nosso sistema solar, e as missões secretas para estes, conduzidas por múltiplos programas espaciais secretos.

(Fonte)


É claro que Corey Goode pode simplesmente ter se baseado no romance de Arthur C. Clark para inventar sua história. Mas o que realmente impressiona a respeito de tudo isso é a forma com que Avi Loeb e seu colega Dr. Shmuel Bialy insistem na possibilidade do Oumuamua ser uma nave espacial de alguma outra civilização.

n3m3

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.