web analytics

Encontrado local do desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines

Tempo de leitura: 2 minutos

Devido à forma misteriosa como o voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu, em março de 2014, o OH tem acompanhado esta saga desde o início, lembrando que uma das teses para seu desaparecimento, embora pouco provável, é a de que o voo tenha sido abduzido por alienígenas.

Agora, uma empresa britânica diz ter determinado o local exato do desaparecimento desse voo:

Encontrado local do desaparecimento do voo MH370

A localização do voo MH370 da Malaysia Arilines foi descoberta pela empresa de telecomunicações britânica Inmarsat, utilizando dados nunca antes usados ​​de seus satélites, de acordo com Jeff Wise, autor de The Plane That Wasn’t There There (O Avião Que Não Estava Lá – Título em tradução livre).

A localização oficial do jato desaparecido da Malaysia Airlines é o Oceano Índico, baseado em dados chamados Burst Frequency Offset (BFO). Wise disse:

Assim como o movimento de um trem em alta velocidade faz o tom de seu apito subir ou descer, o movimento relativo do satélite e do avião muda a frequência dos sinais de rádio transmitidos entre eles. O BFO é uma medida dessa diferença.

A partir de dados anteriores, a Inmarsat já havia descoberto que o avião tinha voado em uma das duas direções – uma via norte e uma via sul.

O corredor norte teria visto o avião acabar em algum lugar no Cazaquistão; no corredor sul. no Oceano Índico, a oeste de Perth.

Ao descobrir quais fatores afetam o valor do BFO, a Inmarsat poderia calcular o valor que eles esperariam ver se o avião tivesse voado para o norte, comparado com se ele tivesse voado para o sul.

A diferença entre os valores seria ‘forte’.

Uma vez que resolveram isso, eles descobriram que os valores de BFO registrados por seu satélite estavam muito mais próximos do valor esperado para se o avião tivesse voado para o sul, ao invés do norte.

Foi assim que as autoridades usaram os dados para concluir positivamente que o voo MH370 caiu no Oceano Índico.

Havia muitos fatores que poderiam afetar o BFO, como velocidade, direção e localização do avião, velocidade e localização do satélite, assim como o movimento relativo do satélite e da estação terrestre.

Apesar dos obstáculos, a Inmarsat conseguiu criar um mecanismo de entendimento dos valores do BFO com “precisão razoável”.

Eles verificaram seu método calculando os valores de BFO para os aeronaves que estavam realmente no ar ao mesmo tempo que o MH370, e comparando-os com os valores reais registrados.

Uma vez combinados, foi confirmada sua hipótese.

Wise disse:

Ninguém jamais tentou usar valores de BFO para tentar determinar a localização de um avião perdido antes.

A Inmarsat teve que descobrir a análise do zero e essa tarefa acabou sendo intimidante.

Isso provou que o MH370 havia de fato caído no Oceano Índico.

(Fonte)


Na verdade, ao invés de ter dito que “isto provou que o MH370 havia de fato caído no Oceano Índico“, a Inmarsat deveria declarar: “Isto provou que o MH370 desapareceu sobre o Oceano Índico”, pois embora em agosto de 2015 as autoridades malaias confirmaram ter encontrado alguns pequenos destroços que seriam desse trágico voo, a descoberta foi colocada em dúvida como sendo uma forma daquele governo apaziguar os parentes das vítimas, pois nada mais foi encontrado.

Se a empresa realmente sabe o ponto onde a aeronave desapareceu, então pode-se esperar que logo farão uma varredura do fundo do oceano naquela região para encontrar mais destroços. Porém, se não encontrarem nada, as teorias da conspiração continuarão a nos assombrar, inclusive a de que o voo foi levado por alienígenas (mas como disse anteriormente, muito improvável).

Enquanto nada incontestável for encontrado, este continua sendo o maior mistério da aeronáutica mundial dos últimos tempos.

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores: