Um gigantesco ecossistema repleto de vida vive a quilômetros abaixo de nosso pés, descobriram cientistas

Bactérias “zumbis” e outras formas de vida constituem uma imensa massa de carbono nas profundezas da Terra – 245 a 385 vezes maior do que a massa de carbono de todos os seres humanos na superfície, de acordo com cientistas que estão próximos ao fim de um período de uma colaboração internacional de 10 anos para revelar os segredos mais profundos da Terra. 

Na véspera da reunião anual da União Geofísica Americana, cientistas com o Observatório Deep Carbon relataram hoje várias descobertas transformacionais, incluindo quanto e quais tipos de vida existem na subsuperfície profunda sob os maiores extremos de pressão, temperatura e baixo consumo de energia. e disponibilidade de nutrientes. 

Perfurando 2,5 km no fundo do mar e amostrando micróbios de minas continentais e furos de mais de 5 km de profundidade, a equipe usou os resultados para construir modelos do ecossistema nas profundezas do planeta.

Com o conhecimento adquirido nas centenas de locais sob os continentes e mares, eles se aproximaram do tamanho da biosfera profunda – de 2 a 2,3 bilhões de quilômetros cúbicos (quase o dobro do volume de todos os oceanos) – assim como a massa de carbono da vida profunda: 15 a 23 bilhões de toneladas (uma média de pelo menos 7,5 toneladas de carbono por km de superfície). 

O trabalho também ajuda a determinar tipos de ambientes extraterrestres que poderiam suportar a vida. 

Entre muitas descobertas importantes estão:

-A biosfera profunda constitui um mundo que pode ser visto como uma espécie de “galápagos subterrâneos” e inclui membros de todos os três domínios da vida: bactérias e archaea (micróbios sem núcleo ligado à membrana) e eucarya (micróbios ou organismos multicelulares com células) que contêm um núcleo, bem como organelas ligadas à membrana) 

-Dois tipos de micróbios – bactérias e archaea – dominam a Terra Profunda. Entre eles estão milhões de tipos distintos, a maioria ainda por descobrir ou caracterizar. Essa assim chamada “matéria escura” microbiana expande dramaticamente nossa perspectiva sobre a árvore da vida. Os cientistas da Deep Life (Vida Profunda) descobriram que cerca de 70% das bactérias e archaea da Terra vivem na subsuperfície. 

-Micróbios das profundezas são frequentemente muito diferentes dos seus primos de superfície, com ciclos de vida em escalas de tempo quase geológicas, se alimentando, em alguns casos, com nada mais do que energia das rochas.

-A diversidade genética da vida abaixo da superfície é comparável ou supera a acima da superfície.

-Enquanto comunidades microbianas subsuperficiais diferem grandemente entre ambientes, certos gêneros e grupos taxonômicos mais altos são onipresentes – eles aparecem em todo o planeta.

-A riqueza da comunidade microbiana se relaciona com a idade dos sedimentos marinhos onde as células são encontradas – sugerindo que nos sedimentos mais antigos, a energia dos alimentos diminuiu com o tempo, reduzindo a comunidade microbiana.

-Os limites absolutos da vida na Terra em termos de temperatura, pressão e disponibilidade de energia ainda não foram encontrados. Os recordes são continuamente quebrados. Um pioneiro para o organismo mais quente da Terra no mundo natural é o Geogemma barossii, um organismo unicelular que se desenvolve em fontes hidrotermais no fundo do mar. Suas células, minúsculas esferas microscópicas, crescem e se reproduzem a 121 graus Celsius (21 graus mais quentes do que o ponto de ebulição da água).

-A vida microbiana pode sobreviver até 122 °C. (Como comparação, o recorde alcançado em uma cultura de laboratório que ocupa o lugar mais quente na superfície da Terra, em um deserto iraniano desabitado, é de cerca de 71 °C – a temperatura do bife bem passado). 

-A profundidade recorde em que a vida foi encontrada no subsolo continental é de aproximadamente 5 km; o recorde em águas marinhas é de 10,5 km da superfície do oceano, uma profundidade de extrema pressão; a uma profundidade de 4000 metros, por exemplo, a pressão é aproximadamente 400 vezes maior do que no nível do mar. 

(Fonte)

Colaboração: Osnir Stremel Jr., Vanderlian Siqueira, Lênio


Se toda essa massa de vida esteve todo este tempo oculta para nós aqui em nosso planeta, imagine só o que pode estar oculto no nosso próprio sistema solar e além.

n3m3

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.