web analytics

Criança enterrada com pedra na boca era considerada vampiro

Tempo de leitura: 2 minutos

Esta notícia está sendo publicado nos veículos tradicionais de imprensa na Europa e nos EUA, e parece ser um tanto interessante. Afinal, embora não tenha uma conexão direta ao tema deste site, sempre é bom obter conhecimentos além daquilo que é mundano.

Criança enterrada com pedra na boca era considerada vampiro

Você já ouviu falar do ‘Vampiro de Lugano’? Aparentemente, é isso que os moradores da comuna italiana de Lugano, em Teverina, chamam este estranho achado arqueológico – os restos mortais de uma criança de 10 anos encontrada em um cemitério do Século V, o qual acreditava-se ser originalmente reservado para bebês.

Mas não é a idade da morte que torna esta descoberta tão estranha… é a pedra colocada na boca do esqueleto. Os pesquisadores acreditam que ele foi intencionalmente colocado como parte de um ritual para evitar que o menino de 10 anos ressuscitasse e infectasse a comunidade com a doença fatal que o matou, provavelmente a malária.

“Eu nunca vi nada assim. É extremamente sinistro e estranho ”, disse o arqueólogo David Soren, que supervisiona escavações arqueológicas na área desde 1987.

O local de descanso em si, o La Necropoli dei Bambini, ou o Cemitério dos Bebês, é rico em evidências arqueológicas de rituais e magia, com descobertas que incluem garras de corvo, caldeirões de cinzas de bronze, ossos de sapo e os restos de filhotes que parecem ter sido sacrificados e enterrados ao lado dos ossos de humanos das crianças.

Isto estranhamente semelhante a outro enterro, também encontrado na Itália, desta vez em Veneza, e que data dos séculos XVI ou XVII – muito mais tarde do que o primeiro. O esqueleto de uma mulher foi desenterrado na ilha de Nuovo Lazzaretto em um cemitério cheio de vítimas da peste. Algum tempo depois de seu enterro, uma grande pedra havia sido colocada em sua boca, muito parecida com a vítima de Lugano.

Criança enterrada com pedra na boca era considerada vampiro 1

(Foto cedida por David Pickel / Stanford University)

Arqueólogos acham que a lógica foi semelhante ao que está em exibição com o “vampiro de Lugano. Eles teorizam que os coveiros estavam de alguma forma convencidos de que a mulher poderia voltar dos mortos para aterrorizar os vivos e que a pedra deveria impedir isso.

(Fonte)


Fico imaginando qual seria o raciocínio por detrás de colocar uma pedra na boca de cadáveres para impedir que ressuscitassem. A raça humana é mesmo muito interessante.

n3m3