web analytics

Astrônomo russo admite que alienígenas existem

Tempo de leitura: 2 minutos

Astrônomo russo admite que alienígenas existem 1

Em um dia em que a NASA, a Roscosmos e o resto do mundo deram um suspiro coletivo de alívio quando uma nave espacial Soyuz MS-10 e sua tripulação retornaram em segurança para a Terra após um lançamento abortado, surgem notícias de um importante astrônomo russo que acredita que não estamos sós no Universo…

Eu admito a existência de civilizações inteligentes extraterrestres.

Dmitry Bisikalo é o diretor do Instituto de Astronomia da Academia Russa de Ciências em Moscou, e especialista em dinâmica de gás de estrelas binárias que interagem e acreção de discos.  Isso o qualifica para proclamar que os alienígenas existem? Não, mas sua pesquisa inclui estudar os componentes dos gases de uma estrela e os de qualquer exoplaneta ao redor delas. Como ele disse ao Sputnik News, esses gases – especialmente oxigênio, ozônio e metano – são marcadores biológicos que podem ser indicadores de civilizações que produzem coisas e poluem suas atmosferas exatamente como nós.

É importante notar que muitos biomarcadores aparecem na região ultravioleta do espectro, que será estudada pelo observatório espacial Spektr-UF, que será lançado em órbita em 2024.

Ele fala como um verdadeiro astrônomo burocrático, se assegurando que terá um emprego em alguns anos conectando o Spektr-UV ou Observatório Espacial Mundial Ultravioleta (WSO-UV) – um telescópio espacial proposto (Rússia, Espanha, Alemanha, Ucrânia e Cazaquistão) que foi planejado desde 2007 e necessário bem antes de 2024, devido aos atuais problemas de giroscópio do telescópio espacial Hubble. Enquanto aguarda o lançamento, Bisikalo também está gerando interesse em astronomia e viagens espaciais com comentários como este recente.

Afinal, se nossa civilização existe, por analogia pode haver outras, e provavelmente muitas delas.

Bisikalo canaliza o astrônomo americano Frank Drake e sua famosa equação, colocando a probabilidade da existência de civilizações alienígenas em ‘alta ‘. Infelizmente, como Drake, Bisikalo está lidando com possibilidades, não com provas, e ele traz sua própria teoria do porquê de ainda não termos visto nenhum extraterrestre (oficialmente, é claro).

[Eles] não querem entrar em contato.

Claro que não querem. Somos grandes poluidores como eles e estamos prestes a destruir nosso planeta, assim como eles já podem ter feito. Tudo o que eles precisam fazer é sentar em silêncio e esperar.

Por exemplo, até o início do século XX, nossa civilização não irradiava nada. Agora a Terra está cheia de sinais eletrônicos em diferentes intervalos, mas a tendência geral é reduzir as perdas e consequentemente diminuir o nível do sinal.

“Diminuir o nível do sinal”. Em outras palavras, morrer. Isso pode ser o que acontece a todas as civilizações, antes que elas possam mudar seus modos ou desenvolver a tecnologia para ir a outro lugar. Com base no incidente da Soyuz e no buraco ainda não resolvido encontrado na cápsula Soyuz atualmente ancorada na Estação Espacial Internacional, nosso nível de sinal pode estar diminuindo antes que possamos sair também.

Bisikalo ainda está confiante de que ele e o resto de nós estarão por perto para o lançamento e uso do telescópio espacial Spektr-UV.

Provavelmente com a ajuda deste telescópio espacial infravermelho veremos algo realmente interessante.

Vamos esperar que seja uma nave espacial que ofereça veículos espaciais confiáveis.

(Fonte)


Dmitry Bisikalo falou aquilo que todo o astrônomo já sabe, mas morre de medo de dizer: Não estamos sós no Universo.

n3m3