NASA detecta misteriosa parede na beira do Sistema Solar

Tempo de leitura: 2 minutos

NASA detecta misteriosa parede na beira do Sistema Solar

Vivemos dentro de uma bolha cósmica. Muito além de Plutão, no limite da vasta extensão do espaço interestelar entre o nosso sistema solar e todos os outros, há uma parede. É uma parede fina, como a superfície de uma bolha de sabão, composta de matéria interestelar comprimida que é mantida pela energia que emana do nosso Sol.

À medida que os ventos solares do Sol penetram no espaço profundo, a matéria interestelar – moléculas de hidrogênio e outros elementos – encontram a força dos ventos solares e, pequenas demais para combatê-los, compõem um tipo de escudo interestelar, uma bolha que envolve nosso sistema solar, enquanto se aprofundam pela Via Láctea. De acordo com um artigo publicado em 7 de agosto, a NASA acredita que pode ter detectado a massa que compõe este misterioso limite entre nós e o resto do universo.

A sonda New Horizons da NASA passou por Plutão em 2015, e os pesquisadores ainda estão recebendo dados, e provavelmente ainda receberão por muito tempo. Os dados mais recentes enviados pela New Horizons incluem um aumento de luz ultravioleta que, segundo os cientistas, é provavelmente devido ao hidrogênio comprimido que compõe a parede interestelar. Descobertas semelhantes foram relatadas pelas sondas Voyager há 30 anos, e obter as mesmas descobertas em 2018 fortalece o argumento de que o que elas encontraram é, na verdade, a área limítrofe onde a influência do Sol começa a decair.

Como ocorre com a maioria das descobertas científicas, a equipe é rápida em dizer que isto ainda não está confirmado. Eles dizem que há uma chance de que a luz aumentada não esteja vindo da parede de hidrogênio, mas pode ser outra fonte ainda desconhecida no espaço interestelar. Eles dizem que o sinal revelador será se a sonda New Horizons continuar detectando a luz depois que ela passar onde a parede deveria estar. Se ele parar de detectar a luz, significa que ele realmente detectou a parede. Se as leituras permanecem as mesmas, então tem que ser outra coisa.

Leva muito tempo para fazer as coisas no espaço, e provavelmente levará mais 10 anos para que eles possam ter certeza. Felizmente, o instrumento conhecido como Alice, com o qual a New Horizons é equipado, tem energia suficiente para estar operacional por mais 15 a 20 anos.

É apropriado que a bola de fogo gigante responsável por toda a vida mantenha uma pequena bolha ao redor de seus filhos. Infelizmente, é uma bolha que só impede coisas muito pequenas. O objeto chamado Oumuamua rompeu há pouco tempo, e um dia algo maior irá invadir nosso sistema solar e vai ser o fim do jogo. Obrigado por nada, Sol.

(Fonte)

Colaboração: SENAM


Isto é, se algo maior já não entrou, só que ainda não foi detectado.

n3m3