web analytics

Província de Salta: Um dos incidentes de OVNIs mais estranhos da Argentina

Tempo de leitura: 1 minuto
Um dos incidentes de OVNIs mais estranhos da Argentina

Imagem meramente ilustrativa.

A Argentina é um dos países mais visitados por especialistas do fenômeno OVNI, e não é por acaso que isto é assim, porque durante muitos anos há centenas de casos de objetos voadores não identificados e até mesmo muitos afirmam ter tido contato com seres extraterrestres.

O Presidente da Fundación Argentina de Ovnilogía (F.A.O), Luis Burgos, salientou que a província de Salta é uma das províncias com mais avistamentos de objetos voadores não identificados (OVNIs). O ovniólogo fez referência ao caso do chefe dos bombeiros de Rosário de la Frontera, José Ezequiel Álvarez, que afirma ter tido um encontro próximo com alienígenas. Burgos enfatizou a importância desses fatos serem conhecidos pela mídia, pois isso permite que muitos ovniólogos continuem investigando.

Álvarez afirmou:

Garanto-lhes que existem cinco naves que estão em Rosario de la Frontera há cerca de vinte dias. Esse novo vídeo, que consegui capturar entre 20 e 21 horas, mostra suas presenças.

Eles dizem que são nossos antepassados, porque eles contribuíram com seu DNA para o surgimento da raça humana. É por isso que eles são conhecidos como nosso grupo seminal. Eles têm uma biologia como a nossa, embora seu desenvolvimento tecnológico e espiritual seja maior que o da Terra. Eles são seres de luz.

Isso mostra que os pleiadianos estão entre nós e querem nos contactar. Desta vez consegui me comunicar, eles me cumprimentaram, por isso as mudanças de luzes são observadas.

Anteriormente, o chefe dos bombeiros havia assegurado que ele se comunicava com extraterrestres:

Tivemos contato na segunda-feira e também terça e quarta-feira, há três dias as naves estão em Rosario de la Frontera.

Em seguida, um vídeo interessante do canal Planeta Snakedos, em que eles explicam esta e outras histórias da Argentina…

(Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora esta não seja precisa, clique aqui):

https://youtu.be/ZGIYhfdOeuc

(Fonte)


n3m3