web analytics

Dunas e depósitos minerais reativam esperanças de vida em Marte

Tempo de leitura: 2 minutos
Cientistas encontraram sinais incríveis de água corrente no planeta vermelho, alimentando a especulação da vida em Marte.
esperanças de vida em Marte

VIDA EM MARTE?: Fotos vívidas de ondulações e dunas de areia no Planeta Vermelho podem provar a existência de vida alienígena

O jipe-sonda Curiosity está “farejando” ao redor de Marte por um minério de ferro chamado hematita na Cordilheira Vera Rubin, para ver se podem ser encontradas pistas para ligá-la às montanhas Murray, mais antigas em Marte.

A hematita pode se formar em clima úmido e, portanto, pode ser a chave para desbloquear os segredos da vida passada no planeta.

Essas imagens divulgadas pela NASA mostram a superfície de Marte. Eles foram vistas pelos cientistas que estavam procurando por sinais reveladores de que a água já fluiu no Planeta Vermelho, o que significaria que a vida alienígena poderia ter uma vez florescido por lá.

O próximo mês marcará cinco anos desde o lançamento de uma das expedições mais surpreendentes à procura por sinais de vida em Marte.

Os cientistas espaciais da NASA fizeram empolgados quando fotografaram minerais de argila e sulfato relacionados à água com o Compact Reconnaissance Imaging.

E a Cordilheira Vera Rubin provou ser incrivelmente rica em tipos de argila, fotografada pelo jipe-sonda Curiosity, que tem o tamanho de um carro.

A membro da equipe do Curiosity, Abigail Fraeman, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, quer saber se os flocos de hematita foram “depositados pelo vento, ou em um lago, ou algum outro cenário”.

A Sra. Fraeman disse que uma questão-chave da busca espacial é: “A hematita se formou enquanto os sedimentos se acumulavam, ou mais tarde, de fluidos movendo-se pela rocha?”

Os cientistas esperam que as respostas a essas perguntas possam esclarecer a vida alienígena.

Mas o projeto atingiu alguns solavancos ao longo do caminho; os cientistas ainda estão coçando seus crânios sobre como pegar amostras de rocha após a broca de rocha do jipe-sonda ter quebrado em 1 de dezembro do ano passado.

(Fonte)

Lembrando aos leitores que embora a NASA alegue que suas sondas estejam procurando por evidências de vida em Marte, não se trata de vida presente, mas sim de vida que pôde algum dia ter existido no planeta. Não há equipamento nos jipe-sondas (pelo que a NASA nos disse) para testar o solo por bactérias e outras vidas microbianas.

Todas declarações no passado, por cientistas da própria NASA, de que haviam descoberto vida em Marte, foram imediatamente refutadas pela agência.

Enquanto isso, em relação à vida extraterrestre, a NASA fica com esse “agora vai-não foi”, indo a lugar nenhum.

Os artigos abaixo atestam ao fato da agência espacial ter medo de dizer que há vida fora do planeta:

Possível evidência de vida em Marte é destruída pela NASA, alega cientista que trabalhou para a agência

Novo estudo diz que a vida existe sim em Marte, e foi encontrada pela sonda Viking em 1976

NASA ocultou resultados de experimento que mostrou haver vida em Marte

n3m3