web analytics

Porque uma lua de Saturno deve ser considerada para colonização espacial

Tempo de leitura: 2 minutos

Se você pensa em colonização espacial, você sempre pensa no Planeta Vermelho (Marte). Há uma enorme divulgação da imprensa sugerindo que este seja o melhor e inevitável lugar para a humanidade começar.

A tecnologia não é mais um grande problema e, embora ainda não estamos por lá, os voos espaciais até Marte aparentemente já foram completados no papel.

Mas seria Marte a melhor opção dentro do nosso sistema solar?  Se você puder fazer uma varredura através dos documentos liberados pelos pesquisadores da Scientific American ou da Space.com, Marte de repente perde atratividade e até mesmo a Lua parece ser uma mau lugar para se viver.

colonização espacial

Vivendo em Titã, a maior lua de Saturno, a qual possui uma formação de relevo similar à da Terra.

Ao invés disso, deveríamos estar olhando para algo que é mais apropriado para o nosso corpo, e mais importante, nosso DNA. Tendemos a esquecer do trabalho maravilhoso que nossa atmosfera faz em proteger-nos do Sol e seus efeitos adversos, que de outra forma passariam através dos nossos corpos, esfiapando o nosso DNA além do reparo. A Scientific American até mesmo falou de “dano cerebral” como resultado da exposição aos raios cósmicos.

Para colocar a colonização e a importância da proteção de uma atmosfera em perspectiva, você só precisa perceber que os humanos literalmente precisam escavar profundamente em Marte. Claro, Marte possui uma atmosfera, mas não é robusta nem persistente o suficiente, e qualquer colono deveria viver a 2,7 metros abaixo de sua superfície para ficar seguro.

Se você acha que uma colônia lunar seria melhor devido sua relativa proximidade à Terra, você ficaria surpreso em saber que é exatamente o contrário. Dado ao fato de que sua atmosfera é quase inexistente, instalações subterrâneas seriam extremamente necessárias. O assentamento na Lua deveria ser ainda mais profundo do que em Marte, com aproximadamente 4 metros.

Mas há uma esperança lá fora, e ela é chamada Titã. Além de seu nome que é mais legal, e a perspectiva de olhar para os anéis de Saturno, Titã apresenta uma atmosfera que é cinquenta por cento mais espessa do que a nossa.

O Scientific American conclui que:

Faz frio em Titã, -180ºC, mas graças à sua espessa atmosfera, os moradores não precisariam de roupas pressurizadas – somente roupas quentes e respiradores.  A moradia poderia ser feita de plástico produzido das fontes ilimitadas colhidas de sua superfície, e poderia consistir de cúpulas infladas por oxigênio ou nitrogênio morno.  A facilidade de construção permitiria a construção de enormes espaços internos.

Titã não é exatamente um vencedor para a próxima corrida espacial devido à desvantagem da distância que Saturno está de nós. Mas por outro lado, é um competidor muito forte como melhor opção para colonizar o nosso sistema solar e não deveria ser desconsiderado.

n3m3

Fonte