NASA detecta oceano dentro de lua de Saturno. Hipótese de vida microbiana extraterrestre é levantada

Tempo de leitura: 2 min.
Gravity measurements by NASA's Cassini spacecraft and Deep Space Network suggest that Saturn's moon Enceladus, which has jets of water vapor and ice gushing from its south pole, also harbors a large interior ocean beneath an ice shell, as this illustration depicts. Image Credit:  NASA/JPL-Caltech
Medições gravitacionais feitas pela sonda Cassini da NASA e pela Deep Space Network sugerem que a lua Encélado, de Saturno, a qual ejeta jatos de vapor d’água e gelo de seu polo sul, também possui um grande oceano interior sob sua camada de gelo, como mostrado na ilustração acima. Credito da imagem: NASA/JPL-Caltech

A sonda Cassina da NASA e a Deep Space Network descobriram uma evidência de que a lua Encélado de Saturno abriga um enorme oceano subterrâneo de água no estado líquido, o que despertou um grande interesse sobre a potencialidade da existência de vida microbiana extraterrestre por lá.

Os pesquisadores teorizaram a presença de um reservatório interior de água nesta lua em 2005, quando a Cassini descobriu vapor d’água e gelo sendo expelido próximo ao polo sul desta lua.  Novos dados fornecem as primeiras medições geofísicas da estrutura interna de Encélado, os quais são consistentes com a existência de um oceano escondido dentro da lua.

A forma com que deduzimos as variações da gravidade é um conceito na física chamado de Efeito Doppler; o mesmo princípio usado com pistolas de radar usados para a medição de velocidade“, disse o co-autor do artigo publicado no periódico Science, Sami Asmar, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, em Pasadena, Califórnia.  “À medida que a sonda voa próxima a Encélado, sua velocidade é perturbada pelas variações do campo gravitacional que estamos tentando medir.  Vemos a mudança da velocidade na frequência de rádio recebida pelas nossas estações aqui no solo, vindas do outro lado do sistema solar.

As medições gravitacionais sugerem um grande oceano, possivelmente regional, de aproximadamente 10 quilômetros de profundidade, sob uma camada de gelo de aproximadamente 30 a 40 quilômetros de espessura.  A evidência da sub superfície do oceano suporta a inclusão de Encélado entre os lugares mais prováveis no nosso sistema solar a abrigar vida microbiana.  Antes de Cassini alcançar Saturno em julho de 2004, nenhuma versão desta curta lista incluía esta lua gelada de quase 500 quilômetros de diâmetro como possível local que pode abrigar vida microbiana.

“Isto então fornece uma possível história para explicar o porquê da água estar jorrando para fora destas fraturas que vemos no polo sul”, disse um dos co-autores do artigo, David Stevenson, do Instituto Califórnia de Tecnologia.

O material ejetado do polo sul de Encélado contém água salgada e moléculas orgânicas, que são ingredientes básicos para a vida“, disse Linda Spilker, cientista do projeto Cassini da NASA.  “Sua descoberta expandiu nossa visão da ‘zona habitável’ dentro do nosso sistema solar e nos sistemas planetários de outras estrelas.  Esta nova validação de que um oceano de água sustenta os jatos, aumenta nossa compreensão sobre este ambiente intrigante.”

As missões Cassini-Huygens fazem parte de um projeto cooperativo entre a NASA, a Agência Espacial Europeia e a Agência Espacial Italiana.

n3m3

Fonte: www.nasa.gov/cassini

Colaboração: Osnir Carlos Stremel Junior, Snor, Nair Formighieri, Paulo Sergio, Brender Anjos dos Santos

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.