O Programa Espacial dos EUA está à mercê de Putin

Tempo de leitura: < 1 min.

Encontrei o seguinte artigo no site ufodigest.com, o qual apresento abaixo, adaptado e em forma resumida, para informar nossos leitores:

lançamento-da-missão-Friendship_7Numa audiência no congresso dos EUA, em 5 de março, foi discutido sobre a vulnerabilidade daquele país, devido à sua dependência nos componentes e motores de foguetes da Rússia e Ucrânia.  O motor principal do foguete Atlas, que envia muitas das cargas para o espaço, é feito na Rússia.  Putin tem um poder e influência consideráveis sobre os programas Espacial e de Segurança Nacional dos EUA.  Sanções entre ambos países deverão ser estudadas cuidadosamente.

Há algum tempo, os Estados Unidos construía seus próprios foguetes.  O abandono do Ônibus Espacial deixou o programa espacial dos EUA vulnerável.  Trabalhadores estadunidenses fabricavam foguetes.  Por que foram dados estes trabalhos para uma região altamente instável, como a Ucrânia e a Crimeia? 

A crise que os EUA encara hoje demonstra o grave erro de decisão para terceirizar seu programa de foguetes.

A Defesa dos EUA está vulnerável e em risco… …Todo o acesso à Estação Espacial Internacional (ISS) é feita com foguetes e cosmonautas russos… …Levará anos para os EUA dar continuidade a seu programa de foguetes…

O Congresso dos EUA reconhece que seu programa espacial está sob a mercê de Putin.  Todos os aspectos do programa espacial está em risco se as sanções ocorrerem entre ambos os países…

…Kennedy teria ficado desapontado.

Realmente, há algo muito errado com a política econômica sendo exercida pelos Estados Unidos nestes últimos anos.  O que ocorreu entre os EUA e a Rússia seria análogo à uma pessoa ter uma rixa com seu vizinho por 50 anos, da noite para o dia fazer as pazes com ele, e logo após lhe dar o cartão de débito e a senha de sua conta bancária.

Por que os EUA fariam isso com seu programa espacial? 

Como diria um grande amigo meu: ‘Tem coelho neste mato!

n3m3

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.