A NASA está de olho na lua de Júpiter, Europa

Tempo de leitura: 2 min.
Europa, lua de Júpiter.
Europa, lua de Júpiter.

Em seu orçamento mais recente, a NASA pediu recursos financeiros para exploração de Europa, uma das luas de Júpiter, muitas vezes descrita como uma das melhores apostas para se encontrar vida alienígena.

O pedido de orçamento federal anual da NASA de U$ 17,5 bilhões (US$ 1,2 bilhões a menos que seu pico em 2010) reservou US$ 15 milhões para o trabalho de ‘pré-formulação’ de uma missão para a lua de Júpiter, com planos de fazer observações detalhadas e possivelmente amostragem dos seus oceanos interiores.

Os cientistas acreditam que abaixo do exterior gelado de Europa exista um enorme oceano que contém quase duas vezes mais água do que a Terra, a qual é mantida no estado líquido pela força gravitacional de Júpiter – uma força que cria marés mil vezes mais fortes do que as causadas pela nossa Lua aqui na Terra.

Embora por muitos anos acreditava-se que a existência de vida era dependente de uma energia de absorção do Sol, nos últimos 40 anos os cientistas têm descoberto que a vida microbiana pode prosperar até mesmo nas condições mais extremas de ambientes sem luz solar.  Foram descobertos organismos diversos, inclusive camarões, ao redor das chaminés hidro-termais no fundo dos oceanos aqui na Terra.

Além da possibilidade de vida sob o gelo em Europa, as observações feitas no final do ano passado pelo telescópio Hubble sugerem que os enormes jatos d’água, alguns deles alcançando 200 quilômetros de altura (o que é duas vezes mais alto do que a atmosfera terrestre), estão sendo expelidos do pólo sul de Europa.  Isto significa que a Europa Clipper – uma sonda espacial conceito que a NASA tem estado desenvolvendo para tal missão – de forma concebível poderia voar através destes jatos de vapor d’água, coletando amostras do interior de Europa, sem ter que encarar os custos e dificuldades de aterrissar em sua superfície.

Acredita-se que
Acredita-se que enormes jatos d’água estejam sendo ejetado do pólo sul da lua Europa.

Embora o orçamento proposto para 2015 seja o primeiro com financiamento explicito para estudar Europa, a NASA estressou que todo este trabalho é extremamente preliminar.

Europa é uma missão muito desafiadora, operando em um ambiente com radiação muito alta, e há muito que ser preparado para isso“, disse a chefe financeira da NASA, Beth Robinson, aos repórteres na terça-feira (04/2). “Estamos pensando em um lançamento em meados da década de 2020.”

Enquanto os US$ 15 milhões reservados para a pesquisa de uma missão à Europa seja minúsculo, os entusiastas das missões espaciais não devem ficar desapontados, pois uma porção maior do orçamento foi alocada para as ‘operações humanas de exploração’, ou seja, levar humanos ao espaço.

A NASA está atualmente trabalhando num novo veículo tripulado (o Orion), bem como um foguete pesado, projetado “para levar astronautas mais longe no sistema solar do que já tenham ido antes“.

Ambas espaçonaves serão instrumentais aos planos da agência espacial de enviar astronautas para um asteroide em 2015 e para Marte na década de 2030.

n3m3

Fonte das informações: www.independent.co.uk

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.