Após estudarem uma rede de rios em lua de Saturno, cientistas dizem que “Titã é estranhamente parecida com a Terra”

Tempo de leitura: 2 min.
Titan, "estranhamente pareceido com a Terra".
Titã, “estranhamente parecida com a Terra”.

Por muitos anos, a atmosfera espessa e rica em nitrogênio e metano de Titã bloqueou a visão dos astrônomos, os quais sequer podiam imaginar como seria sua superfície.  A maior lua de Saturno aparecia nos grandes telescópios como uma esfera alaranjada e nebulosa, contrastando com outras luas em nosso sistema solar, as quais mostram suas superfícies repletas de crateras.

Em 2005, a sonda espacial Cassini-Huygens voou próxima à Titã durante sua órbita ao redor de Saturno, e penetrou a espessa neblina daquela lua com seus instrumentos fotográficos, fornecendo aos cientistas as primeiras imagens detalhadas de sua superfície.  As imagens de radar revelaram um terreno gelado, esculpido por rios de metano líquido, muito similares aos rios de água em nossos continentes.

Apesar das imagens de Titã terem revelado sua paisagem atual, muito pouco é conhecido sobre seu passado geológico.  Agora os pesquisadores do MIT e da Universidade do Tenessee, em Knoxville, analisaram as imagens das bacias de rios de Titã e determinaram que em algumas regiões, os rios causaram pouca erosão.  Os pesquisadores dizem que há duas explicações possíveis para isto: ou a erosão em Titã é extremamente lenta, ou algum outro fenômeno recente pode ter devastado os leitos dos rios antigos, bem como outras características geológicas de sua superfície.

Titã possui pouquíssimos sinais de crateras em sua superfície, o que indica que lá há uma atividade geológica constante, similar ao que ocorre na Terra.

Vale lembrar também que esta lua agora está em pauta nos estudos de muitos cientistas, inclusive com alguns acreditando que ela possa abrigar formas de vida muito distintas daquilo que estamos acostumados, ou seja, vida que não utiliza o oxigênio para respirar, mas sim o metano.  É possível que logo tenhamos algumas surpresas vindas dos estudos deste satélite misterioso.

Veja o vídeo publicado no YouTube pelo MIT.  A legenda é em inglês, mas clicando-se no botão ‘cc’ na janela do vídeo, pode-se mudá-la para o português:

Fonte do vídeo: MITNewsOffice

n3m3

 

Colaboração: Henrique C.O

Fonte: www.dailymail.co.uk

 

 

 

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.