Teria uma nave-mãe camuflada sido exposta perto de Mercúrio?

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...


Em 2011, os satélites estéreo da NASA, incumbidos da tarefa de monitorizar a atividade solar, capturaram imagens que provocaram especulações generalizadas sobre a existência de uma nave espacial cilíndrica colossal ou de uma nave-mãe perto de Mercúrio.

Captura de tela de vídeo. Crédito: NASA/SOHO

O avistamento ocorreu em 1º de dezembro daquele ano, logo após a nave ter sido aparentemente atingida por uma Ejeção de Massa Coronal (CME) do Sol. As imagens mostraram um objeto cilíndrico, o que sugeria que era imenso, possivelmente medindo centenas de quilômetros e lembrando um OVNI nave-mãe. Enquanto alguns céticos rejeitaram o fenômeno como sendo uma anomalia fotográfica, outros traçaram paralelos com casos anteriores em que CMEs solares revelaram naves espaciais camufladas.

Após o incidente de Mercúrio em 2011, outro evento em agosto daquele ano adicionou combustível à especulação. Desta vez, o cometa Elenin chamou a atenção, aparentemente envolto em um escudo de energia tetraédrico. O escritor científico Richard Hoagland interpretou isso como evidência de que Elenin era uma espaçonave projetada em uma missão específica perto da Terra, uma teoria que ressoou em muitos. Com o incidente perto de Mercúrio, as questões sobre a natureza do aparente escudo de energia que rodeia a enorme nave cilíndrica estão novamente no centro da discussão.

Enquanto os entusiastas de OVNIs especulam sobre o envolvimento extraterrestre, os cientistas do ramo de física solar do Laboratório de Pesquisa da Marinha dos EUA oferecem uma explicação alternativa. De acordo com Russ Howard e Nathan Rich, a anomalia resulta do processamento de dados brutos do telescópio HI-1, e não da presença de um OVNI nave-mãe. Eles afirmam que o ponto brilhante corresponde à posição de Mercúrio no dia anterior, parecendo cilíndrico devido a artefatos de processamento de imagem.

No entanto, esta rejeição leva à reflexão sobre casos passados ​​em que os cientistas inicialmente desconsideraram os avistamentos de OVNIs. Notavelmente, a transformação do Professor J. Allen Hynek de cético em defensor sublinha a complexidade de tais fenômenos. Neste contexto, a possibilidade do objeto próximo de Mercúrio ser uma nave espacial genuína permanece aberta à especulação.

Referências históricas, como as fotografias de OVNIs cilíndricos tiradas por George Adamski em 1950, intrigam a discussão. As alegações de Adamski sobre encontros com extraterrestres a bordo de tais naves-mãe indicam missões pacíficas de reconhecimento. Quer o avistamento perto de Mercúrio seja uma anomalia benigna ou uma presença extraterrestre genuína, o mistério que o rodeia continua a cativar a imaginação.

Atenção: OVNI (Objeto Voador Não Identificado) não significa necessariamente “nave alienígena”, podendo também ser algo de origem humana ou natural. Também vale informar que vídeos e fotos de OVNIs podem ser forjados em software ou de outra forma.

(Fonte)


Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!

avistamento de OVNIMercúrionave mãeSOHOSol
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.