“Roswell do Reino Unido” recebe atualização importante sobre análise de detritos de OVNI

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

Análises atualizadas de materiais encontrados no local de uma suposta queda de OVNI no País de Gales foram divulgadas na terça-feira (02), argumentando que não são materiais terrestres.

Imagem meramente ilustrativa. Crédito: n3m3/Bing/Copilot

A análise se concentrou na suposta queda de um OVNI em janeiro de 1983 em Llanilar, uma pequena vila galesa na Grã-Bretanha, de acordo com o Daily Star. Um objeto estranho teria esbarrado em um grupo de árvores no meio da noite, espalhando pedaços de metal pela área antes de voar para a escuridão.

Relatórios do autor Mark Olly em uma atualização de seu livro “Europe’s Roswell: 40 Years Since Impact” (“Roswell da Europa: 40 anos desde o impacto”, em tradução livre) sugerem que cerca de seis pedaços de destroços foram recuperados da área arborizada pela Wales Federation of Independent Ufologists (Federação de Ovniólogos Independentes do País de Gales), informou o Daily Star. Três dessas amostras foram enviadas a laboratórios na Austrália e nos EUA para testes adicionais, de acordo com o veículo.

Olly escreveu em sua atualização:

“A Austrália ficou em primeiro lugar como ‘Espuma de Alumínio’, concordando parcialmente com a British Aerospace, que antigamente pensava que era alumínio na forma de duralumínio. Os Estados Unidos então retornaram sua análise como lantânio quase puro, um metal exótico e extremamente caro para produzir na nova parte da tabela periódica.”

Nenhum desses materiais estava em circulação em 1983, informou o Daily Star.

Olly teria continuado:

“Portanto, tínhamos dois metais diferentes em formas únicas e específicas que não eram conhecidos por terem sido desenvolvidos no final da década de 1970 ou disponíveis para uso real em 1983. Então, era um dos nossos, era um dos ‘deles’ ou era é algum tipo de tecnologia híbrida ou de engenharia reversa?”

Outros aspectos dos materiais, como tintas e adesivos, puderam ser identificados a partir de testes adicionais, segundo o Daily Star.

Mas será que estaríamos perdendo a Navalha de Ockham nesta situação? Rumores de militares britânicos e norte-americanos testando novas tecnologias em partes quase vazias (e às vezes até ocupadas) do Reino Unido não são incomuns. Se ambos os materiais ainda não eram desenvolvidos na década de 1970 e “não estavam disponíveis para uso” em 1983, não há nada que diga que os militares não os estavam utilizando prontamente.

Nada disso prova que a queda foi de uma nave extraterrestre real. Isso prova que os materiais existem e os outros testes precisam ser refeitos para obter respostas conclusivas.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


ovniPaís de GalesReino UnidoUAPufo
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.